____________________________________________________________________________________________

____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________________________

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Esperança, a âncora da alma


O escritor aos Hebreus diz no capítulo 6.18 e 19 que “tenhamos forte consolação, nós, os que nos refugiamos em lançar mão da esperança proposta [porque] temos essa consolação como âncora da alma, segura e firme”.

Âncora não permite que o barco continue a navegar quando deve estar parado. Âncora firma o barco para não permitir que as águas o desloque para destinos indevidos. Assim, para os que acreditam no Deus cujo escritor aos Hebreus retrata possuem sua esperança como âncora para firmar sua alma evitando que outras situações lhe desviem do itinerário.

Mas como é possível ter esperança em dias tenebrosos como os nossos? Poderemos vislumbrar algo bom diante de dias tão difíceis como os atuais? A Bíblia nos orienta: Sim, é possível ter esperança desde que você esteja pisando no caminho do céu.

O caminho do inferno é um lugar onde a dor não pode ter alivio, o choro não tem consolo e onde não há o que esperar de melhorias. Lá tudo é estático, parado e sem possibilidade de alteração. Mas tão certo como os olhos de quem ver o inferno não consegue enxergar possibilidade de mudança, olhar para o céu é sinônimo de possibilidades de mudança. Ao contrario do inferno, o céu diz que tudo pode ser diferente.

Por isso, os desejos daqueles que estão no caminho do céu são impulsionados pela esperança legitimada por Cristo na cruz que garantiu ao mundo a possibilidade de mudança enquanto o inferno espalhava a ideia de que tudo estava acabado. Na cruz, Jesus disse que as pessoas poderiam ter seus desejos embasados nEle, o fiador da nossa esperança, e assim, todos os que aceitassem o seu sacrifício poderiam continuar a sonhar com dias melhores, mesmo ainda estando na terra e por fim teriam acesso ao céu, lugar de glória eterna onde todas as necessidades seriam supridas.

Ter esperança em Deus é ter fé, mas não fé no poder de Deus simplesmente porque fé é acreditar no caráter do Divino. Ou seja, acreditar no caráter de Deus é entender que Ele não muda e continua sendo Deus mesmo que não use o seu poder. Assim, ter esperança em Deus é continuar acreditando no seu caráter mesmo que Ele não atenda aos meus desejos porque ter esperança é maior e mais profundo do que ter desejos.

O escritor aos Hebreus quando afirma que a esperança é a âncora da alma quer dizer que mesmo quando as águas levarem o nosso pão, o nosso negócio, a nossa saúde, nossos desejos e até os nossos próximos não poderão nos levar porque estamos firmados. Diante do caos que o mundo pode gerar na nossa vida, os que olham para o céu continuam porque estão ancorados em uma viva esperança, maior do que os seus desejos.

Quem vive uma vida para os seus desejos se cansa, se frustra e pode até desejar desistir quando não os veem concretizados, porém os que possuem uma viva esperança em Deus sabem que precisam olhar para o céu e que neste caminho há possibilidade de mudança, porém mesmo que a mudança não surja, eles continuam no caminho porque as águas do desanimo e da frustração não conseguem arrastar quem está ancorado.

O profeta Habacuque proferiu: Ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide, ainda que o produto da oliveira falhe e os campos não produzam mantimento, ainda que as ovelhas sejam exterminadas e nos currais não haja gado, todavia eu me alegrarei no Senhor, exultarei no Deus da minha salvação. O Senhor é a minha força; torna os pés como os das corças e me faz andar sobre os lugares altos.

Igreja é feita de pessoas que possuem esperança; por isso são alegres, dedicadas, felizes e bonitas. Igreja é o agrupamento de pessoas que ensinam umas as outras a se consolarem e se ajudarem neste caminho que leva ao céu porque continuam a missão daquele que se chama Emanuel, Deus conosco.

Viktor Frank, psicólogo que esteve nos campos de concentração nazistas, disse: É possível que o homem viva 40 dias sem se alimentar, 13 dias sem beber água e alguns minutos sem respirar, mas não poderá viver nenhum segundo sem esperança.

Esperança é um sinal do Reino de Deus. A Igreja é o povo da esperança porque está no caminho do céu e não no do inferno; por isso, permite que os seus desejos sejam norteados pela âncora da nossa alma. Ela está caminhando e enxerga possibilidade de mudança, por isso não se entrega ao caos porque conhece aquele que o alistou para a guerra.
Há esperança de dias melhores porque há possibilidade de mudança. Aos que não conseguem enxergar o céu no seu caminho, a única possibilidade será mudar de rumo e orar sinceramente: Deus salve-me do inferno porque a minha alma precisa voltar a ter esperança.


Fonte: Dc. Gildeon

Apoio