____________________________________________________________________________________________

____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________________________

terça-feira, 29 de novembro de 2016

"Nós precisamos de mais Bíblias”, diz pastor sobre realidade em Cuba

Uma realidade dura é enfrentada pelas igrejas domésticas do país que, muitas vezes, têm apenas uma Bíblia para ser dividida entre 40 ou mais pessoas.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE CROSSMAP

Por quase 50 anos, a distribuição da Bíblia foi proibida em Cuba. (Foto: Associação Evangelística Billy Graham)
Por quase 50 anos, a distribuição da Bíblia foi proibida em Cuba. (Foto: Associação Evangelística Billy Graham)
No Brasil, onde a Bíblia Sagrada é amplamente disponível e a perseguição se limita ao campo moral, é difícil imaginar como é estar desesperado pela palavra de Deus. Mas, em Cuba, isso é uma realidade.
"A demanda é alta. Você não pode anunciar [que está distribuindo o livro sagrado], que já surgem muitas pessoas querendo Bíblias, entre crentes e não-crentes", disse o Rev. Joel Dopico, diretor do Conselho de Igrejas de Cuba.
Depois que a fronteira de Cuba foi reaberta para os Estados Unidos em 2015, a Associação Evangelística Billy Graham, em parceria com o Conselho de Igrejas em Cuba, conseguiu enviar Bíblias para o país.
Apesar distribuir cerca de 40 mil cópias do livro sagrado através do projeto "Bíblias para Cuba, Dopico ressalta a necessidade do país. "Precisamos de mais Bíblias. Temos milhares de cubanos apenas sonhando todos os dias com a oportunidade de ter uma Bíblia", afirmou. "Se você colocar um anúncio em Cuba dizendo: ‘Amanhã vamos distribuir Bíblias’, não haveria Bíblias o suficiente".
Agora, a Associação Evangelística Billy Graham pretende enviar pelo menos 50 mil novas Bíbliaspara Cuba. O ministério vai começar a levantar fundos para a campanha nesta terça-feira (29). Este ano, o projeto pretende fornecer uma variedade ainda maior, incluindo Bíblias infantis e de estudo para pastores.
Por quase 50 anos, a distribuição da Bíblia foi proibida em Cuba. No entanto, as recentes mudanças na fronteira tem permitido que igrejas recebam e distribuam doações de Bíblias, aumentando o acesso ao livro sagrado.
Fome da Palavra
As bibliotecas do país disponibilizam Bíblias para leitura, mas muitas delas são roubadas das prateleiras diante do desejo de levá-las para casa. "Quando fomos para a Biblioteca Nacional, vimos que tinham poucas Bíblias, que eram muito velhas. Então perguntamos quantas Bíblias seriam necessárias para atender ao público", lembra Dopico . "A biblioteca nos pediu cerca de 200 Bíblias, mas depois disse: ‘Seria melhor você nos trazer 300, porque temos 100 funcionários e todos eles querem a Bíblia’".
Pedidos especiais como este não são incomuns. "Eu tenho contato com diferentes departamentos estaduais do governo e com funcionários de diferentes partes do governo. Eles sempre pedem uma Bíblia. Sempre", disse José Montes, administrador-chefe do Conselho de Igrejas em Cuba.
Uma realidade ainda mais dura é enfrentada pelas igrejas domésticas do país que, muitas vezes, têm apenas uma Bíblia para ser dividida entre 40 ou mais pessoas. "Eles estão sempre com fome de leitura bíblica e, às vezes, não temos para oferecer”, disse Montes.
Mesmo com tal escassez, o crescimento da comunidade cristã cubana tem sido motivado pelo compartilhamento de Bíblias. "Eles não querem a Bíblia apenas para si mesmos, eles querem compartilhá-la e usá-la para o evangelismo", explica Dopico.
Dopico e sua equipe não têm dúvidas de que a distribuição de Bíblias continuará transformando Cuba. "As igrejas estão crescendo. O país está mudando. A direção econômica e social está mudando. Mas a única coisa que pode realmente mudar a vida de alguém em nosso país é a Bíblia", conclui.

Apoio