____________________________________________________________________________________________

____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________________________

quarta-feira, 10 de maio de 2017

Igreja reúne dinheiro de ofertas e liberta 4,5 mil escravos, no sul da Ásia

Uma igreja formada por apenas 400 pessoas conseguiu arrecadar mais de 296 mil dólares para libertar os escravos e construir uma escola, no sul da Ásia.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE GOD REPORTS

Navila Shirali, de 17 anos, posa para uma foto em seu local de trabalho, no Paquistão. (Foto: Arquivo/AP)
Navila Shirali, de 17 anos, posa para uma foto em seu local de trabalho, no Paquistão. (Foto: Arquivo/AP)
Uma igreja da Califórnia formada por apenas 400 pessoas empreendeu um grande projeto de construção de uma escola no sul da Ásia. Com seu envolvimento no país, a igreja negociou com um líder talibã a libertação de 4.500 escravos cristãos que trabalhavam forçadamente em uma fábrica de tijolos.
Além do feito com os escravos, missionários da igreja também puderam testemunhar a conversão de dois clérigos muçulmanos ao cristianismo, como resultado de uma ação evangelística. Um dos líderes teve uma impactante visão de Jesus Cristo que resultou em sua cura física e salvação.
O homem que assumiu a liderança da viagem missionária da igreja foi Paul, um empresário aposentado de 73 anos. Ele soube do trabalho escravo sofrido por cristãos no sul da Ásia através do pastor Tariq (nome fictício por razões de segurança), que lidera uma rede de igrejas na região.
“Cada tijolo naquele país é feito por um escravo cristão”, disse Paul, observando que os muçulmanos não fazem esse tipo de trabalho. São aproximadamente 56 mil fábricas de tijolos apenas naquele país — todos funcionando com escravos cristãos.
Em parceria com o pastor Tariq, a igreja da Califórnia concordou em iniciar uma escola e ajudar a libertar alguns escravos. Depois que o projeto foi apresentado na igreja, 296 mil dólares foram arrecadados (equivalente a mais de 942 mil reais).
“Nós construímos a escola e pagamos as despesas operacionais por dois anos”, conta Paul. A escola cristã acomoda mais de 2 mil alunos.
Na primeira viagem missionária de Paul ao país, a igreja comprou a liberdade de 48 escravos cristãos. Na segunda viagem, eles libertaram mais 60 pessoas. O preço médio de resgate é de 600 a 700 dólares por família.
Em sua quarta viagem, realizada em 2016, Paul soube que poderia ter a chance de libertar 584 famílias que trabalhavam nas 28 fábricas de tijolos pertencentes a um líder talibã, que poderia resultar na libertação de 4,5 mil pessoas. Ele calculou que poderia resgatá-los a 250 dólares por família.
Em pouco tempo, a igreja levantou 96 mil dólares (equivalente a mais de 305 mil reais) para libertar 384 famílias. As 200 famílias restantes foram libertadas gratuitamente, devido à pressão do governo sobre as fábricas, e passaram a viver em um bairro cristão sob cuidado da igreja.
Palavras de fé
Paul e Tariq decidiram ir à fábrica de tijolos para conversar com o líder talibã, que tinha uma fama cruel pela região. Após serem conduzidos por guardas até uma sala escura, os pastores ouviram uma nova proposta do líder talibã, que queria mil dólares por família — um aumento dramático sobre o valor acordado.

Menina de 9 anos trabalha fazendo tijolos de manhã à noite, sete dias por semana. (Foto: Kay Chernush/Departamento de Estado dos EUA)
Ao recusarem o novo acordo, o pastor Paul se tornou alvo da arma de um dos guardas. Mesmo com medo, de alguma forma, a situação se acalmou. “Não tenho explicação. Muitas pessoas estavam orando por nossa reunião”, ele lembra.
“Sou um homem honrado”, disse Paul ao talibã. “Eu vim da América, mas fui enviado por Deus. Deus me enviou aqui para libertar Seus filhos. Estou mantendo o compromisso que Tariq fez com você para tirar o povo de Deus da escravidão”.
Paul apontou diretamente ao líder talibã e disse: “Um dia eu vou ter que ficar diante de Deus para contar como vivi minha vida. Você também terá que ficar em pé diante de Deus e dar uma conta de como você viveu sua vida. Estou te pedindo agora para honrar o compromisso”.
O líder talibã acenou a cabeça em aprovação e disse ao pastor: “Você pode orar por mim? Meus rins estão fracos”. Paul se levantou, colocou as mãos sobre as costas do homem e orou.
Um alcance maior
No dia seguinte, o pastor Tariq decidiu organizar uma evangelismo à noite que contou com a participação de uma multidão de 6 mil pessoas. Os olhos de Paul se arregalaram quando ele viu onze clérigos muçulmanos chegarem.
Depois de um momento de adoração, Paul subiu ao altar e falou por poucos minutos, apresentando o Evangelho de forma simples. Naquele instante, centenas de pessoas levantaram suas mãos para aceitar Jesus. O pastor observou ainda um clérigo xiita erguendo a mão.
Na manhã seguinte, um dos clérigos muçulmanos procurou os pastores para contar sobre sua experiência com Deus. Depois de ouvir a pregação na noite anterior, ele teve uma visão surpreendente de Jesus, que estava de branco e se apresentou como o Grande Médico que faria uma cirurgia em seu coração.
Nos últimos dois anos, o muçulmano sofreu sérios problemas cardíacos e precisava de um transplante. No entanto, após sua experiência com Cristo, ele se sentiu bem e foi atestar sua melhora no hospital. “Seu coração está normal”, declarou o médico após exames.
Depois de receber a cura, o clérigo muçulmano e sua esposa receberam Jesus como salvador e pediram mil exemplares da Bíblia para evangelizarem.
“Está claro que Deus mostrou Seu favor e proteção sobre nossos embaixadores enquanto ministravam”, diz a esposa de Paul, Diana. “Deus está se movendo de forma poderosa em um país que precisa desesperadamente Dele”.

Apoio