____________________________________________________________________________________________

____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________________________

domingo, 22 de julho de 2018

ATUAÇÃO EFETIVA NA RECONSTRUÇÃO DA SÍRIA

Trabalho realizado por meio da sua contribuição permite a reconstrução das vidas dos cristãos locais


 22 DE JULHO DE 2018   

 Grande parte do orçamento destinado aos sírios foi usada em ajuda emergencial (Foto representativa)


Na Revista Portas Abertas deste mês mostramos histórias de famílias na Síria que estão recomeçando suas vidas. Roger*, o coordenador da Portas Abertas no país, compartilhou um pouco sobre o trabalho que vem sendo realizado. “Eu estou muito impressionado com os líderes das igrejas na Síria. Eles dizem ‘Deus nos chamou, nós sabemos que devemos estar aqui’. E temos visto grande coisas acontecendo. Entre elas, pessoas buscando a fé e muçulmanos se convertendo. Os líderes das igrejas arriscam suas vidas, mas isso tem um impacto nas pessoas”, ele conta.


O trabalho de ajuda da Portas Abertas na Síria teve início em 2008, porque já havia perseguição a cristãos ex-muçulmanos e discriminações contra as igrejas. No mesmo ano, com a crise no Iraque, muitos refugiados vieram para o país. As igrejas entraram em ação por meio de ajuda emergencial e treinamento pós-trauma. Entre as primeiras ações da Portas Abertas no país estão a distribuição de Bíblias e lieratura cristã e alguns discipulados para cristãos de igrejas domésticas.

Em 2010, foi realizada uma conferência de oração que reuniu 450 líderes e membros de igrejas. O Irmão André, fundador da Portas Abertas, esteve presente e falou sobre os custos de seguir a Jesus. Isso aconteceu apenas alguns meses antes da guerra começar. No inverno de 2010/2011, a chamada Primavera Árabe foi manchete pelo mundo. Em março de 2011, os sírios foram às ruas e em breve os protestos se tornariam violentos. A igreja de Homs pediu ajuda e naquele período a Portas Abertas era a única com uma rede ampla no país.

Os esforços para ajudar os desabrigados cresceram ao longo dos anos. A maior parte do orçamento foi destinada para ajuda emergencial e projetos de reconstrução. Outra ajuda importante foi a atuação dos parceiros. “Nossos apoiadores têm encorajado os cristãos. Reuniões de oração nas igrejas, iniciativas de pastores, campanhas de conscientização. Tudo isso tem encorajado a igreja na Síria. Eles se alegram porque não foram esquecidos”, explicou Roger. Além disso, muitos estiveram ao lado dos irmãos sírios por meio de ajuda financeira e envio de cartões.

Uma questão de sobrevivência
Você também pode ajudar na reconstrução da vida de cristãos da Síria, permitindo que continuem no país. Tendo onde morar e com as necessidades básicas supridas, esses irmãos poderão ajudar no papel de reconstrução da nação. Por meio da sua doação, eles receberão itens de primeira necessidade para que experimentem a cura necessária para um recomeço.

Pedidos de oração

Agradeça a Deus pela vida dos cristãos que permaneceram na Síria e por aqueles que estão voltando e reconstruindo as cidades.


Ore para que depois de se instalarem, os cristãos tenham condições de se desenvolver, com educação e trabalho.


Clame pelo fim da guerra e para que tenham paz e justiça. Peça por um ambiente em que cristãos possam desfrutar de igualdade e respeito.


Fonte:https://www.portasabertas.org.br

Cruzada Evangelística no Sítio caraúba

sábado, 21 de julho de 2018

A IMPORTÂNCIA DAS IGREJAS DOMÉSTICAS NA ÁSIA CENTRAL

Sem poder ir à igreja por causa dos parentes muçulmanos, Rina participa apenas de cultos em casas


 21 DE JULHO DE 2018   

 Nas igrejas domésticas pessoas conhecem mais sobre Cristo e têm a fé fortalecida (Foto representativa por segurança)


Rina* é uma jovem cristã ex-muçulmana que mora em um dos países da Ásia Central. Ela participa de uma igreja doméstica e ali sua fé em Jesus é fortalecida. Com isso, decidiu entregar a vida para Jesus e se batizar.


Os parentes ainda não sabem sobre a nova fé, por isso ela não pode ir aos cultos de domingo na igreja. Por serem muito convictos em sua crença, se descobrirem podem matá-la por causa da decisão de seguir a Cristo.

A igreja doméstica é o lugar onde Rina pode encontrar outros cristãos e saber mais sobre Jesus. “Eu estava ferida por minha vida antiga e por meus pecados. Eu estava perdida, mas Cristo me encontrou. Ele curou o meu corpo, minha alma e meu espírito”, conta ela.

Pedidos de oração

Ore pela segurança de Rina. Ela se coloca em perigo todas as vezes que visita cristãos.


Apresente os parentes dela, para que aceitem a verdade e sejam alcançados pelo amor de Deus.


Peça ao Senhor para que a fé de Rina seja fortalecida e que ela possa conhecer cada vez mais a Cristo.


*Nome alterado por segurança.

Fonte:https://www.portasabertas.org.br

quinta-feira, 19 de julho de 2018

Tribunal Liberta Cristão que foi Preso por causa da sua Fé na Argélia



Um cristão argelino que foi preso e teve que pagar uma multa por carregar uma Bíblia e outros itens religiosos foi libertado. Idir Hamdad, de 29 anos, tinha sido condenado no dia 28 de setembro de 2017 e recebeu a sentença máxima de seis meses de prisão, bem como uma multa. 

 

Hamdad, que está envolvido no ministério infantil de uma igreja protestante na cidade de Tizi Ouzou, foi preso após ser abordado no aeroporto de Argel, capital da Argélia, e submetido a longos interrogatórios policiais, segundo o site World Watch Monitor.

 

Hamdad foi acusado de levar na sua bolsa alguns itens com inscrições cristãs, crucifixos, chaveiros e lenços. Mas na última segunda-feira (9), o tribunal retirou as acusações contra ele mesmo depois de ter sido foi informado que poderia sofrer uma sentença ainda maior.

 

Convertido

A corte em Dar-El-Beida descobriu que Hamdad foi processado “simplesmente porque ele se converteu ao cristianismo, e o que ele carregava eram apenas prendas”. Portanto, o tribunal pronunciou a sua “absolvição total” e pediu ao tesouro público que pagasse as taxas e os custos relacionados à acusação."

 

Estou feliz por finalmente estar livre", disse Hamdad ao World Watch Monitor. "Eu não preciso mais viajar até Argel, cerca de 200 km, para me apresentar ao juiz e responder às falsas e injustas acusações", comentou.

 

Salah Chalah, o pastor da igreja de Hamdad, comemorou o resultado e disse que foi fruto da "mobilização dos nossos amigos e irmãos através das orações e da pressão diplomática".

 

"No entanto, isso não significa que todos os nossos problemas sejam resolvidos", disse Chalah, que também é vice-presidente da Igreja Protestante da Argélia. “Por isso, é importante permanecer vigilante até que a Igreja na Argélia possa obter o seu registo completo e se torne uma realidade social com a qual as autoridades devem lutar”.

 

Perseguição

Igrejas e cristãos na Argélia enfrentam uma crescente perseguição nos últimos meses, suspeita-se que essas pressões sinalizem uma "campanha coordenada de acção intensificada contra as igrejas pelas autoridades governamentais", segundo o grupo cristão Middle East Concern.

 

Em março, dois cristãos foram multados em 100 mil dinares (cerca de 800 euros) por um tribunal em Tiaret, cerca de 300 quilómetros a sudoeste de Argel. O motivo foi por eles transportarem 50 Bíblias dentro de um carro. O caso aconteceu em março de 2015, mas foi revivido quase três anos depois.

 

Motivos de Oração:

Ore pela Igreja na Argélia, para que a perseguição acabe.


Ore por Idir Hamdad para que a sua fé permaneça firme e para ele continue a fazer a obra de Deus.


Ore pelos cristãos que são presos todos os dias em diversos países do mundo, apenas por amar e servir a Cristo


Fonte:https://www.vozdosmartires.com

terça-feira, 17 de julho de 2018

CASAL DE PASTORES É DEPORTADO DO NEPAL

Após descoberta de trabalho religioso no país, ambos são acusados de proselitismo e têm visto anulado


 17 DE JULHO DE 2018   

 Ore pela liberdade religiosa no Nepal e apresente também os governantes e autoridades locais


Um casal de cristãos foi deportado do Nepal após serem acusados de proselitismo – esforço contínuo para converter alguém – que é crime no país. De Vera Richard, das Filipinas, e a esposa Rita Gonga, da Indonésia, tinham um visto de trabalho e cuidavam de um restaurante. Porém após queixa apresentada ao Ministério do Interior, foi iniciada uma investigação que descobriu que eles trabalhavam também como pastores em uma igreja em Kumaripati, área residencial de Patan, cidade ao sul da capital Catmandu.


A deportação ocorreu porque eles estavam convertendo hindus em cristãos. O proselitismo é crime no Nepal punível com pena de até cinco anos de prisão e multa de aproximadamente R$ 1800. A investigação apresentou que o trabalho do casal como pastores violava os termos do visto de um ano de trabalho, que agora foi anulado.

Em abril, o governo do Nepal anunciou que serão elaboradas novas leis e emendas para que existam providências legais que previnam a conversão religiosa. De acordo com o ministro do interior, Ram Bahadur Thapa, o cristianismo tem tentado levar o país a um conflito e novas estratégias estão sendo desenvolvidas para manter a união nacional. Em outubro do ano passado, o presidente nepalês Bidhya Devi Bhandari, assinou um projeto de lei que criminaliza a conversão religiosa. Alguns parlamentares deram declarações dizendo que a liberdade religiosa no Nepal está quase chegando no limite.

Apresente em oração a Igreja Perseguida no país, para que mesmo com as estratégias usadas pelo governo, eles consigam testemunhar sobre Cristo. Interceda pelo governantes e autoridades, peça que eles sejam justos em suas decisões. Ore pelos novos convertidos que enfrentam perseguição da família e comunidade.

Fonte:https://www.portasabertas.org.br

sexta-feira, 13 de julho de 2018

QUANDO OS PERSEGUIDORES ESTÃO DENTRO DE CASA

Conheça a história de Natasha, uma cristã de Mali cuja principal fonte de perseguição é a família


 13 DE JULHO DE 2018   

 Mesmo depois de quarenta anos desde sua conversão, as irmãs de Natasha continuam a perseguindo


Natasha é uma cristã ex-muçulmana de Mali que tem enfrentado perseguição e exclusão social durante as quatro décadas que serve a Cristo. A família não aceitou a mudança da fé e deixou claro que ela não era mais bem-vinda. Mesmo depois de se casar, a pressão dos parentes continuou. Tudo piorou com a tomada de Mali por islâmicos radicais em 2012.


Um de seus filhos, Alexander, foi sequestrado. Como ele fingiu ser surdo e incapaz de falar, foi apenas agredido e depois solto. Natasha se mudou visando a segurança da família. Com a sua ajuda, a Portas Abertas pode pagar o aluguel e ajudá-la a em breve abrir seu próprio negócio. Dessa forma, ela será capaz de sustentar a família.

Mesmo com a mudança, a preocupação de Natasha é com os filhos. Alexander ficou traumatizado com o sequestro e Jean trabalha para muçulmanos. Ela teme que esse contato constante de Jean possa fazê-lo aceitar o islamismo. Além disso, a família continua sendo pressionada por vizinho muçulmanos e, principalmente, por parentes.

Agradeça ao Senhor pela fé de Natasha. Ore para que ela experimente a provisão de Deus e que possa ter sabedoria ao administrar o novo negócio. Peça ao Espírito Santo que trabalhe na vida dos parentes de Natasha e para que os corações possam se abrir para as verdades de Cristo. Apresente também Alexander e Jean, que eles possam ter a fé consolidada em Jesus.

Fonte:https://www.portasabertas.org.br

quarta-feira, 11 de julho de 2018

Muçulmanos Perseguem Cristãos em Campos de Refugiados



 


Cristãos iranianos foram brutalmente atacados por muçulmanos, que os ameaçaram de morte com facas e com gasolina, num campo de refugiados na Grécia. Dois deles ficaram gravemente feridos e foram encaminhados para um hospital.

 

Segundo a "Missão 222", que ajuda ex-muçulmanos convertidos a Cristo, as agressões ocorreram enquanto um pequeno grupo realizava um estudo bíblico no Campo de Refugiados de Koutsochero.

 

Os iranianos vieram da Turquia para a Grécia, em busca de asilo. A presença de cristãos atraiu a atenção dos muçulmanos que vivem no local.

 

“Eles foram espancados e ameaçados de morte. Dois cristãos tiveram que ir ao hospital. Duas mulheres e duas crianças pequenas que estavam no estudo bíblico também foram ameaçadas. Eles deitaram gasolina na tenda e gritavam ‘infiéis’ e os mandaram sair do acampamento”, disse um representante do "222".

 

Os missionários acreditam que o ataque partiu de outros iranianos. Após uma queixa formal à polícia, as vítimas foram transferidas para uma casa numa outra parte da cidade. Ninguém foi responsabilizado ou preso.

 

Claire Evans, líder regional da International Christian Concern, que monitora a perseguição a cristãos, disse que os muçulmanos que decidem seguir a Jesus sempre enfrentam grandes riscos.

 

“Os ex-muçulmanos muitas vezes são rejeitados e violentamente perseguidos pelos próprios familiares e amigos, que os consideram apóstatas. Frequentemente eles precisam fugir das suas casas e começar a vida do zero em outro lugar. Não é coincidência que estes cristãos em Koutsochero tenham sido escolhidos pelos muçulmanos do local”, disse Evans.

 

Ela ressalta que esse não é um caso isolado e que as autoridades têm dificuldades para controlar o que ocorrem nos campos de refugiado, onde as minorias frequentemente são agredidas pelos islâmicos.

 

Motivos de Oração:

Ore pelos refugiados cristão do campo de Koutsochero, para que Deus guarde as suas vidas e os protejam da violência anti-cristã.


Ore para que as autoridades possam agir de forma a evitar este tipo de perseguição.


Ore para que mais refugiados muçulmanos conheçam a Cristo nos campos de refugiados e tenham as condições de crescerem na fé.


Fonte:https://www.vozdosmartires.com

terça-feira, 10 de julho de 2018

Se nada for feito, Cristãos serão apenas história na Nigéria, diz Pastor


 


Quase 11 aldeias foram atacadas simultaneamente no Estado de Plateau, na Nigéria, no último fim de semana, o que levou à morte de mais de 200 cristãos (número atualizado) e os pastores locais a pedirem reconhecimento e assistência. 


 


O Rev. Gideon Para-Mallam criticou o derramamento de sangue que aconteceu no Estado de Plateau, na Nigéria, num vídeo recente.


 


Os relatórios oficiais indicam que o número de mortos é de 86, mas os moradores dizem que as autoridades mentiram para esconder as mortes em massa.


 


"O estado de Plateau deixou de ser um campo de extermínio ao longo dos anos, para se tornar hoje numa terra onde correm rios de sangue", diz Para-Mallam num vídeo.


 


Para-Mallam é o secretário regional da Irmandade Internacional de Estudantes Evangélicos em Jos, na Nigéria. Ele também fundou o grupo 'Citizens Monitoring Group', que trabalha com muçulmanos e cristãos na Nigéria.


 


"O que aconteceu no estado de Plateau no último fim de semana e Ali Plateau em parte desta semana, é muito triste, é decepcionante. O ciclo de violência e derramamento de sangue visitou novamente o povo pacífico de Plateau", disse o pastor.


 


"A história está a se repetir. Em 2010 ocorreu o massacre de Dogo Nahawua. Mais de 500 pessoas foram assassinadas num só dia. E isto se tornou um padrão que continua desde 2010 até agora. A todo momento, alguém é assassinado nas vilas. Não uma vila, mas duas, três vilas. De fato, na última semana, 11 vilas foram atacadas quase que simultaneamente durante um longo período de dias", acrescentou.


 


Para-Mallam destacou que há um razão específica para esses ataques e a motivação destes terroristas é de fato a intolerância religiosa.


 


"Por que isto está a acontecer? Este é um outro Boko Haram disfarçado.


Os terroristas Fulani são o Boko Haram disfarçado. O mesmo povo Fulani que vivia pacificamente com os fazendeiros repentinamente deixaram as suas varas e cajados que usavam para tocar o gado, e começaram a espancar e a matar fazendeiros, a destruir vilas, a matar mulheres e crianças incendiando as suas casas e expulsando-os das suas próprias casas", afirmou.


 


"Isto está a acontecer, porque o estado de Plateau é o epicentro do cristianismo e muito importante na Nigéria", acrescentou.


 


O pastor clamou por ajuda e alertou para uma possível extinção dos cristãos da Nigéria, se nada for feito para impedir estes massacres.


 


"A menos que alguma coisa seja feita para impedir isso, o cristianismo na Nigéria se tornará apenas história", lamentou.


 


Motivos de Oração:


Ore pelas igrejas e pelos cristãos na Nigéria, para que eles sejam fortalecidos e renovados pelo Senhor.


Ore para que o governo nigeriano tenha uma posição mais forte nas regiões onde a perseguição está mais intensa como no estado de Plateau.


Ore pelas famílias dos cristãos mortos nos ataques, para que Deus conforte os seus corações


Fonte:https://www.vozdosmartires.com

Apoio