Norte-coreano agradece pelos cristãos perseguidos 

sábado, dezembro 30, 2017

O cristão expressa a voz de mais de 215 milhões de cristãos perseguidos ao redor do mundo

Ser grato é reconhecer que precisamos do outro e que sozinhos não podemos fazer muito. Desde que nascemos, necessitamos dos cuidados e amor de alguém para sobreviver. Chegando ao final de mais um ano, podemos olhar para o ano que passou e ser gratos a Deus por suas incontáveis bênçãos e, sobretudo, por seu amor fiel e presença conosco.

Nossos irmãos da Igreja Perseguida, que são um exemplo de fé para nós, também agradecem, pois sabem o valor da oração, que é o que os sustenta. Hoje registramos as palavras de um irmão norte-coreano, que expressa sua gratidão pelo amor que tem recebido da igreja livre. A Portas Abertas também é grata por sua parceria, que tem nos possibilitado mostrar esse amor de forma prática aos nossos irmãos perseguidos. 

“Nós, cristãos da igreja subterrânea da Coreia do Norte, somos tão gratos por sua preocupação e amor. Vocês realmente têm suprido nossas necessidades. Lembramo-nos das mãos fiéis e amorosas daqueles que nos apoiam, nossos irmãos e irmãs ao redor do mundo. Estamos completamente determinados a seguir a vontade de Deus e o chamado que recebemos dele”, expressa o cristão norte-coreano, que representa a Igreja Perseguida.

Fonte:https://www.portasabertas.org.br

Igreja é perseguida também no Chile

quinta-feira, dezembro 28, 2017

Igrejas queimadas e congregações ameaçadas no país nos últimos anos

Na região de Araucanía, ao sul da capital Santiago, no Chile, 27 igrejas foram queimadas nos últimos anos. Os ataques foram realizados pelo grupo radical indígena Weichan Auka Mapu. O grupo supostamente defende os direitos dos mapuches, uma tribo ancestral que vivia no país antes da colonização espanhola. Mas hoje os mapuches são formados por 87% de cristãos, entre católicos e protestantes.

Vinte igrejas (12 católicas e 8 protestantes) foram queimadas entre 2015 e 2016 e outras sete, em 2017. Muitas delas serviam também como escolas e abrigos para pessoas deslocadas devido a desastres e eram frequentadas pelos próprios mapuches. Juan Mella, presidente do conselho de pastores da região e pastor de uma igreja queimada em julho, lembra claramente o momento em que sua igreja de madeira foi reduzida a cinzas. Ela havia sido construída 15 anos atrás com dinheiro levantado pelos próprios fiéis.

O caso que se tornou mais notório, quando homens mascarados invadiram o culto de domingo de uma igreja e a incendiaram, foi o único que levou a prisões até agora. Quatro homens foram detidos e estão sendo investigados por possível ligação com o Weichan Auca Mapu, que exige a libertação de prisioneiros mapuches e reivindicou a autoria dos ataques. Eles deixaram uma mensagem escrita na igreja: “Cristianismo, cúmplice da repressão do povo mapuche”.

Em setembro, mais quatro igrejas foram queimadas e outras congregações, ameaçadas. Isso levou a polícia a colocar guardas nas duas igrejas da região. Luis Torres, o advogado de acusação dos quatro detidos, diz: “Além dos ataques, há os panfletos que eles deixam com suas exigências e justificativas do comportamento”. Devido à pressão da advogada de defesa, Pamela Nahuelcheo, o governo decidiu em outubro que os homens seriam acusados apenas por incêndio e não por terrorismo. Desde então já houve duas audiências.

O conselho de pastores de Araucanía publicou uma nota, dizendo: “É responsabilidade do Estado garantir que eventos como esses não aconteçam novamente, assegurando que justiça seja feita aos responsáveis, assim como protegendo as vítimas e garantindo que a igreja seja reconstruída”. Ore pelos cristãos perseguidos do Chile que tiveram suas igrejas destruídas. Clame por sabedoria para os pastores, líderes cristãos e advogados e para que a justiça de Deus se manifeste

Fonte:https://www.portasabertas.org.br

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *