____________________________________________________________________________________________

____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________________________

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Pastor relata noite em que o Evangelho foi pregado a Fidel Castro: “Vi nele um bom aluno”

O líder cubano convidou um grupo de pastores para um encontro, em 2002. Na ocasião, ele esclareceu suas dúvidas sobre o Apocalipse e ouviu a mensagem de Cristo.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE EVANGELICAL FOCUS
Fidel Castro faleceu no dia 25 de novembro, aos 90 anos. (Foto: Reprodução)
Fidel Castro faleceu no dia 25 de novembro, aos 90 anos. (Foto: Reprodução)
Após a morte de Fidel Castro, no dia 25 de novembro, o teólogo evangélico Juan Stam revelou detalhes da noite em que a palavra de Deus foi ensinada ao líder cubano. O episódio aconteceu em outubro de 2002, durante um encontro entre o político e um grupo de pastores protestantes.
O convite para receber os pastores em Havana, capital de Cuba, teve iniciativa de Fidel. O pastor Juan relata que chegando na sala de reuniões, que durou das 23h às 2h da madrugada, houveram cumprimentos e registros fotográficos.
“A sala era bastante longa, mas muito estreita e eu acabei sentado na outra extremidade.   No início, Fidel falou em voz baixa e eu não conseguia ouvir muito bem. Mas, de repente, eu percebi que Fidel estava perguntando sobre o Apocalipse: ‘Vocês que são pastores, como vocês entendem o livro de Apocalipse?’", relatou Juan.
O pastor notou que Fidel demonstrava que tinha lido o último livro da Bíblia. “Com muito respeito, ele nos perguntou: ‘E sobre os direitos humanos, quando tantas pessoas são mortas pelo genocídio? E como pode a destruição das florestas e dos oceanos serem explicados ecologicamente?’. Eram boas perguntas, mas difíceis, e Fidel esperava por uma resposta”, ele lembra.
Alguns pastores do grupo conheciam os estudos de Juan sobre o Apocalipse, e o indicaram para esclarecer as dúvidas de Fidel. “Eu nunca esperava estar nessa situação, mas de repente, eu tinha a bola em meus pés, então era hora de pedir para o Espírito Santo marcar um gol”, o teólogo brinca.
“Fiz uma oração ao Todo Poderoso, tentei organizar meus pensamentos e começou a responder suas perguntas. Como a palavra ‘apocalipse’ tem uma má reputação, eu comecei esclarecendo a Fidel que a palavra não significa ‘catástrofe’, ‘desastre’ ou ‘calamidade’, mas sim a ‘manifestação da esperança em Cristo Jesus’”, Juan conta.
Fidel ficou surpreso com a explicação inicial do teólogo e disse: "Portanto, há um problema semântico com esse termo". Juan enxergava nele um bom aluno.

Fidel Castro sentado enquanto aperta as mãos de seu irmão, Raul Castro. (Foto: CubaDebate/AP)
Em seguida, o teólogo passou a explicar que grande parte do Apocalipse é relacionada a visões, e é preciso saber interpretá-las. “Elas podem ser literais e se referir ao futuro, mas não necessariamente e nem sempre. Mas elas são sempre mensagens de Deus para o ímpio, os chamando à conversão. É por isso que após algumas visões muito intensas, o livro sempre diz: ‘Contudo, se recusaram a se arrepender’. Muitas visões, como aquelas onde um terço das florestas são queimadas, a água é convertida em sangue ou um terço de toda a humanidade estará morta não são previsões de coisas que Deus vai fazer no futuro. Em vez disso, elas são um sinal de alerta”, esclareceu o teólogo a Fidel.
Juan lembra que terminou sua resposta salientando a forte crítica que João de Patmos fez contra o Império Romano, acima de tudo por suas injustiças econômicas, seu militarismo sangrento e sua idolatria. “Eu tinha escrito muito sobre isso e senti que Deus estava me preparando para contar a uma das pessoas mais importantes do nosso tempo, através desta oportunidade inesperada”, comenta.
Quando terminou sua explicação, Fidel comentou: "Você está certo, eu vejo que os jesuítas me ensinaram de forma incorreta sobre o Apocalipse", disse ele em tom de brincadeira.
Momento de oração
Durante o encontro, os líderes religiosos também compartilharam com Fidel sobre sua fé e o amor de Deus. Eles argumentaram que muitos ateus estão rejeitando um falso deus, que não é o verdadeiro Deus. Diante disso, Fidel respondeu: "É claro que a fé é uma questão pessoal, que deve nascer na consciência de cada pessoa. Mas o ateísmo não deveria ser usado como um grito de guerra".
Por volta das duas da manhã, Fidel pediu desculpas por ter que encerrar a reunião, por causa de outro compromisso. No entanto, ele finalizou com uma última pergunta: "Vejo que vocês são evangélicos. Expliquem o que isso significa, quem sabe, eu possa ser um sem saber".
O líder do grupo, Israel Batista, não desperdiçou o convite e apresentou o Evangelho de Cristo de uma forma que Fidel pudesse entender bem. No final de sua explicação, ele sugeriu que todos orassem. Fidel também se levantou e Israel conduziu a oração.  
“Ao sair da sala, membros do partido de Fidel me pediram para enviar escritos sobre o assunto e me garantiram que Fidel os leria”, revela Juan.

Apoio