CRISTÃ INDIANA É ENCONTRADA MORTA EM VILAREJO

segunda-feira, maio 07, 2018

Ashani decide se casar com o namorado hinduísta e dois dias depois é encontrada morta


 por Luiz Fernandes 07de Maio 2018        

 Família de Ashani continua firme na fé mesmo após a morte da irmã e filha


Ashani cresceu em uma aldeia rural na Índia. Assim como outras adolescentes, ela queria amar e ser amada. Ela conheceu um homem hinduísta e implorou aos pais para casar-se com ele. Eles relutantemente concordaram, mas avisaram ao futuro genro que ela era cristã e ele deveria respeitar sua decisão. Dois dias depois, Ashani foi encontrada morta.


Em 11 de março de 2018, ela perguntou a seus pais se poderia se casar com ele. Depois de consultar o pastor, os pais finalmente concordaram. "Ashani queria se casar com ele pois ela já tinha 19 anos de idade e muitas meninas na Índia se casam mais jovens. Encontrar um marido cristão aqui é difícil. É por isso que os pais dela cederam ao desejo dela. Não podemos questionar agora, seria desrespeitoso”, diz um cristão local que estava em contato com a família.

Como os pais não queriam que ela se convertesse ao hinduísmo, quando o homem ligou para falar sobre o casamento, a família avisou que eles eram cristãos. Ele estava planejando passear com ela naquele dia, mas adiou o passeio. Na manhã do dia 12, por volta das 4h da manhã, a mãe de Ashani percebeu que a filha não estava em casa. No começo, ela apenas pensou que Ashani havia saído de casa cedo. Quando ela não voltou, a família procurou pelo vilarejo o dia todo, mas não conseguiram localizá-la. À noite, ela ainda não havia retornado. No dia 13, sua mãe telefonou para o noivo: "Ele estava bêbado e disse que ele não sairia com Ashani sem a permissão da mãe dela, mas ela ficou extremamente preocupada”.

Sede de justiça

O corpo da cristã foi encontrado pendurado em uma árvore. A mãe dela foi impedida de vê-la, ao invés disso, a polícia retirou o corpo dali e toda a comunidade disse que ela havia cometido suicídio e era louca. A polícia escreveu essa declaração, apesar das objeções do pai de Ashani. “Se ela foi sequestrada, violentada e morta, nos dê uma prova. Traga testemunhas para nós”, disse a polícia.

O pastor de Ashani disse que há testemunhas que ouviram a cristã gritar e fugir de um grupo de homens pela floresta, entre eles o noivo. “A família está muito assustada, eles têm mais quatro filhas e não estão seguros. Ninguém quer testemunhar e a polícia não está ajudando”, compartilhou um colaborador local da Portas Abertas.

Fonte:https://www.portasabertas.org.br

You Might Also Like

0 comentários

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *