____________________________________________________________________________________________

____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________________________

sábado, 27 de maio de 2017

Começa hoje o Ramadã para os muçulmanos

Entenda como e porque os cristãos ficam mais vulneráveis nessa época
27-egito-homens
"Caminhando pelas ruas do Cairo, posso dizer que o Ramadã já começou. O clima é de festa e as famosas lâmpadas coloridas já estão penduradas nas varandas dos muçulmanos. Papéis de várias cores começam a ser pendurados em ruas estreitas e a maioria das lojas está decorada e expondo doces, frutas secas e nozes para os tradicionais pratos do mês sagrado de jejum", relata um dos colaboradores da Portas Abertas no Egito.
Segundo ele, na TV também pode se ver vários programas chamando a atenção para essa data e os anúncios estão por toda parte. "A maioria dos egípcios iriam gostar de tirar um tempo e relaxar depois do seu pequeno desjejum, ao pôr do sol, assistindo às programações produzidas especialmente para essa ocasião religiosa especial, mas a realidade vai além das emoções, já que há muita preocupação com tudo o que ocorre com a comunidade cristã que vive aqui", explica o colaborador.
Segundo ele, é um longo período de 30 dias em que aqueles que seguem a Cristo enfrentam todo tipo de hostilidade, seja no trabalho, na escola ou em lugares públicos. "Cristãos nessa época recebem olhares desprezíveis e assédio verbal de fanáticos religiosos, simplesmente por não estarem jejuando como os muçulmanos. Em muitos casos há violência física", diz ele. Para evitar conflitos, muitos se escondem para fazer suas refeições. "Lembro-me de um menino que chegou a comer e beber no banheiro da escola para evitar problemas com seus colegas de classe e professores", conta.
O Ramadã é um período em que se veem muitos muçulmanos extremistas nas ruas, enchendo os cristãos de perguntas sobre a sua fé e tentando plantar dúvidas em seus corações. "Mas cristãos que vivem no Egito, sentem Deus dentro de si, durante essa festa, com a convicção de que ele quer usar a cada um como uma luz que indica o caminho certo a seguir. Por favor, ore por nossas vidas durante o Ramadã e que Deus permita que muitos muçulmanos possam ter um encontro genuíno com Cristo", conclui o colaborador.
Fonte:www.portasabertas.org.br

Apoio