Cada vez mais muçulmanos se convertem ao Evangelho na Arábia Saudita, apesar da perseguição

terça-feira, maio 31, 2016

Atualmente, cerca de 1,4 milhão de cristãos vivem na Arábia Saudita. A maioria destes cristãos são estrangeiros ou trabalhadores migrantes, mas de acordo com a Missão Portas Abertas, os nativos sauditas também estão se voltando para o cristianismo.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO CHRISTIAN TODAY

A Arábia Saudita é atualmente o 14º país com maior índice de perseguição religiosa do mundo. (Foto: Reuters)
A Arábia Saudita é atualmente o 14º país com maior índice de perseguição religiosa do mundo. (Foto: Reuters)
Forçados a viverem em segredo, os cristãos na Arábia Saudita estão sendo apoiados em sua fé, por ministérios cristãos, que também operam online.
O islamismo é a religião estatal da Arábia Saudita, onde o sistema legal é baseado na lei Sharia. Tribunais impõem regularmente punições físicas severas, incluindo a pena de morte, por apostasia, e os locais de culto não-muçulmanos são proibidos no país.
De acordo com a Comissão dos Estados Unidos sobre Liberdade Religiosa Internacional (USCIRF), a Arábia Saudita "permanece exclusivamente repressiva na medida em que restringe a expressão pública de qualquer outra religião que não seja o islamismo".
O governo persegue, aprisiona e até mesmo pune fisicamente (açoites, chibatadas) indivíduos acusados de dissidência, apostasia, blasfêmia e feitiçaria, além praticar "violações sistemáticas, contínuas e flagrantes da liberdade religiosa".
Não são apenas pessoas religiosas, que são marcadas como alvos. Uma lei promulgada no país em 2014 também iguala o ateísmo ao terrorismo. A legislação proíbe "a divulgação do pensamento ateu, sob qualquer forma, ou o questionamento dos fundamentos da religião islâmica".
Há, no entanto, quase 1,4 milhão de cristãos que vivem no país. De acordo com um estudo realizado no início deste ano, 4,4% da população da Arábia Saudita identifica como cristã - enquanto menos de 0,1% (50 pessoas) se declaravam cristãs pouco mais de 100 anos atrás, em 1910.
A maioria destes cristãos são estrangeiros ou trabalhadores migrantes, mas de acordo com a Missão Portas Abertas, os nativos sauditas também estão se voltando para o cristianismo.

Testemunho

A Missão está apoiando Mohammed (nome fictício), um cristão que tem mantido sua identidade em segredo, desde que se converteu depois de aprender sobre o cristianismo através de um curso de discipulado online. Ele fez contato com os cristãos em outro país do Oriente Médio e depois passou uma semana por lá - onde foi à igreja pela primeira vez e participou de estudos bíblicos presenciais.
Depois de alguns dias, perguntaram a ele 'quem é Jesus?'. "Ele é meu Salvador, meu Deus", respondeu Mohammed, e ele foi batizado, retornando para a Arábia Saudita com uma Bíblia.
Ele não conhece os outros cristãos em seu país de origem, mas tem recebido apoio online contínuo da Missão.
A Arábia Saudita ocupa o 14º lugar na lista elaborada pela Portas Abertas, sobre países onde os cristãos são mais perseguidos. De acordo com a USCIRF, o governo saudita tem feito "melhorias nas políticas e práticas relacionadas com a liberdade de religião ou crença", mas "ele persiste em restringir a maioria das formas de expressão religiosa pública que sejam incompatíveis com a sua interpretação particular do islamismo sunita".
Grupos de direitos humanos têm criticado fortemente a relação que tanto os Estados Unidos, quanto o Reino Unido mantém com a Arábia Saudita. A Anistia Internacional na semana passada pediu uma investigação depois que surgiram evidências de que bombas fabricadas com materiais britânicos sido usadas ​​no Iêmen por uma coalizão liderada pela Arábia Saudita e os Emirados Árabes Unidos.

Deus tem feito maravilhas entre os chineses

segunda-feira, maio 30, 2016



Pregadores de diferentes aldeias viajavam longas distâncias para ter a chance de copiar as Escrituras à mão, sem contar aqueles que tinham que memorizar vários versículos para ter o alimento espiritual do próximo culto.
Recentemente, a Portas Abertas fez uma viagem ao centro da China, visitando diversos lugares, entre eles algumas aldeias nas áreas rurais e igrejas domésticas para ter algumas conversas com os líderes chineses. De acordo com os chineses urbanos, não existem grandes obstáculos para se obter uma Bíblia ou materiais cristãos para quem mora na cidade. Mas será que a situação nas áreas rurais é assim também? Depois de ouvir alguns relatos, pesquisadores descobriram que a história da Bíblia na China passou por dois grandes períodos. Nas décadas de 70 e 80, a Bíblia era considerada um tesouro inestimável, quando era rara e quase impossível ter um de seus exemplares. Pregadores de diferentes aldeias viajavam longas distâncias para ter a chance de copiar as Escrituras à mão, sem contar aqueles que tinham que memorizar vários versículos para ter o alimento espiritual do próximo culto.
O outro grande período começou nos anos 90, quando os chineses contavam com o transporte ilegal de Bíblias, normalmente vindo de grandes embarcações. "Muitos líderes ainda se lembram da experiência de viajar para uma cidade costeira do sul em busca de uma mala grande, cheia de Bíblias e então voltavam realizados para casa, planejando como fariam a distribuição. Era muito arriscado fazer isso naquela época, principalmente se o governo descobrisse", comenta um dos analistas de perseguição.
Depois do ano 2000, uma fonte mais fácil surgiu, quando três igrejas sancionadas pelo governo tiveram permissão de comprar Bíblias e outros materiais cristãos. Além disso, era um tempo de urbanização na China e viajar tornou-se muito fácil. Hoje em dia, com o avanço da tecnologia, observou-se que até mesmo os cristãos rurais têm acesso à internet. "Observamos que quase todas as igrejas nas aldeias estão se beneficiando dos recursos on-line, principalmente os jovens. Nas cidades também há Wi-Fi gratuito e o outro recurso muito utilizado pelos chineses são os jogos bíblicos que eles podem baixar através do celular, além dos filmes cristãos. O que testemunhamos foi incrível e Deus tem feito maravilhas entre eles", conclui o analista.
Fonte:www.portasabertas.org.br

Sonhadores, Visionários ou Missionários?

sábado, maio 28, 2016

Pessoas que não passam do estágio da imaginação, geralmente falam muito, mas não fazem nada, são os chamados sonhadores.

FONTE: GUIAME, RINA

Pessoas que não passam do estágio da imaginação, geralmente falam muito, mas não fazem nada, são os chamados sonhadores.
Pessoas que não passam do estágio da imaginação, geralmente falam muito, mas não fazem nada, são os chamados sonhadores.
Todos terminaremos nossas vidas como sonhadores, visionários ou missionários.
Pessoas que não passam do estágio da imaginação, geralmente falam muito, mas não fazem nada, são os chamados sonhadores.
Quando alguém coloca sua imaginação no papel, se torna visionário. Agora, se transforma esse plano na razão de sua vida, torna-se missionário.
Os visionários vêem grandes coisas em suas mentes. Tiveram visões, mas suas visões nunca se transformaram em missão.
Passam suas vidas alimentando a alma com sonhos e imaginação, mas suas realidades não serão afetadas por esses sonhos.
Quando um visionário se torna missionário, surge alguém que pode mudar o mundo.

Você não se torna amigo de Deus se O busca só no seu tempo livre", diz Rick Warren

sexta-feira, maio 27, 2016

O pastor da Igreja Saddleback que possui cerca de 20 mil membros tem comunicado a sua igreja sobre bons legados que podemos deixar.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO HELLO CHRISTIAN

O pastor do sul da Califórnia tem pregado em sua comunidade sobre o assunto. (Foto: Reprodução).
O pastor do sul da Califórnia tem pregado em sua comunidade sobre o assunto. (Foto: Reprodução).
Com tanta coisa para fazer em nossas vidas ocupadas, pode ser fácil colocar Deus em segundo plano. Mas quão perto nós realmente queremos estar dele? Devemos nos comprometer a procurá-lo diariamente, e viver com sacrifício, a fim de crescer na comunhão com Ele. ""Você não se torna amigo de Deus se O busca só no seu tempo livre. Você tem que ter o conhecimento de Deus como sua maior prioridade na vida". Foi o que escreveu o pastor Rick Warren.
"Lembre-se: Você está tão perto de Deus quanto escolhe estar. Você vai se tornar um amigo de Deus, quando você quiser se tornar um amigo de Deus", escreveu. “Não falamos de Deus como se estivéssemos animado sobre Ele. E seu papel em nossas vidas? Muitas vezes a gente se distrai com coisas materiais, e acabamos gastando tempo demais sobre essas coisas que vão desaparecer, e no fundo nunca vão nos satisfazer”, comentou.
"Tenho notado que algumas pessoas se gabam dizendo o que é mais importante para elas. Se seus filhos são mais importantes, eles se gabam de seus filhos. Se seu trabalho é a coisa mais importante em sua vida, elas se gabam do seu trabalho. Se uma viagem ou ter experiências é mais importante, é exatamente do que eles falam ", escreveu Warren.
"Você se gaba do que você mais valoriza. Você valoriza o Senhor Deus? No final do dia, o seu relacionamento com ele é o que realmente importa para você. Conhecer a Deus é o que mais importa. O Deus do Universo ama você e quer ter um relacionamento com você. Chegar perto de Deus vai lhe dar paz e perspectiva. Isso sim é uma boa notícia", ressaltou.
Legado para a Família
O pastor da Igreja Saddleback que possui cerca de 20 mil membros tem comunicado a sua igreja sobre bons legados que podemos deixar. Além da questão de Deus ser a maior prioridade do cristão, ainda no mês de maio ele ressaltou em sua comunidade que a melhor maneira de deixar um bom legado para a família é viver para os outros em vez de viver apenas para si mesmo.
A frase foi dita em um devocional sobre a criação dos filhos baseado no modelo de "dedicação, serviço, generosidade e oração", afirmando que essa é a melhor maneira de deixar um legado para a família.
O pastor do sul da Califórnia usa o exemplo de sua própria infância, dizendo que, embora sua família fosse muito pobre, eles tinham o dom da hospitalidade, dando comida do jardim e convidando pessoas para refeições.
Grandes famílias "ensinam uns aos outros para mostrar o amor e fazer boas ações. As boas ações são chamadas de ministério. Elas são chamadas de serviço", escreveu Warren, sugerindo que os bons pais cristãos "ensinam a seus filhos que Deus os fez para uma missão", pontuou.

EspecialNigéria: Um dos países que mais persegue cristãos

quinta-feira, maio 26, 2016


65% dos entrevistados declararam que a fé em Cristo cresceu junto com os atos de perseguição, ou seja, quanto mais perseguidos, mais os cristãos nigerianos se unem à Cristo no propósito de resgatar vidas.
"De todos os lados somos pressionados, mas não desanimados; ficamos perplexos, mas não desesperados; somos perseguidos, mas não abandonados; abatidos, mas não destruídos." (2 Coríntios 4.8 e 9). Essa é a passagem bíblica que mais se encaixa à situação dos cristãos nigerianos que, apesar de tanto luto e tristezas, conseguem sorrir pelo simples fato de terem concontrado o seu salvador. Mais de 1 milhão deles foram expulsos de suas casas ou tiveram suas igrejas destruídas. Em algumas regiões do país, a presença cristã foi praticamente extinta. A igreja nigeriana está consciente da perseguição religiosa, mas não estava preparada para a dimensão da violência que teria de suportar.
No norte da Nigéria é um pouco mais difícil seguir a fé cristã, onde o Boko Haram tem tomado as propriedades dos "infiéis", além de já ter tirado a vida de milhares deles. De acordo com um relatório da Portas Abertas, baseado em 102 entrevistas com membros de 44 igrejas que representam a Associação Cristã da Nigéria, a pobreza aumentou muito nos últimos anos. Três de cada quatro entrevistados disseram que está cada vez mais difícil encontrar um emprego. O relatório também mostra que um dos maiores desafios dos cristãos é de ordem emocional e que eles enfrentam grandes traumas causados pela violência que tem um nível cada vez maior.

Sobre a frequência dos cristãos nos cultos, as pesquisas revelam que mais da metade deixou de ir às igrejas por medo dos ataques e 80% confessou ter sentimentos de desconfiança em relação aos muçulmanos, além de uma imagem cada vez mais negativa sobre eles. O principal desafio social é enfrentar o ódio entre cristãos e muçulmanos dentro de ambientes de trabalho e escolas. E para finalizar, as pesquisas também revelaram que os cristãos que se recusam a ser expulsos e resistem aos ataques demonstram que houve um aumento significativo do compromisso que há dos irmãos em manter a fé sempre viva na Nigéria. 65% dos entrevistados declarou que sua fé em Cristo cresceu surpeendentemente junto com os atos de perseguição, ou seja, quanto mais perseguidos, mais os cristãos nigerianos se unem à Cristo no propósito de resgatar vidas. Ore por essa nação.
Fonte:www.portasabertas.org.br

Ásia Central: Garoto de seis anos evangeliza com ousadia e preocupa os pais

quarta-feira, maio 25, 2016

Apesar da paixão da criança por Jesus ser uma alegria para os pais - que lideram uma igreja doméstica - o fator também pode representar perigo, tanto para a criança, quanto para o ministério, já que a perseguição religiosa é intensa na Ásia Central.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO GOSPEL HERALD

Garoto estuda com colegas em escola da Ásia Central. (Foto: Reuters)
Garoto estuda com colegas em escola da Ásia Central. (Foto: Reuters)
Um pastor e sua esposa - que moram em um país da Ásia Central que sofre com a perseguição religiosa - têm sido confrontados com uma decisão difícil, enquanto seu filho de apenas seis anos de idade expressa sem qualquer sinal de medo, sua paixão por Jesus Cristo. Apesar disso ser uma alegria para muitos pais cristãos, o fator também pode representar um perigo, tanto para a criança, quanto para a igreja doméstica, que funciona secretamente.
De acordo com um relatório de vigilância da Missão Portas Abertas nos EUA, um pesquisador de campo associado e sua esposa recentemente falaram com a esposa de um pastor, líder de uma igreja doméstica, na Ásia Central.
A mulher revelou que ela e seu marido têm um filho de seis anos de idade, que ela descreveu como uma criança "alegre, que adora cantar em voz alta" sobre o seu amor por Cristo. O garotinho também compartilha a mensagem Cristo com todos que encontra, segundo sua mãe revelou.
"Recentemente, ele me perguntou se seu amigo iria para o céu, caso ele morresse e eu disse: 'Se ele não conhece a Cristo, então provavelmente não vá", ela recordou. Em seguida, seu filho disse: "Então eu tenho que falar e ele com urgência sobre Jesus!".
Apesar dos 'perigos' que a atitude do garoto pode representar para ele mesmo, sua família e a igreja doméstica, a mãe revelou que ela não quer inibir a paixão de seu filho em compartilhar do Evangelho com os outros e pediu que o Corpo de Cristo em todo o mundo estivesse orando por sua família e ministério.
A Missão Portas Abertas também fez um apelo para que os cristãos em todo o mundo orem por essa família.
"Oremos Deus que dê a sabedoria a essa mãe nesta situação. Oremos a Deus que esta criança e sua família continuem a se orgulhar do Evangelho, e o compartilhem com responsabilidade em seu país", observa o relatório.

Perseguição religiosa
A perseguição contra os cristãos ainda é evidente em alguns antigos Estados soviéticos, comolistados pelo mais recente relatório da Missão Internacional Portas Abertas. Países como Uzbequistão, Turcomenistão, Tadjiquistão e Cazaquistão integram a lista dos 50 lugares onde o cristianismo sofre perseguição mais intensa.
15º na lista, o Uzbequistão é o país onde há maiores índices de perseguição religiosa na Ásia Central. Já na República do Azerbaijão, (34º na lista) os cristãos protestantes são consideradas "extremistas". O país também tem muitos dos "prisioneiros de consciência", que são cristãos, muçulmanos ou de outras religiões e acabam sendo presos em razão de sua declaração de fé.
Wade Kusack, diretor do departamento de liberdade religiosa da Missão Eurásia, disse à World Magazine que "a intolerância islâmica contra o cristianismo e a forma como muitas pessoas nesses países visualizam o islamismo como parte de suas identidades étnicas e culturais, também são fatores que contribuem para a intensificação da perseguição aos cristãos na Ásia Central".
Kusack disse que as pessoas muitas vezes enxergam os muçulmanos convertidos ao cristianismo como traidores e apontam os missionários como uma "ameaça à identidade nacional".
Apesar dos desafios, os missionários com ministérios em países da Ásia Central deram início a centenas de igrejas ao longo das últimas três décadas, de acordo com a Missão 'Christian Aid'.
"Se há oposição ao cristianismo - especialmente aos evangélicos - isso só tem estimulado uma maior unidade e compromisso entre os crentes na região", observa a Missão.
"Superar equívocos culturais é uma batalha difícil, mas líderes de ministérios são encorajados por uma nova geração de crentes que sentem a urgência de levar o evangelho ao seu próprio povo, enquanto eles podem".

Cristãos protestam proibição de orações e abraços na Colômbia: "Ninguém pode proibir”

terça-feira, maio 24, 2016

A proibição se aplica às empresas públicas e privadas, instituições educacionais, postos de comando da polícia, centros comerciais, associações e na família.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE CHRISTIAN TODAY

Líderes cristãos estão encorajando as pessoas a iniciar um protesto pacífico de oração. (Foto: Reuters)
Líderes cristãos estão encorajando as pessoas a iniciar um protesto pacífico de oração. (Foto: Reuters)
A decisão de proibir orações e abraços fraternos durante celebrações oficiais, escolares, corporativas e até mesmo familiares, tomada por um juiz da cidade de Cartagena, tem causado indignação entre os cristãos da Colômbia.
No dia 10 de maio, o juiz Alejandro Bonilla Aldana suspendeu efetivamente o primeiro artigo de um acordo firmado em 2007, que estabelecia a oração “no início de todas as atividades diárias nas entidades do governo, como uma abordagem para recuperar os princípios religiosos da cidade."
A decisão foi tomada depois que uma ação questionando o antigo acordo foi submetida ao tribunal. Em resposta, Bonilla não apenas respondeu à queixa, mas proibiu também o "abraço fraterno no início das atividades".
A proibição não se aplica apenas ao conselho da cidade, mas também às "empresas públicas e privadas, instituições educacionais, estações e postos de comando da polícia, batalhões militares, comícios, conselhos de empresas, centros comerciais, estações de táxi, organizações profissionais, associações e na família".
"O costume da oração não pode ser tomado como um elemento cultural generalizado, e as autoridades civis não podem impor seu exercício obrigatório, desconsiderando a liberdade de crença", disse o juiz em sua decisão.
De acordo com o jornal El Tiempo, a decisão provocou "orações em massa" na cidade de Cartagena por diversos grupos cristãos. "Ninguém pode nos proibir de orar e dar abraços", disse o pastor Lida Arias. "Esta cidade e este país precisam de mais oração e menos leis absurdas."
Um número de membros do conselho da cidade também se posicionou publicamente contra a decisão do juiz Bonilla, de acordo com o jornal El Heraldo.
A Associação de Ministros Evangélicos do departamento de Bolívar também condenou a decisão, dizendo que "a oração e os abraços fraternos quebram as barreiras entre as pessoas e permitem que elas perdoem umas as outras."
Líderes cristãos estão encorajando as pessoas a iniciar "um protesto pacífico de oração e abraços fraternos, que serão realizados em todas as áreas de Cartagena."

Cerca de oito mil igrejas brasileiras realizaram o `Domingo da Igreja Perseguida´

segunda-feira, maio 23, 2016


Evento reuniu milhares de cristãos com o mesmo propósito: orar pela igreja no Iraque e na Síria.

Pelo segundo ano consecutivo, a Igreja Batista Regular do Rio Pequeno comprometeu-se em realizar um culto todo especial. Lá, o DIP aconteceu com as janelas encobertas, à luz de velas, simulando uma reunião secreta. Enquanto louvores tocavam, homens e mulheres caracterizados com túnicas e icharbs (vestimentas muçulmanas) se prostravam para orar na frente do templo, simbolizando a igreja em países de maioria muçulmana, como Iraque e Síria, países tema do DIP 2016.
Neste ano, a igreja toda esteve envolvida com a Igreja Perseguida, tema tanto o culto matutino como do noturno. A perseguição religiosa foi abordada em todas as salas da Escola Bíblica Dominical, envolvendo desde as crianças até os adultos.
Impactada pela realidade dos cristãos perseguidos, Alessandra Menezes, integrante do departamento de missões da igreja, compartilhou como foi desafiada:
"Eu fiquei muito feliz em ter ajudado. Sinto que minha ajuda é uma gotinha no oceano porque sei o quanto (nós, como igreja) podemos fazer pelo Reino de Deus e não fazemos. O que fazemos é pouco comparado com o que os cristãos perseguidos fazem: eles dão a vida deles por causa da fé, e nós damos apenas um dia de nossa semana, o domingo".
Assim como ela, milhares de cristãos clamaram para que a igreja se mantenha viva no Iraque e na Síria, e "a oração pode ir aonde não podemos", como disse o Irmão André.
Por isso, a intercessão não deve cessar com o DIP. A Igreja deve ser perseverante na oração por nossos irmãos (Rm 12.12), para que sua esperança esteja firmada em Cristo, na sua volta e na glória que está por vir.
Pós-DIP
Muito obrigado a todos que aceitaram o desafio de servir a Igreja Perseguida por meio da oração! Agora, contamos com vocês para que o maior número de cristãos tenha suas vidas impactadas com a realidade da nossa família da fé. Compartilhem como o DIP marcou a sua vida com um amigo e também conosco, através de palavras, fotos ou vídeos. Se vocês foram organizadores do DIP, enviem para nós as fichas com os dados de todos os que têm o desejo de conhecer, apoiar e fortalecer a Igreja Perseguida.
Fonte: Portas Abertas Internacional

CURSO PARA LÍDERES DO MINISTÉRIO INFANTIL

sábado, maio 21, 2016



O departamento infantil da igreja evangélica Assembléia de Deus em Upanema está promovendo este ano um curso de capacitação para professores e líderes di ministério infantil.
Hoje, aconteceu a formação do módulo III, didática nas Lições bíblicas que foi ministrado pela irmã Leonilde sobral, uma das coordenadoras do Depin, ao longo do ano serão 8 módulos e um TCC.Deus já tem abençoado grandemente e despertado muitos para fazer essa urgente obra de evangelizar e discipular criancas na nossa cidade. O curso tem mais de 70 inscritos e está sendo superando as expectativas. Muito aprendizado e melhoria no ensino das criancas da nossa igreja.
[21/5 18:50] +55 84 9668-5156: No encontro de hoje foi aberto um espaço para falar do18 de Maio. Uma data q nos convida a combatermos o abuso e exploração sexual de criancas e adolescentes. Na ocasião esteve presente a presidente do CMDICA e articuladora do selo UNICEF Josenilda Alves.


Dia de Evangelização Global pretende alcançar 200 países no próximo sábado

sexta-feira, maio 20, 2016

"Deus está trabalhando na vida das pessoas ao nosso redor. Podemos confiar que, se cruzarmos com alguém que não conhece a Jesus, é porque Deus quer nos usar para apresentá-Lo a elas", diz o diretor de um dos institutos inscritos para a mobilização.


FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO CHRISTIAN POST

O Global Outrreach Day pretende propagar o evangelho em até 200 países no próximo sábado. (Foto: Live Net)
O Global Outrreach Day pretende propagar o evangelho em até 200 países no próximo sábado. (Foto: Live Net)
Enquanto o mundo se prepara para o Dia de Evangelização Global ("Global Outreach Day") no próximo sábado (21) - um movimento de mobilização massiva para compartilhar as boas novas - um ministério internacional diz que o aumento do número de descrentes na América do Norte e no mundo ocidental é uma oportunidade real para o evangelismo e conversas sinceras sobre salvação.
A visão do Dia de Evangelização Global é compartilhar o Evangelho para mais de 200 nações ao redor do mundo em um único dia, visando cumprir a Grande Comissão de Jesus Cristo para chegar a cada pessoa. Um grande número de organizações se inscreveram para participar do movimento, incluindo o 'Cru' (anteriormente conhecido como 'Campus Crusade for Christ'), que desde a sua fundação, em 1951, passou a ser representado em 191 países ao redor do mundo.
Matt Mikalatos, o diretor do Cru, que viaja para fazer divulgação do instituto e ministrar palestras em todo o mundo, disse ao 'Christian Post', em uma entrevista que o crescente número de descrentes na América do Norte não é uma dificuldade, mas sim "uma grande oportunidade" para que os cristãos se expressam abertamente sobre sua fé.
"Eu tenho amigos ateus que me enviam pedidos de oração. Temos de lembrar que o termo 'evangelho' significa 'boas novas' e todo mundo quer receber uma boa notícia. Não se esqueça, muitas pessoas que não conhecem Jesus não são antagônicas... elas estão apenas inconscientes. Eu compartilhei a mensagem de Cristo com um estudante universitário há alguns anos e ele me disse: 'Toda noite eu tenho orado a Deus dessa forma: Se você é real por favor, revele-se a mim, mas Ele ainda não havia me respondido. Acho ele te enviou como uma resposta às minhas orações", disse Mikalatos, citando a fala do jovem.
"Deus está trabalhando na vida das pessoas ao nosso redor. Podemos confiar que, se cruzarmos com alguém que não conhece a Jesus, é porque Deus quer nos usar para apresentá-Lo a elas. O número crescente de incrédulos na sociedade não é a única evidência de que Jesus nos trouxe a este lugar para sermos luz e embaixadores do Seu amor.Isso é um grande privilégio", acrescentou.
Quanto à ideia por trás do Dia de Evangelização Global, Mikalatos refletiu que Jesus ensinou que a construção de um reino pode começar com algo tão modesto como plantar uma semente na vida de alguém.
"A maior esperança e potencial por trás Dia de Evangelização Global é que muitas pessoas quiseram ouvir as boas novas sobre Jesus e começar um relacionamento com Ele", disse ele.
Para saber mais sobre este projeto, acesse globaloutreachday.com/pt-br .

Nos últimos minutos de vida, menina cristã queimada pelo Estado Islâmico clama: "Perdoa-lhes"

quinta-feira, maio 19, 2016

Com apenas 12 anos de idade, a menina faleceu nos braços de sua mãe depois que terroristas atacaram a casa de sua família em Mossul, ao norte do Iraque.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE CHRISTIAN TODAY

Com apenas 12 anos de idade, a menina faleceu depois que terroristas atacaram a casa de sua família. (Foto: Getty Images)
Com apenas 12 anos de idade, a menina faleceu depois que terroristas atacaram a casa de sua família. (Foto: Getty Images)
Em seus últimos instantes de vida, uma menina cristã que havia sido queimada por militantes do grupo terrorista Estado Islâmico (EI) fez um clamor, nos braços de sua mãe: “Os perdoe!”.
Com apenas 12 anos de idade, a menina faleceu depois que terroristas atacaram a casa de sua família em Mossul, ao norte do Iraque. Sua história foi contada em uma conferência sobre a perseguição contra os cristãos em Nova York, no último mês.
De acordo com os relatos, a menina estava tomando banho quando os jihadistas bateram na porta da casa. "Vocês tem duas opções: ou saem ou pagam a jizya (imposto cobrado aos cidadãos não muçulmanos)", disseram os homens à mãe da garota.
"Eu vou pagar, só me dêem alguns segundos, a minha filha está no chuveiro", respondeu a mulher.
Neste momento, os militantes invadiram a casa gritando: "Você não tem alguns segundos". Depois de ter a casa incendiada pelos islâmicos, mãe e filha conseguiram escapar. A criança teve queimaduras graves e foi levado às pressas para o hospital.
Ela morreu nos braços de sua mãe, na clínica médica. Suas últimas palavras foram: "Os perdoe".
Jacqueline Isaac, a defensora dos direitos humanos que relatou a história, estava entre uma série de oradores do evento #WeAreN2016, que durou três dias. "No meio da escuridão, há luz, há esperança", disse ela.

Foto de menina orando por morador de rua viraliza

quarta-feira, maio 18, 2016


Criança trocou presente de aniversário por doações para abrigo.
A pequena Harmony, quando estava prestes a completar 9 anos, foi perguntada sobre o que queria de ganhar de presente de aniversário. Surpreendentemente, a menina pediu que o dinheiro fosse usado para comprar produtos de higiene para moradores de rua. O pedido foi estendido a toda a família.
A foto e o testemunho postado nas redes sociais por Aris Billingsley, prima da menina, mostra a criança orando por um morador de rua. Ela foi tirada durante a entrega das doações a um abrigo para sem-teto em Chicago.
O homem na foto, cujo nome não foi revelado, curvou-se e, depois da oração, chorou. A imagem teve muita repercussão nas redes sociais, viralizando em pouco tempo.
Foram mais de 11 mil compartilhamentos e nos comentários as pessoas se mostram encantadas com a fé da menina. A imagem foi notícia em sites de vários países. Graças a Harmony, muitas pessoas mostraram interesse em doar itens para ajudar o abrigo.
Fonte:www.gospelprime.com.br

Falta apenas uma semana para o DIP 2016

terça-feira, maio 17, 2016

Ainda dá tempo de cadastrar sua igreja e participar do grande movimento nacional de oração pelos cristãos perseguidos no Iraque e na Síria.



DIP (Domingo da Igreja Perseguida) é o dia em que milhares de igrejas em todo o Brasil se organizam para orar especialmente pelos cristãos perseguidos ao redor do mundo. Esse movimento tem sido como uma mão estendida para aqueles que sofrem pelo nome de Cristo, suportando todo tipo de privação. A Bíblia nos diz que a oração de um justo é poderosa e eficaz (Tiago 5.16b). Imagine a oração de milhares de justos ao mesmo tempo e com o mesmo propósito. Nesse pensamento, no ano de 1988, o irmão André, fundador da Portas Abertas, criou o DIP a fim de envolver todos os cristãos livres de perseguição nesse propósito tão nobre.
A cada ano, um novo tema é escolhido através da inspiração do Espírito Santo e muita oração. Em 2013, quando o DIP comemorou seus 25 anos, o tema foi "Um com eles", com a base bíblica em 1 Coríntios 12.26: "Quando um membro sofre, todos os outros sofrem com ele; quando um membro é honrado, todos os outros se alegram com ele". Em 2014, o tema "Líderes e Pastores na África Negra" teve como objetivo principal apoiar líderes cristãos africanos que enfrentam muitos desafios ao evangelizar o povo, principalmente no norte da África. No ano de 2015, o tema "Servindo Cristãos Perseguidos no Mundo Muçulmano" abriu as cortinas de um difícil cenário, onde mais de 100 milhões de seguidores de Cristo sofrem com a perseguição e a violência, tendo de viver sua fé secretamente.
Esse ano, o tema "Esperança para a Igreja no Iraque e na Síria" tem seu foco voltado para as guerras que já duram há vários anos nesses países, apontando para o extremismo islâmico como principal causador da perseguição sofrida pelos cristãos sírios e iraquianos e também responsável pela maior crise migratória desde a Segunda Guerra Mundial, que tem deixado a comunidade cristã sem muita esperança quanto ao futuro. Junte sua voz para orar e falar por nossos irmãos e irmãs do Iraque e da Síria. O fruto do DIP é o fortalecimento de toda a família cristã espalhada pelo mundo. Ajude a manter a esperança viva. "Alegrem-se na esperança, sejam pacientes na tribulação, perseverem na oração". (Romanos 12.12).
Sua igreja ainda não está participando?
Corra, que ainda dá tempo. Mais de 7.550 igrejas de todas as regiões do Brasil já estão cadastradas. Não perca a oportunidade de aproximar seus irmãos livres de perseguição dos cristãos perseguidos. Cadastre-se agora mesmo!
Fonte: Portas Abertas

Você deixaria sua família para seguir a Cristo?

domingo, maio 15, 2016


Hoje, dia 15 de maio, no Dia Internacional das Famílias, a Portas Abertas faz uma reflexão sobre a difícil escolha que muitos cristãos têm de fazer para seguir Jesus em meio à perseguição.
Em 1993, durante uma Assembleia da Organização das Nações Unidas (ONU), quando estava sendo discutido alguns projetos para o futuro da instituição familiar, considerado o núcleo elementar da sociedade, um dia foi escolhido para homenagear todas as famílias do mundo, o dia 15 de maio. Desde então, todos os anos nessa mesma data o Secretário Geral da ONU faz um pronunciamento relacionado às famílias, refletindo sobre os atuais problemas enfrentados e sobre as medidas que serão tomadas para solucioná-los. No ano passado, por exemplo, o atual secretário da ONU, Ban Ki-Moon, discutiu o tema "Homens no comando?", destacando a importância da igualdade de gênero e os direitos das crianças em famílias contemporâneas.
A Portas Abertas, no entanto, te convida hoje para refletir um pouco sobre a realidade vivida pelas famílias perseguidas por sua fé em Jesus. Muitos cristãos, tiveram de passar pelo momento delicado de escolher entre Cristo e suas famílias, isto porque na sociedade onde eles vivem, o cristianismo é extremamente proibido, chegando a ser considerado um crime. Seus seguidores são considerados apóstatas, traidores do Estado e até mesmo infiéis, dignos de severas punições e até mesmo submetidos à pena de morte.
A rejeição dos familiares é o que os cristãos normalmente enfrentam dentro de suas casas assim que se convertem. Muitos são espancados, expulsos e humilhados, tendo de viver em condições precárias e, na maioria das vezes, como cristãos secretos, frequentando reuniões clandestinas ou igrejas subterrâneas. A boa notícia é que cada um deles passa a integrar na família de Deus, cujo lar está no céu e aqui, ele pode contar com muitos irmãos.
Ajudando as famíliasA Portas Abertas trabalha para "ser família" nos momentos mais difíceis da vida deles, e através da ajuda de milhares de parceiros consegue fornecer ajuda humanitária, além de distribuir Bíblias e literatura cristã. Treinamentos, cursos para líderes, alívio pós-trauma, capacitação e transformação de conflitos, também fazem parte dessa missão. Cristãos perseguidos que estão em meio à guerra desejam sempre um olhar familiar, uma mão estendida, uma carta especialmente escrita para eles ou simplesmente tomar conhecimento de que a sua nova família está em oração, se compadecendo e intercedendo pela sua situação. Porque é assim que uma família deve ser.

Nesse dia, a Portas Abertas aproveita a oportunidade para agradecer a todos os membros dessa grande família pela união e comunhão. Juntos podemos fazer muito mais pelos nossos irmãos perseguidos e mostrar a eles que estamos aqui, pelo mesmo propósito, que é resgatar todos os que estão perdidos e necessitam voltar ao Pai, não pela força do nosso braço, mas através do poder da Palavra que diz: "Ele veio e anunciou paz a vocês que estavam longe e paz aos que estavam perto, pois por meio dele tanto nós como vocês temos acesso ao Pai, por um só Espírito. Portanto, vocês já não são estrangeiros nem forasteiros, mas concidadãos dos santos e membros da família de Deus". (Efésios 2.17-19)
Fonte:www.portasabertas.org.br

Fome espiritual está crescendo no Oriente Médio e África, segundo emissora cristã

sexta-feira, maio 13, 2016

O tema comum pelos quais os espectadores entram em contato com a emissora é que quase todos estão clamando por valor, significado e paz, de acordo com a rede de comunicação.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO CHRISTIAN TODAY

Cristãos participam de culto em igreja no Egito. (Imagem:  captura de tela / CNN)
Cristãos participam de culto em igreja no Egito. (Imagem: captura de tela / CNN)
A fome espiritual está crescendo no Oriente Médio e Norte da África, de acordo com a emissora cristã de radiodifusão que busca alcançar os cristãos perseguidos e descrentes nestas regiões.
"Nas últimas duas décadas, muitos conflitos têm eclodido em mais de metade dos países nos quais a SAT-7 serve - Iraque e Síria, em particular. Mas estes conflitos e o extremismo em nome da religião só aumentaram a profunda fome espiritual e a busca pela nossa programação", disse o Dr. Terence Ascott, fundador da emissora SAT-7.
O retorno dos espectadores às transmissões da SAT-7 aumentou três vezes em apenas cinco anos, com uma média de 270 por dia em 2010 para mais de 800 por dia em 2015.
O tema comum pelos quais os espectadores entram em contato com a emissora é que quase todos estão clamando por valor, significado e paz, de acordo com a rede de comunicação.
"A SAT-7 está ajudando a Igreja a ser sal e luz na sociedade, uma voz profética, mostrando um caminho diferente, para avançar. Este é um horário nobre para nós como um ministério. Isto vem em um momento em que o islamismo político está desacreditado e as pessoas estão procurando respostas para a desumanidade entre os homens", disse Ascott.
Em uma região do mundo onde vivem 500 milhões de pessoas, menos de 10% já conheceram um cristão, mas mais de 90% têm acesso à televisão por satélite.
A SAT-7 atinge 15 milhões de pessoas em cinco canais de quatro estúdios, situados no Oriente Médio, em três idiomas: árabe, farsi e turco.
O canal busca tanto alcançar os crentes perseguidos, como apresentar o Evangelho às pessoas que nunca ouviram essa mensagem antes.
"É um momento fantástico para nós estarmos em milhões de casas que são totalmente inacessíveis a outras formas de testemunho, com a divulgação do Evangelho de amor, paz, esperança e reconciliação", disse Ascott.

Conversões em massa em escola dos EUA intensificam avivamento

quarta-feira, maio 11, 2016

As brigas foram substituídas por reuniões de oração, palavrões substituídos por gritos de desespero ao Senhor, e a leitura das escrituras no início de cada dia de escola.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO SITE CHARISMA NEWS

Estudantes sendo batizados em pscina inflável na escola. (Foto: Wes Wilson Photography).
Estudantes sendo batizados em pscina inflável na escola. (Foto: Wes Wilson Photography).
As coisas estão bem diferentes na Mingo Central High School. Um grande reavivamento eclodiu entre os estudantes e as coisas nunca mais foram as mesmas. As brigas foram substituídas por reuniões de oração, palavrões substituídos por gritos de desespero ao Senhor e agora existe leitura das escrituras no início de cada dia de escola.
"O Senhor tem 'varrido' por esta área", disse Aerianna McClanahan, que faz parte do clube de oração da Mingo Central. "As pessoas têm estado ‘no fogo’. A sede que temos aqui é daquelas que nunca se acabam". No mês passado, centenas de estudantes deram suas vidas a Cristo e milhares de âmbito regional foram impactados. A oração do clube Mingo Central é patrocinada por um evento de culto liderado por estudantes que atraiu quase 3 mil pessoas e incluiu batismos em uma piscina inflável no campo de futebol da escola. As informações são do site Charisma News.
Júnior Blake Hackney e o sênior de Savannah Estep, ambos estudantes da Mingo Central aceitaram Jesus durante esta época do avivamento. "Eu levei todo esse tempo para entender que tenho um Senhor e Salvador", disse Blake. "Eu me senti como um enorme pedregulho e estava fora dos meus ombros", Blake continua "O que me motiva é o que eu penso sobre Deus. Eu penso sobre o que Ele fez. Ele morreu por nós, para que nós pecadores miseráveis pudéssemos ter a vida eterna. Ele morreu por mim, então eu vou viver para Ele".
Mudança na juventude
"Estamos orando para que nós sejamos uma geração que só acorda e usa o que Deus nos deu para quebrar todas as cadeias de gerações e maldições", disse Arienna, uma estudante envolvida no clube de oração.
A Pastora Katie Endicott acredita que este despertar espiritual é completamente único e algo para se alegrar. "Isto é o que nós acreditamos. Nós não desistir da esperança. Nós sempre soubemos que o Senhor estava enviando um verdadeiro avivamento e verdadeiro despertar para o sul da West Virginia. Nós tivemos muitos cultos de avivamento. Tivemos grandes movimentos de Deus. Mas não houve nada como isso", disse.

Mais de 80 refugiados convertidos ao cristianismo são batizados em um dia na Alemanha

terça-feira, maio 10, 2016

"O motivo para a mudança de fé é o mesmo para muitos: eles estão decepcionados com o islamismo", disse o pastor Albert Babajan, que realizou o batismo em massa.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO CHRISTIAN TODAY

Candidatos ao batismo participam de momento de louvor antes de celebrarem o ato efetivamente. (Foto: Stern)
Candidatos ao batismo participam de momento de louvor antes de celebrarem o ato efetivamente. (Foto: Stern)
Mais de 80 refugiados muçulmanos - do Irã e do Afeganistão - que se converteram ao cristianismo foram batizados na última quinta-feira (5), em Hamburgo, Alemanha.
"O motivo para a mudança de fé é o mesmo para muitos: eles estão decepcionados com o islamismo", disse o pastor Albert Babajan à revista alemã Stern. O líder cristão foi quem celebrou o batismo em massa.
Uma refugiada iraniana, chamada Shima, disse à Stern que "o islamismo nunca lhe trouxe sua liberdade" e que ela vivia sob "constante medo do pecado".
"Eu estive, por toda a minha vida, procurando pela paz e felicidade, mas no islamismo, eu não as encontrei", disse ela. "Ser cristão significa felicidade para mim".
Outro refugiado iraniano, Solmaz, disse: "No Islã, nós sempre viveu com medo. Medo de Alá, medo do pecado, medo da punição. No entanto, Cristo é um Deus de amor..."
A cerimônia foi realizada no parque da cidade de Hamburgo, e os convertidos usavam vestes brancas, antes de serem batizados no lago.
Conversões ao cristianismo entre a população de refugiados na Alemanha não são mais incomuns. O pastor Babajan batizou 196 muçulmanos em 2016 e, segundo informações, ele espera que esse número aumente para 500 até o final do ano.
Tem havido alguma suspeita quanto ao verdadeiro motivo por trás daqueles que procuram conversões ao cristianismo como forma de ganhar algum asilo.
Autoridades de imigração Alemanha dão prioridade aos refugiados cristãos, considerando que eles poderiam enfrentar um processo judicial ou até serem assassinados, se eles voltassem para seus países de origem.
No Irã e no Afeganistão, "apóstatas" (do islamismo) enfrentam a pena de morte.
"Se eu tiver a impressão de que alguém não crê de coração [em Cristo], então eu não irei batizá-lo(a)", disse Babajan.
Ao invés de seguir a litugia comum com a recitação de escrituras memorizadas, Babajan pergunta às pessoas batizadas sobre como suas vidas mudaram.
"Porque a fé cristã mudou sua maneira de pensar, sua visão de mundo. Se alguém me dissesse que pode perdoar um velho inimigo, por exemplo, então eu sei que em seu coração ele é um cristão", disse.
O pastor recusou-se a batizar muitos que ele suspeitava que estivessem mal-intencionados.
"Há talvez 20 ou 30 por cento que realmente querem ouvir o evangelho. Para aqueles que querem simplesmente ter uma licença, devo fechar as portas... É muito fácil: quem não crer que não será batizado", disse.

Além da Alemanha, a Áustria também está vivendo um contexto de muitas conversões e batismos de refugiados, com dezenas de migrantes declarando sua fé em Cristo e se apresentando para batismos em igrejas cristãs.

Cristãos sírios clamam por Dia Internacional de Oração por seu país

segunda-feira, maio 09, 2016

O dia de oração foi solicitado, após o bombardeio intensivo que recentemente trouxe ainda mais devastação para a cidade, matando centenas e até mesmo atingindo hospitais, de acordo com a Missão Portas Abertas.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO CHRISTIAN TODAY

Bombardeios contra Aleppo atingiram hospitais, casas e centenas de civis, no dia 30 de abril. (Foto: Reuters)
Bombardeios contra Aleppo atingiram hospitais, casas e centenas de civis, no dia 30 de abril. (Foto: Reuters)
Neste domingo (8), cristãos de Aleppo (Síria) se uniram para fazer um apelo de nível internacional, pedindo por um dia oficial de orações por seu país.
O dia de oração foi solicitado, após o bombardeio intensivo - resultanta da guerra entre o Estado Islâmico e forças armadas sírias - que recentemente trouxe ainda mais devastação para a cidade, matando centenas e até mesmo atingindo hospitais, de acordo com a Missão Portas Abertas - grupo de vigilância que os cristãos perseguidos em todo o mundo.
Uma das pessoas mortas nos últimos bombardeios foi um bebê que havia acabado de nascer.
"Estamos pedindo-lhes que se juntem a nós em um dia de oração e jejum internacional por Aleppo, pela Síria. Estamos nos recusando a ver mais mortes em nosso país e estamos declarando a ressurreição de Cristo em nosso amado país", disse um cristão de Aleppo.
Outro homem descreveu o ataque que atingiu um hospital alguns dias atrás: "Hoje, o hospital onde minha esposa deu à luz a nossa filha, foi atingido. Aquele era o melhor hospital maternidade em Aleppo. Ele também era considerado como um dos mais importantes hospitais para o tratamento de infertilidade no Oriente Médio".
"Para mim e minha esposa, isto muito simbólico. Era o local onde minha filha nasceu e um lugar onde os novos bebês chegam a este mundo e novas vidas começam. Hoje ele está cheio de morte e destruição".

Apoio

No início do ano, a Missão Portas Abertas firmou parceria com uma igreja local em Aleppo para cavar um poço e garantir garantir o fornecimento de água potável para a cidade, após o abastecimento de água ter sido cortado em 2014 e 2015. No ano passado, o grupo também atendeu cerca de 50.000 pessoas na Síria, doando alimentos, medicamentos e pagando aluguéis.
Um líder cristão de Aleppo disse no início deste ano que o povo sírio vive um contexto "difícil e cansativo".
"A situação que vivemos em Aleppo tornou-se muito difícil e cansativa. Não há nenhuma renda para a maioria das famílias na cidade. Nosso trabalho nunca para, mas aumenta mês a mês... estamos também trabalhando para apoiar as pessoas psicológica e moralmente, porque nos preocupamos com todos os aspectos dessas vidas", afirmou em um comunicado a organizações cristãs ocidentais, como a Missão Portas Abertas.
"As pessoas em Aleppo oram por vocês e o seu auxílio é de grande ajuda para elas. Obrigado. Nós os apoiamos com tudo o que podemos e com toda a nossa força, porque as pessoas em Aleppo estão muito cansadas e até mesmo se desesperaram por causa desa situação".
Atualmente, a Síria está na 5ª posição, entre os países com nível mais alto de perseguição religiosa, listados pela Missão Portas Abertas.

“A única arma que temos é a oração”, diz avivalista Albert Kankienza sobre terrorismo na África

domingo, maio 08, 2016

Embora existam preocupações relacionadas ao terrorismo, os líderes evangélicos são procurados para aconselhar as autoridades da República do Congo, como acontece com o bispo Albert Kankienza. Assista a entrevista completa!

FONTE: GUIAME, LUANA NOVAES

O bispo Albert Kankienza é conselheiro de Denis Sassou Nguesso, presidente da República do Congo. (Foto: Guiame/ Marcos Paulo Corrêa)
O bispo Albert Kankienza é conselheiro de Denis Sassou Nguesso, presidente da República do Congo. (Foto: Guiame/ Marcos Paulo Corrêa)
Há cerca de 30 anos, a única igreja que tinha espaço na República do Congo, na África, era a Católica. Hoje em dia o cenário é outro — líderes evangélicos são procurados pelas autoridades do país, como acontece com o bispo Albert Kankienza, conselheiro de Denis Sassou Nguesso, presidente da República do Congo.
“Isso significa dizer que Deus nos permitiu uma grande ocupação”, disse Kankienza, que é pastor presidente das Igrejas de Avivamento na África, em entrevista exclusiva ao Guiame. Por outro lado, enquanto os pastores se aproximaram da presidência do Congo, os líderes católicos formaram uma oposição.
“Há três ou quatro meses, o principal líder da Igreja Católica [do Congo] esteve na Bélgica, e foi recebido por políticos. Perguntaram a ele: ‘Por que você não apoia mais o presidente da república?’ Ele disse: ‘Eu não o apoio e também nunca o aceitarei, porque ao seu redor só tem pastores das Igrejas de Avivamento. Ele não escuta o que temos dito a ele’”, relembra.
O relato, que foi veiculado na revista “Jeune Afrique”, demonstra que a Igreja Católica não está contente por ter perdido espaço, mas para Kankienza, este é o tempo de Deus. “Nossas igrejas estão ocupando espaço, e sempre hão de ocupar espaço”, diz o bispo.
Terrorismo
A Nigéria e a República Centro Africana, um dos países mais afligidos pela atuação do grupo terrorista Boko Haram, são localizados nas proximidades da República do Congo. Diante disso, a igreja congolesa se encontra em preocupação, de acordo com o bispo.
“Pode perceber que é fácil o Boko Haram chegar até o nosso país. Nós estamos muito preocupados e orando muito sobre isso. O nosso país não tem condições de lutar contra esses terroristas, porque não temos meios, como os europeus têm. A única arma que a gente tem é a oração”, afirma Kankienza.
Assista a entrevista completa:
Missões
O avivamento teve início na República do Congo em 1969, quando o evangelista americano Tommy Lee Osborn liderou o primeiro movimento de cruzadas evangelísticas no país. Depois dele, um movimento pentecostal de avivamento surgiu, e tomou as igrejas congolesas.
“Os missionários na África trouxeram uma coisa que não podemos ignorar, mas hoje em dia os filhos do país se levantaram e estão fazendo um grande trabalho”, ressalta  Kankienza.
O avivamento no Congo resultou em igrejas abertas não apenas ao redor da África, mas também em pontos da Europa como França, Bélgica, Londres e Itália. “Hoje em dia, o Congo é que envia missionários”, afirma o bispo.

Albert Kankienza é conselheiro de Denis Sassou Nguesso, presidente da República do Congo. (Foto: Guiame/ Marcos Paulo Corrêa)

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *