____________________________________________________________________________________________

____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________________________

sábado, 19 de agosto de 2017

Como vivem os cristãos no Butão

19 ago 2017BUTÃO

Apesar da pressão e violência contra nossos irmãos, a jovem igreja butanesa está crescendo e experimentando milagres

De 2016 para 2017, o Butão subiu de 38º para 30º na Lista Mundial da Perseguição. Muito desse aumento deve-se ao crescimento da violência contra os cristãos. As poucas igrejas que existem são frequentemente monitoradas pelo governo, então a maioria dos cristãos prefere praticar a fé secretamente. A igreja butanesa é muito jovem, com a primeira geração de cristãos completando agora 20 anos. A nova geração lida com as mesmas dificuldades que seus pais enfrentaram há 20 anos, como a necessidade de discipulado e formação de liderança.

Diante desse cenário, a Portas Abertas tem trabalhado com eles através de programações que visam o sustento espiritual por meio de seminários, conferências para a liderança, treinamento de líderes, apoio às escolas bíblicas e retiro para jovens. O objetivo é equipar essas pessoas para que tenham condições apropriadas de articular a fé e também sejam testemunhos vivos de transformação em todas as áreas da vida.

Apesar das restrições, a igreja butanesa tem experimentado a manifestação de Deus no meio dos fiéis, através de curas, visões e sonhos. Pessoas que antes seguiam o budismo estão experimentando agora um relacionamento com Cristo. O que precisam agora é de um bom discipulado para firmar a fé em quem Jesus é, não apenas nos milagres que ele faz. Embora o cristianismo não seja aceito pela sociedade e ainda não seja reconhecido pelo governo, milagres seguidos de conversões têm ocorrido com frequência.

Fonte:https://www.portasabertas.org.br

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Ore pelo recomeço do irmão Yklas

18 ago 2017CAZAQUISTÃO

O pregador cumpre sentença de dois anos numa colônia penal e será libertado no final do ano

As acusações que pesam sobre o irmão Yklas Kabduakasov (54) são: extremismo religioso e distribuição ilegal de material cristão. Sim, ele distribuía material evangelístico e pregava o  evangelho para quem encontrava. O problema é que o governo não gostava disso. De acordo com a investigação, no período entre novembro de 2014 e agosto de 2015, o cristão dava palestras para estudantes universitários num apartamento alugado na capital Astana. Depois disso, ele foi condenado a dois anos de prisão por ato ilícito.

Ele trabalhava como segurança para uma empresa de construção, onde demonstrava uma vida piedosa. Várias vezes ele impediu que o material da empresa fosse roubado das obras. Yklas sempre foi conhecido como um homem honesto. Sua esposa e oito fihos, que foram deixados sem nenhuma assistência, aguardam ansiosamente pela liberdade e retorno do pai. Várias igrejas, pessoas e organizações estão ajudando a família. A Portas Abertas tem também a oportunidade de visitá-los de tempos em tempos.

A maior fonte de perseguição aos cristão no Cazaquistão é o governo que exerce controle sobre todo o país. Mais de 20% da população é cristã. Suas orações e apoio aos cristãos perseguidos cazaques são muito importantes. Ore pelo irmão Yklas que sera liberado nos próximos meses. Sua saída está prevista para outubro ou novembro deste ano. Peça por proteção, força e que ele tenha um recomeço de paz.

Fonte:https://www.portasabertas.org.br

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

No México, cristãos indígenas Wixárika são expulsos de seu povo

17 ago 2017MÉXICO

Ocupando a 41a posição na Lista Mundial de Perseguição, o México tem indígenas perseguidos por causa da sua fé em Cristo

Para muitos, é uma surpresa saber que o México está na atual Lista Mundial da Perseguição. Sim, esse país da América Latina ocupa a 41a posição entre os 50 países com maior grau de perseguição para com aqueles que seguem a Cristo. Em Tuxpan de Bolaños, uma comunidade indígena que se encontra no município de Bolaños, no Estado de Jalisco, cerca de 30 cristãos foram forçadamente retirados de sua comunidade.

Esses indígenas da etnia Wixárika foram literalmente despejados na beira da estrada a uma temperatura abaixo de zero, de onde só saíram quando a polícia veio resgatá-los e levá-los para a principal cidade de Bolaños. Eles foram deslocados, separados de suas famílias e forçados a começar do zero num lugar totalmente novo. A atual casa deles é um galpão. Um lugar que servia para armazenar engradados de garrafas de vinho e hoje é compartilhado pelos 30 cristãos. Eles dormem em beliches encostadas umas às outras, num calor insuportável, sem nenhum direito à privacidade.

Tudo isso porque um dia ousaram viver de forma diferente dos costumes e tradições de seu povo quando entregaram a vida a Jesus. Nas palavras do pastor, que também foi expulso junto com esse grupo: “Nosso Senhor Jesus Cristo nos transforma e limpa completamente, tirando toda sujeira, ganância, ódio; e ainda nos dá seu Espírito. Portanto, somos diferentes, não pensamos mais nos rituais e festas do nosso povo”.

Revista Portas Abertas
A edição deste mês aborda a realidade dos cristãos indígenas no México e na Colômbia. Ainda não recebe a nossa revista? Cadastre-se e fique mais próximos daqueles que compartilham da nossa fé, mas não da nossa liberdade.

Quer fazer mais por eles?
Há um projeto voltado ao fortalecimento dos nossos irmãos indígenas que são perseguidos. Saiba mais como você pode ajudá-los a permanecer firmes na fé.

Fonte:https://www.portasabertas.org.br

terça-feira, 15 de agosto de 2017

ILHA PARA CRISTO.

Fim de semana tenso no Quênia

15 ago 2017QUÊNIA

Dezenas de pessoas foram mortas a tiros e houve protestos contra os resultados das eleições; a igreja está em estado de alerta

De acordo com informações da agência de notícias AFP, pelo menos 16 pessoas morreram entre a sexta e o sábado, no Quênia, mas a Comissão Nacional de Direitos Humanos do país afirmou que 24 pessoas foram mortas a tiros durante os protestos contra os resultados das eleições de 8 de agosto. Colaboradores da Portas Abertas pediram orações por todos os cristãos quenianos, especialmente por aqueles que moram nas regiões Nordeste e Costeira, onde podem haver ataques oportunistas durante esse período de conflitos.

Os números das comissões eleitorais mostram que quase 80% dos 19 milhões de eleitores registrados emitiram suas cédulas. O presidente Uhuru Kenyatta garantiu um segundo mandato como presidente, ganhando 54,3% dos votos. Seus apoiadores estavam festejando, enquanto os partidários de Odinga protestaram em peso na capital e região Oeste.

Os protestantes alegam que houve fraude. A situação da igreja no país já era delicada. O grupo extremista islâmico Al-Shabaabestá sempre em ação e deixa claro seu objetivo de "limpar a nação" nos aspectos étnicos e religiosos. Um dos incidentes mais marcantes nessa nação foi a morte das 147 estudantes durante um ataque à Universidade de Garissa, em 2015. A maioria da população é cristã, mas os jihadistas lutam para mudar as estatísticas. Ore pela Igreja Perseguida no Quênia.

Fonte:https://www.portasabertas.org.br

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Líder cristão é morto a tiros

14 ago 2017COLÔMBIA

Até agora os policiais não desvendaram o motivo da morte; a igreja no país enfrenta violência e impunidade

Na Colômbia, país que ocupa o 50º lugar na atual Lista Mundial da Perseguição, um líder cristão de 31 anos foi morto a tiros na igreja onde ele atuava, em Puerto Valdivia. O crime ocorreu no final do mês de julho e, até agora, não ficou claro o motivo da morte. Policiais não acreditam que tenha alguma ligação com o crime organizado.

Um dos veículos de comunicação local noticiou recentemente que, o Ministro da Justiça apresentou um projeto de lei com propostas para reformar a legislação penal e penitenciária do país. Entre as medidas propostas, está a descriminalização da violação à liberdade religiosa. Ou seja, em vez de receber sentenças de prisão, os infratores estarão envolvidos em projetos sociais.

De acordo com uma das colaboradoras da Portas Abertas, os desafios da igreja no país são vários mas, a questão da violência urbana preocupa bastante. “Se o novo projeto de lei for aprovado, os ataques contra os cristãos não serão mais considerados crimes e serão registrados como simples ofensas. Isso significa um passo a trás na proteção dos direitos à liberdade religiosa”, conclui a colaboradora. Ore pela Igreja Perseguida na Colômbia.

Fonte:https://www.portasabertas.org.br

Apoio