____________________________________________________________________________________________

____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________________________

segunda-feira, 24 de abril de 2017

“Creio na ressurreição de Jesus pela fé, não por provas científicas”, diz Jimmy Carter

O ex-presidente dos Estados Unidos se aposentou da política e hoje atua como professor de uma Escola Dominical na Igreja Batista.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE THE NEW YORK TIMES
O ex-presidente dos EUA hoje atua como professor de uma Escola Dominical na Igreja Batista. (Foto: Reprodução)
O ex-presidente dos EUA hoje atua como professor de uma Escola Dominical na Igreja Batista. (Foto: Reprodução)
O ex-presidente dos Estados Unidos Jimmy Carter (1977-1981) afirmou que sua crença na ressurreição de Jesus Cristo é baseada na fé, sem a necessidade de evidências científicas para confirmá-la, em entrevista ao jornal The New York Times.
Carter afirmou que reconhece toda a mensagem da Bíblia Sagrada como verdade, bem como os milagres descritos no Novo Testamento — incluindo o nascimento de Cristo por uma virgem e a ressurreição.
Durante a entrevista, o colunista Nicholas Kristof argumentou que seria difícil acreditar em histórias de pessoas que são trazidas de volta à vida. No entanto, o 39º presidente americano disse que há algo diferente no caso de Jesus Cristo.
“Minha crença na ressurreição de Jesus vem da minha fé cristã, e não da necessidade de ter uma comprovação científica. Eu extraí um grande benefício pessoal da totalidade dessa crença, que surgiu naturalmente para mim”, disse ele.
Kristof sugeriu que os céticos têm motivos para acreditar que a oração pode ajudar internamente, mas não pode fazer milagres, dando o exemplo de um amputado que ora sem sucesso por uma nova perna. No entanto, Carter ressaltou a eficácia da oração.

Jimmy Carter ministrando na escola dominical da Igreja Batista Maranatha, na Geórgia, em 2000. (Foto: Ozier Muhammad/The New York Times)
“Geralmente, é impossível convencer os céticos. Para mim, a oração ajuda internamente, como uma conversa com o meu Criador, que sabe tudo e pode fazer qualquer coisa. Se eu fosse um amputado, minha oração seria para me ajudar a fazer o melhor da minha condição, ser um bom seguidor do exemplo perfeito deixado por Jesus Cristo e ser grato pela vida”, ele disse.
Carter se aposentou da política e hoje atua como professor regular de uma Escola Dominical na Igreja Batista Maranatha em Plains, no estado norte-americano da Geórgia.
“Em minhas aulas semanais da Bíblia, eu ensino que o nosso Deus Criador está disponível a qualquer momento para qualquer um de nós, para nos orientar, consolar, perdoar ou atender às nossas outras necessidades. Minha atitude, em geral, é de agradecimento e alegria”, ele afirmou.
Durante a entrevista, Carter também sobre seu diagnóstico de câncer de fígado recebido em agosto de 2015. Na ocasião, os médicos também encontraram quatro tumores em seu cérebro. No entanto, depois de alguns meses, os especialistas descobriram uma melhoria acentuada em sua condição.

Apoio