____________________________________________________________________________________________

____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________________________

sábado, 11 de março de 2017

Cristã se alegra em poder ler a Bíblia, após ser alfabetizada na Ásia: "Realizei um sonho"

Marta* conta que se converteu ao Evangelho, após ouvir a mensagem bíblica, mas mesmo sendo já adulta, ainda tinha o desejo de se alfabetizar para poder ler a Bíblia.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DA MISSÃO PORTAS ABERTAS

Mulheres se reúnem para estudar a Biblia, na Ásia. (Foto: DAVEMIERS)
Mulheres se reúnem para estudar a Biblia, na Ásia. (Foto: DAVEMIERS)
A forte relação entre o cristianismo e educação (escolar / acadêmica) tem perdurado por séculos e o forte investimento da Igreja Protestante em escolas e universidades ainda pode ser visto atualmente.
Marta (nome fictício, devido a questões de segurança), que vive no Butão (Sul da Ásia) é fruto dos esforços de missionários, que não apenas pregaram o evangelho em seu país, mas também investiram na alfabetização de crianças e adultos locais.
Apesar da perseguição religiosa em seu país, ela e outros cristãos não desistiram de se esforçar para que suas igrejas continuem com suas atividades, como cultos, escolas bíblicas, treinamentos, cursos de capacitação e de alfabetização.
Marta conta que se converteu ao Evangelho, por ouvir a mensagem, mas mesmo sendo já adulta, ainda tinha o desejo de ser alfabetizada para poder ler a Bíblia.
"Eu aprendi muito da Bíblia apenas por ouvir a Palavra, logo em seguida comecei a frequentar as aulas de alfabetização", relembrou.
Marta conta que a emoção foi forte no primeiro dia de aula, quando fez algo que pode até parecer simples para muitas pessoas.
"Eu tremi quando eu segurei um lápis pela primeira vez", disse a senhora tímida que passou a vida em uma cidade do distrito de Sarpang, no Butão.
Vinda de família humilde, Marta sempre se dedicou à agricultura e pecuária na comunidade onde vivia. Quando era jovem, não teve a oportunidade de estudar e acabou se casando ainda adolescente, aos 16 anos de idade.
Mas tudo mudou na vida desta mãe de sete filhos, quando ela conheceu a Jesus.
"Agora estou muito feliz, posso ler e escrever pela graça de Deus. Realizei um grande sonho", conclui.

Apoio