V CONGRESSO INFANTIL

sábado, setembro 29, 2012


PROGRAMAÇÃO
Dia 28/09 - NOITE - Abertura e Aniversário dos Conjuntos Infantis (Perfeito Louvor e Jóias Preciosas)
Dia 29/09 - MANHÃ - Aniversário do Círculo de Oração das Crianças
Dia 29/09 - NOITE - Culto de Criança
Dia 30/09 - MANHÃ - Escola Bíblica Animada
Dia 30/09 - NOITE - Culto de Encerramento

Mais de 32 milhões de Bíblias foram distribuídas em 2011

sexta-feira, setembro 28, 2012

Somando com seleções bíblicas é possível dizer que foi possível alcançar 5,4% da população mundial.



Mais de 32 milhões de Bíblias foram distribuídas em 2011Mais de 32 milhões de Bíblias foram distribuídas em 2011
A Sociedade Bíblica do Brasil (SBB) divulgou esta semana que em 2011 mais de 32,1 milhões de exemplares da Bíblia foram distribuídos em todo o mundo. O número aponta para um crescimento de 11,2% em relação a 2010 onde 30 milhões de exemplares foram distribuídos segundo dados das Sociedades Bíblicas Unidas (SBU).
O maior crescimento foi observado na África e nas Américas, foram mais de 3,6 milhões de livros a mais que no ano anterior. Para chegar às esses números, a SBU trabalha com os dados das 146 Sociedades Bíblicas que existem ao redor do mundo, podendo assim anotar e analisar a distribuição das Escrituras.
A SBB distribuiu em 2011 mais de 6.783 Bíblias completas, número 14,54% maior que em 2010. A empresa também trabalha com outros tipos de literatura bíblica, como Novos Testamentos, livretos com os Evangelhos, Seleções Bíblicas e outros que se forem somados com as Bíblias completas resultam em mais de 242 milhões de exemplares.
A quantidade dessas literaturas bíblicas que também são distribuídas ao redor do mundo também cresceu, foram 337 milhões em 2010 e 350 milhões em 2011. Somando os dois tipos de exemplares é possível chegar ao número de 381 milhões de Bíblias completas e seleções, atingindo 5,4% da população mundial.
A marca de crescimento foi comemorada tanto pela SBB como pela SBU que tem como principal objetivo levar a Palavra de Deus para todas as pessoas, podendo promover o desenvolvimento espiritual, ético, social e ainda falar de salvação.

Fonte: Gospel Prime

Presidente do Irã fala na ONU sobre Nova Ordem Mundial sem Israel

quinta-feira, setembro 27, 2012

Ahmadinejad diz que apoiar gays é coisa de capitalistas

Presidente do Irã fala na ONU sobre Nova Ordem Mundial sem IsraelPresidente do Irã fala na ONU sobre Nova Ordem Mundial sem Israel
Um dia após o presidente Barack Obama alertar o Irã sobre seu programa de armas nucleares, Mahmoud Ahmadinejad esteve esta semana na Assembleia das Nações Unidas e fez declarações polêmicas, como de costume. Em entrevista a Associated Press, afirmou: “Se Deus quiser, uma nova ordem virá junto e nós vamos acabar com tudo o que nos distancia”, disse.
O presidente iraniano disse que o Irã é um dos países que formaram um novo “grupo de contato” para tentar acabar com a guerra civil na Síria, que já dura 18 meses. “Eu farei tudo em meu poder para criar a paz, estabilidade e entendimento na Síria”, afirmou Ahmadinejad.
Em anos anteriores, várias delegações se retiraram da assembleia durante os discursos do presidente iraniano, que costuma criticar os países que ele acusa de usarem o Holocausto como uma “desculpa” para a expansão sionista.
O governo de Teerã continua alegando que seu projeto tem objetivos pacíficos e será usado para amenizar a escassez de energia no país. O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, tem cobrado insistentemente que Obama assuma uma postura mais agressiva em relação ao programa nuclear iraniano.
O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, pediu em seu discurso que o Irã provasse sua intenção pacífica com o programa nuclear. Ao ser questionado pela CNN sobre as consequências de um ataque israelense ao Irã, Ahmadinejad afirmou apenas que “qualquer nação tem o direito de se defender”.
Este ano, seu discurso foi novamente boicotado pelos representantes dos Estados Unidos e de Israel.
Na segunda-feira (24) Ahmadinejad já havia afirmado a jornalistas que Israel não tem raízes no Oriente Médio e que o país será “eliminado do mapa”. Criticou ainda o conselho de segurança da ONU, que, segundo ele, falhou na tarefa de estabelecer a justiça, a paz e a segurança no mundo, permitindo “a contínua ameaça de sionistas de recorrer à ação militar”.
Ron Prosor, embaixador de Israel, ficou contrariado com essas declarações e afirmou que Ahmadinejad voltou a mostrar que é uma ameaça para o futuro do povo judeu.
Entre as outras declarações polêmicas de Ahmadinejad está sua percepção que a homossexualidade é “um comportamento muito desagradável”, sendo proibido por “todos os profetas de todas as religiões e todas as fés”. Ele ridicularizou os políticos e partidos que apóiam gays e lésbicas, “apenas para ganhar quatro ou cinco votos a mais”.
“Este tipo de apoio à homossexualidade está apenas nas mentes dos capitalistas de linha dura e daqueles que apenas apóiam o crescimento do capital, mais do que os valores humanos”, finalizou Ahmadinejad, com a ajuda de seu intérprete.
Com informações Carta Capital e AP
Fonte: Gospel Prime

MISSÕES NATIVAS

quinta-feira, setembro 27, 2012



MISSÕES NATIVAS

Escritor Pr. Teófilo Karkle

Com tristeza na alma narro mais um dos meus artigos missionários, onde venho observando nestes últimos vinte anos, uma falência que esta manchando o bom nome da Obra Missionária, preste atenção no meu posicionamento, alguém tem que denunciar as coisas erradas no tangente as Missões atuais e para isso Deus me leva a escrever diariamente.

Algo esta errado com estas Missões Nativas, de que uma igreja no Brasil, adote 10 crianças na África, no Haiti, no Nordeste, ou então adote 50 Missionários nativos ou a quantidade que for, menos ou mais, acontece o mesmo erro.

Primeiro quem dos missionários nativos não gostaria de receber na sua nação pobre, na sua cidade pequena, na sua casa mobiliada tipicamente, precária ou não tão precária, seus meios de transportes rústicos ou não tão rústicos, tais como uma bicicleta, cavalo velho ou uma velha moto e receber sobre todas estas coisas um Bono Internacional, um Sustento Missionário, ainda que pequeno de uma igreja abençoada, todos os meses?

Qualquer ajuda sobre o que ele já esta acostumado a viver é muito boa. Esse obreiro nativo não teve que tirar passaporte e como é complicado hoje em dia tirar passaporte. Fazer aquelas filas, passar meses de espera, enfrentar todas as burocracias. O obreiro nativo não teve que enrolar a língua para aprender um novo idioma ou dialeto, não sofreu um stress para se adaptar a essa nova cultura ou subcultura. Não teve que correr atrás de aluguel, móveis, louça, pois ele tem tudo isso, na sua forma, do seu jeito, pouco ou muito, de barro ou de vidro, colorido ou branco e preto, de vime ou de bambu, de couro ou de lona, antigo ou moderno.

Já com um Missionário Estrangeiro Enviado ele enfrenta muitas coisas na sua adaptação às quais faço questão de descrever aqui: O Missionário Estrangeiro, primeiro não tem Credito no país aonde chega, portanto só pode comprar a dinheiro, se tiver dinheiro. Não tem Documentos do país na sua chegada que lhe facilite as coisas, tem que tramitar tudo isso, e é tudo muito demorado para sair também. Não tem conta bancaria no país onde foi fazer missões, isso mantém ele sem conseguir provar sua renda. No caso de fazer um contrato precisa de um avalista e ele não conhece nenhum avalista, que assine para ele para que possa alugar uma casa. Não tem dinheiro suficiente como para colocar em garantia esse aluguel, às vezes para estrangeiros se aluga pagando cinco meses adiantados. Por ser estrangeiro cai na desconfiança de todos, não tem pai nem mãe para emprestar dinheiro, nem sogra ou sogro, ninguém para carregar suas malas quando chega à rodoviária, nem sabe pra que lado vai o ônibus.

O obreiro nativo esta livre de todas estas coisas, ele tem panelas, fogão a gás ou a lenha. Ele pode até chegar a fazer seu café numa latinha pendurada num arame, seu fogão pode ser no chão, mas ele é feliz assim, este é o seu estilo de vida. Ele nunca teve uma boa casa, com todas as comodidades como para sentir saudades, assim que ele não estranha seu estilo de vida que lê a tocado a viver ou enfrentar.

O obreiro nativo se tiver que tirar agua do poço com corda, ele nem vai orar pedindo a Deus para mandar uma bomba. Se tiver que caminhar para buscar agua na lagoa, ele vai e volta com alegria também, capaz que volte cantando. Se tivesse dinheiro para comprar agua, não teria agua para vender. E ai vai à coisa, se tiver uma lâmpada elétrica, não tem energia. Se tiver ferro de passar roupa moderno, nem da para usar, ele acaba usando  aqueles com brasa dentro. Se tiver colchão ortopédico ele nem sabe usar, pois dormiu a vida toda na rede.

Nesta realidade, que não é nem dura nem crua para o nativo, chega à igreja forte tirando fotos e sentindo um nó na garganta com vontade de chorar, por causa da diferença da sua casa para a casa do nativo. Mesmo assim, tiram fotos, as publicam aos quatro ventos na internet, e começam a dizer: Estamos fazendo Missões Nativas. É tão boa a sua vida na civilização, na cidade, na casa, que choca tudo que vê tudo que come, ou às vezes nem tem coragem de comer o que eles comem. Às vezes numa visita assim aqueles que vêm da igreja forte querem comprar Leite desnatado, coca light, adoçante diet, tudo zero. E o nativo tudo rustico, pão assado na cinza, leite de cabra, quando tem, salada de agrião, quando tem e cevada no lugar do café.

Se essa igreja forte entregar de presente a esse obreiro nativo um bom par de sapatos e uma boa gravata ele vai ficar muito diferente do seu povo, vão apedreja-lo. Nossa! Todos caminham descalços e o obreiro de sapato? Seria melhor dar para ele um bom par de chinelos de dedo para que fique mais parecido com a sociedade aonde vive, e no lugar de dar gravatas, por que não levam boas camisetas de malha, ou bons chapéus de palha?

Algo esta errado com as Missões Nativas, se os obreiros nativos vivem sem trabalhar, não tem salário. Se os obreiros nativos vivem de um quintal semeado de aipim, macaxeira ou yuka e hão vivido 30 anos assim deste quintal, eles não precisam de dinheiro das Missões, eles precisam de material, mantimento. O correto para as igrejas fortes seria que fossem no campo nativo para levantar uma Vila de casas de madeira, ou de Palha, não muito fora do padrão rústico que é no lugar, fazer poços, colocar luz, (se tiver) encher as dispensas de alimento, levar combustível para a moto ou barco, medicina, instruções de como eles devem ganhar pessoas para Jesus.

No caso do Chile onde somos Missionários desde 1991, vemos que os obreiros nativos estão do mesmo jeito de quando foram adotados. Ou seja, a igreja esta do mesmo tamanho, os banquinhos do mesmo jeitinho feito de taboas de madeira barata. Como recebem dinheiro da igreja forte eles deixaram de trabalhar fora, nem precisam plantar um quintal, pois o seu sustento vem certinho todos os meses da igreja forte, e às vezes vem atrasado.

Algo esta errado, Missões não é apenas Evangelizar, Missões é também Ensinar, Educar, Fazer Discípulos, levar Avivamento. E se no país que estão adotando obreiros nativos, ou crianças, não tem Avivamento, vai ficar assim do mesmo modo com a chegada do dinheiro. Obreiros nativos com dinheiro no bolso e com sua cultura sem avivamento, sem crescimento, ficará exatamente igual. Então neste caso o dinheiro de Missões esta fazendo o obreiro nativo inerte, de pouca ação, até de pouca oração, Cuidado então com isso igrejas.

Missões tem que ser feita por Missionários capacitados, no idioma do lugar, e têm lugares que o Missionário tem que criar o alfabeto dessa tribo, depois as palavras e por ultimo traduzir a Bíblias para esse povo. Muito preparo então precisa ter este missionário escritor, tradutor, conhecedor da sua própria gramatica, para poder criar uma gramatica para um povo que nem alfabeto tem. O Missionário ademais tem que ter preparo Teológico e Autoridade para Casar, Batizar, celebrar Santa Ceia aos seus membros. Consagrar  seus ajudantes segundo a necessidade. Tem que ser um Evangelista também para ganhar as almas para Cristo e para sua Igreja. Ele não pode ficar ganhando almas fora do seu lugar de atuação, senão ele nunca vai chegar a ter uma igreja de tamanho médio.

Um Pastor Estrangeiro dependendo do lugar ele vai trabalhar mais de Diácono que de Pastor. Vai pegar mais no cabo da enxada que no cabo do microfone. Vai ter que fazer de tudo. Abrir a igreja, limpar, orar, ofertar, contar a oferta, pregar para dois, visitar um que esta morrendo outro que esta nascendo, e vai, dando muita glória a Deus.

Todos os Missionários deveriam saber Construir, fazer bancos, imagina se ele nem sabe colocar um prego na parede, nem sabe usar um serrote, como vai fazer? Se ele tem medo de andar no escuro com lanterna? Si tem medo da coruja e do morcego? E se precisa usar uma arma e nem sabe disparar contra um bicho selvagem que vai lhe atacar?

Tem uns espertalhões que estão ganhando dinheiro com indicar obreiros e crianças nativas para adota-las. Primeiro por que o dinheiro que se encaminha da igreja forte, chega à sua mão, na sua conta bancaria, para depois ser repartido. Sempre será a sua conta pessoal recheada. E na hora de repartir, meu irmão, entra o “zóio grande” e a injustiça vem a flor da pele. Como ele lidera a distribuição, e a recepção dos dinheiros, começa a manipular os nativos assim: Se não lhe render obediência, continência, esse já vai ficando para o ultimo da fila, ou então excluído do direito oferecido pela igreja forte de um salário missionário.

A não ser que a Recepção seja feita por uma Entidade. E esta entidade receptora das ajudas econômicas da igreja forte tenha 200 crianças que tomam café e almoçam todos os dias. Igrejas fortes deveriam mandar dinheiro suficiente para comprar todos os alimentos necessários e não adotar nenhuma criança em particular. Se for enviar presente às crianças, mandar para todas elas, sem adotar nenhuma. Ficar oferecendo crianças em adoção esta errada, ademais, esse tipo de adoção é apenas de coração, por que ninguém consegue adotar fisicamente e levar para o seu país para terminar de criar, cuidar, alimentar, educar e vestir, seria tachado de tráfico internacional de menores.

Se a igreja forte adotar obreiros nativos, tem que ter um Missionário Estrangeiro morando entre eles, para estar distribuindo o dinheiro enviado com equidade, visitando todas as congregações existentes, animando-as a crescer, multiplicar. Levando preparos Teológicos, Avivamento, Educação e muito mais.

Fazer Missões não é espalhar os bens, os recursos, fazer Missões é colocar o dinheiro no lugar certo tal como fala Isaias. “Porventura lavra todo o dia o lavrador, para semear? Ou abre e desterroa todo o dia a sua terra? Não é antes assim: quando já tem nivelado a sua superfície, então espalha nela ervilhaca, e semeia cominho; ou lança nela do melhor trigo, ou cevada escolhida, ou centeio, cada qual no seu lugar? O seu Deus o ensina, e o instrui acerca do que há de fazer. Porque a ervilhaca não se trilha com trilho, nem sobre o cominho passa roda de carro; mas com uma vara se sacode a ervilhaca, e o cominho com um pau. O trigo é esmiuçado, mas não se trilha continuamente, nem se esmiuça com as rodas do seu carro, nem se quebra com os seus cavaleiros. (Isaías 28.24-28).

Concluo dizendo que lamentavelmente essa é a realidade com as Missões Nativas, em nenhum momento colocamos em evidencia nome de Igrejas, mas chamei-as de Igrejas Fortes, nem de algum Missionário em particular, ou de alguma agencia missionária, existem muitos fazendo as coisas corretas, mas nós estamos denunciando os erros existentes. Que Deus venha ter misericórdia de que atua de má fé e de quem veio ser vitima neste sistema de fazer missões dos quais sabemos nomes e lugares em que foram prejudicados.
Fonte: Pronami

Fotos do Congresso de Mocidade em MARTINS-RN

quarta-feira, setembro 26, 2012


 
 
 
 
 
 
 
 
 
Uma grande movimentação marcou a chegada das Caravanas ao
 Congresso em Martins-RN
 
 
 




                                                    
                                            
 
                 Equipe de Recepção, Alimentação e Acomodação, trabalharam com uma organização impecável


 

 
 




                              
              Ginásio coberto, local onde aconteceu o Evento, foi palco da manifestação do poder de Deus

                                                            




 
 
       Reunião do sábado - manhã, com o
Pregador  Ivandro Amorim de Camburiu-SC.
           I






                                              













 
 
 
 
 
 
Reunião de sábado a tarde com o pregador Edinaldo Domingos, pastor da Assembleia de Deus
 de Coronel João Pessoa-RN
 
 




 






                                                              


 
 

 
 
 
 
 
Culto do sábado à noite com a pregação do Pastor Julio Ribeiro de Camburiu - SC
 
                                                                                 




 



                                                    

                                                              


                                     




 
 
 





                                                                      Fonte: blog não é da conta de ninguém

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *