Muçulmanos perseguidos pelo Estado Islâmico convertem-se a Jesus - Refugiados no Oriente Médio descobrem que “Deus é real

segunda-feira, dezembro 08, 2014

Missionários relataram à missão Christian Aid que a perseguição e morte de minorias muçulmanas por parte dos soldados do Estado Islâmico no Iraque e na Síria tem oferecido oportunidades sem precedentes para que eles ouçam a mensagem de Jesus. A comparação entre o que eles acreditavam ser o ensinamento do Alcorão e o que descobriram ser a mensagem bíblica sobre o amor de Deus tem feito toda a diferença.
Com ajuda da tecnologia, refugiados de minorias muçulmanas estão aprendendo sobre Deus por meio de áudios e transmissões de mensagens evangelísticas em sua língua natal que podem ser ouvidos em tocadores de mp3 distribuído a todos os interessados. A maioria dos refugiados é analfabeta. Além disso, obreiros cristãos criaram “igrejas nas barracas”, improvisando espaço de culto nos acampamentos onde todos que estão refugiados podem orar e adorar a Deus.
“Você pode ver as lágrimas em seus olhos quando oramos, sabendo que Deus se importa”, explica o diretor de um ministério que trabalha na região. “Essa conexão faz uma enorme diferença.”
“Eles veem que Deus da Bíblia pode dar-lhes força e curá-los”, acrescentou. “Eles relatam que as coisas mudaram”, embora muitos tenham perdido todas as suas posses e até mesmo a família.
Os ex-muçulmanos não conseguem disfarçar o alívio de não precisarem ser obrigados a fazer orações apenas com hora marcada, cinco vezes por dia. Eles agora descobriram a liberdade de poder falar com Deus sempre que desejarem.
“Você pode ver isso em seus rostos. Eles dizem: ‘Toda vez que oramos, há uma diferença”, relata o diretor, que prefere não ter seu nome divulgado.
É inegável a rápida propagação do cristianismo. De fato, não há registro de um momento em que tantos muçulmanos sírios creram em Cristo como nos últimos três anos de guerra civil. “Nós todos concordamos que é o maior de avivamento na região desde o início do Islã”, comemora.
Além das mensagens evangelísticas, os ministérios estão distribuindo alimentos, remédios e roupas, numa evidência tangível que servem a um Deus que se importa. Segundo os obreiros, experimentar o amor demontrado pelos seguidores de Cristo em comparação com o ódio dos que afirmam obedecer a Maomé é chocante para os muçulmanos.
“Quando um muçulmano lê sobre o amor incondicional de Cristo no evangelho e como Ele perdoou a mulher adúltera, em comparação com a necessidade de apedrejamento de uma mulher adúltera ensinado por Maomé, por exemplo, fica claro que Deus [da Bíblia] não é vingativo, mas é amor”, reiterou um dos obreiros.
Os ex-muçulmanos convertidos a Jesus num primeiro momento ficaram chocados em saber que Deus pode ser tão bom. Não conheciam pelo Alcorão a ideia que Deus é amoroso, está opróximo e sua atuação em suas vidas é real. Embora já acreditassem em Jesus como profeta, entendem agora que ele é o Salvador e “Deus conosco”. Com informações Christian Today
Fonte:gospelprime.com.br

You Might Also Like

0 comentários

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *