Estudo comprova que ensino religioso é bom para crianças

quarta-feira, outubro 30, 2013

Análise com mais de 16 mil crianças aponta as razões para isso.



Estudo comprova que ensino religioso é bom para crianças
Estudo comprova que ensino religioso é bom para criançasFilhos de pais religiosos são mais comportados e ajustados que os outros, indica estudo. Trata-se da primeira pesquisa a olhar para os efeitos da religião no desenvolvimento das crianças.
John Bartkowski, professor de sociologia da Universidade do Mississippi, coordenou uma equipe que entrevistou pais e professores de mais de 16 mil crianças, a maioria delas eram alunos do primeiro ano.
Foram analisadas questões como autocontrole, quantas vezes elas demonstravam mau comportamento e tristeza; o quanto eles respeitam e conseguem trabalhar em harmonia com os demais.
Também foi feita uma análise da frequência com que os pais das crianças os levavam aos cultos (ou missas), falavam sobre religião com seus filhos e debatiam sobre a fé dentro de casa.
Na avaliação dos professores, as crianças cujos pais participam regularmente de reuniões religiosas e conversavam frequentemente com seus filhos sobre religião demonstravam mais autocontrole, melhores habilidades sociais e mais facilidade de aprendizagem que as crianças com pais não-religiosos.
Mas quando os pais discutiam frequentemente por causa da religião, as crianças eram mais propensas a ter problemas. ”A religião pode ter um efeito negativo se a fé for uma fonte de conflito ou tensão na família”, observou Bartkowski.
O sociólogo acha que a religião pode ser boa para as crianças, por três razões. Primeiro, as comunidades religiosas prestam apoio social aos pais, o que pode melhorar as suas competências parentais. As crianças que participam dessas comunidades recebem as mesmas mensagens que ouvem dos pais. O fato de elas serem reforçadas por outros adultos contribui para que levam “mais a sério as mensagens que eles recebem em casa”.
Em segundo lugar, os valores e normas ensinados nas congregações religiosas tendem a ser de sacrifício pessoal em prol da família, resume Bartkowski. Isso pode ser muito importante na formação do relacionamento de pais e filhos.
Por fim, as organizações religiosas ajudam os pais a verem um proposito maior (sagrado) na criação dos filhos, conferindo à vida mais significado, finaliza.
O sociólogo W. Bradford Wilcox, da Universidade de Virginia, que não esteve envolvido no estudo, concorda. Annette Mahoney, psicóloga da Universidade Bowling Green, em Ohio, que também não participou da pesquisa, defende que são necessárias mais pesquisas do tipo. “Qual elemento na religião e na espiritualidade que o diferencia dos incentivos dados por organizações seculares? Isso ainda é um mistério”, disse
O material de Bartkowski foi publicado na revista científica Pesquisa em Ciências Sociais. Ele diz ainda que pretende fazer um comparativo entre as denominações no que diz respeito aos seus efeitos sobre as crianças.
“Geralmente não sei se as crianças evangélicas estão se comportando melhor do que as crianças católicas ou que os filhos de judeus”, resume. Mas ele ressalta que existe também um lado negativo: “Há certas expectativas sobre o comportamento das crianças dentro de um contexto religioso. Essas expectativas podem frustrar os pais”. Isso geraria conflito em outros aspectos da vida familiar quando os filhos crescem. Com informações de Live Science.
Fonte: Gospel  Prime

Irã 'abusa' dos direitos nacionais e internacionais dos cristãos

terça-feira, outubro 29, 2013

Pelo menos 300 cristãos foram presos nos últimos três anos no Irã. As acusações mais comuns são ações contra a segurança pública e propaganda contra o regime. Muitos destes cristãos foram presos por fazer parte de "igrejas domésticas", pequenas reuniões de cristãos que se encontram para adorar e orar juntos.
Os contínuos maus tratos do Irã à sua minoria cristã foi um dos temas levantados em reunião recente do Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas.
Attieh Fard, uma advogada especializada em direitos humanos, pediu ao presidente Hassan Rouhani para cumprir suas promessas feitas às Nações Unidas, em Nova York, libertando os 42 cristãos presos e os 45 que aguardam julgamento.
Girl_Iran.jpgFard disse que esses números representam apenas os casos conhecidos. O número real é muito maior, levando-se em conta que muitos têm permanecido em silêncio devido às ameaças do governo. Ao fazer isso, afirmou em seu relatório de 24 de setembro, o governo viola as suas obrigações legais nacionais e internacionais.
"Ao fazer essas acusações contra os cristãos, tanto o governo como o Judiciário cometeram um erro fatual porque as reuniões cristãs em casas ou igrejas são formadas, principalmente, para os cristãos adorarem e estudarem a Bíblia juntos, e não para mudarem o regime. Elas não têm qualquer objetivo político. Portanto, estes julgamentos são errados", disse Fard.
Fard acrescentou que encontros semelhantes eram realizados por muçulmanos xiitas, que se reúnem em grupos para estudar o Alcorão e orar. Mas essas reuniões não foram consideradas uma ameaça à segurança nacional. Alguns cristãos presos são obrigados a ouvir o Alcorão e "bastante pressionados" a se converter ao islamismo. Ela disse que muitos deles são torturados e têm seus bens confiscados. Então, depois de serem libertados, perdem geralmente o direito à educação ou emprego.
O artigo 26 da Constituição iraniana concede o direito a minorias religiosas, incluindo os cristãos, de formar sociedades e se reunir. Como tal, igrejas domésticas são entidades legítimas. Segundo Fard, muitos pastores têm sido presos e mesmo aqueles que são libertados são frequentemente mantidos sob um tipo de prisão domiciliar. O Rev. Robert Asseriyan, que foi preso no início deste ano, é um exemplo. Desde que foi solto, Asseriyan foi impedido de falar com qualquer outro cristão, disse ela.
"Alguns líderes da igreja que não estão presos têm sofrido ameaças do governo dizendo que, se não cessarem as suas atividades ou deixarem de ir às igrejas, serão prejudicados eles próprios ou os membros de suas famílias - mortos, fisicamente atacados ou estuprados", disse ela.
O Irã anunciou que está comprometido com o Pacto Internacional sobre Direitos Civis e Políticos, incluindo o artigo 18, que garante o direito de qualquer pessoa a mudar de religião. No entanto, Fard disse que o governo tem "repetidamente prendido cristãos que se converteram do Islamismo, confiscando suas propriedades e os forçando a abandonar seu trabalho ou seus empregadores a demiti-los".
Fard compartilhou o exemplo de um professor que trabalhava para o Ministério da Educação há 30 anos. Depois de descobrirem que ele era um cristão, foi demitido.
Algumas mulheres cristãs perderam a custódia de seus filhos depois de seu divórcio de homens muçulmanos, uma vez que eram tidas como cristãs que abriram mão de seus direitos. Em um caso, o juiz disse à mãe de uma menina de dois anos que ela poderia manter a custódia de sua filha caso se tornasse muçulmana. Enquanto isso, muitos cristãos são forçados a casar-se em cerimônias muçulmanas e realizar funerais islâmicos para os membros cristãos da família.
A recente soltura de duas mulheres cristãs pelo governo foi bem recebida, disse Fard, mas ela pediu ao governo para "libertar todos os prisioneiros cristãos e proteger os seus direitos de cidadania quando forem soltos". Fard também mencionou o fechamento das igrejas de língua persa por parte do governo, acrescentando que não só os cristãos estão impedidos de convidar os não-cristãos a participar como também estão impedidos de aceitar qualquer não-cristão que queira participar.
A solicitação do governo a todas as igrejas para fornecer os detalhes do cartão nacional de identidade de todos os membros e para instalar câmeras de vigilância nas igrejas é contra o artigo 23 da Constituição do Irã, que proíbe o governo de exigir detalhes da religião ou crença de uma pessoa.
Fard concluiu: "É óbvio que o governo islâmico do Irã tem tomado medidas para impedir o acesso de cristãos e do público a sociedades cristãs, igrejas, literatura e a religião cristã, não levando em conta os direitos constitucionais dos cristãos, nacionais e internacionais. Agora que o Irã se diz comprometido com suas obrigações internacionais, deve começar de fato a tomar medidas para proteger estes direitos constitucionais".
Fonte: Portas Abertas

I SEMINÁRIO DE MISSÕES - CONG. SABIÁ-SOMBREIRO

quinta-feira, outubro 24, 2013



A IGREJA ASSEMBLEIA DE DEUS EM UPANEMA -RN 
 PR. ANTÔNIO ADELINO
PROMOVE ATRAVÉS DA   SEMADUP            
I SEMINÁRIO DE MISSÕES                               CONG. SABIÁ-SOMBREIRO
Tema:
MISSÃO!  QUEM SE IMPORTA?
                                            Rm 10.14
DIA 26 DE OUTUBRO 2013

DEUS VAI FALAR COM VOCÊ!

Mais de um terço dos cristãos da Síria foram mortos ou fugiram

quinta-feira, outubro 24, 2013

Líder cristão afirma que, apesar da perseguição, a Igreja irá sobreviver



Mais de um terço dos cristãos da Síria foram mortos ou fugiram
Mais de um terço dos cristãos da Síria foram mortos ou fugiramMais de um terço dos cristãos da Síria não estão mais no país desde o início da guerra civil, afirma o maior líder católico sírio, Gregório III Laham. Em uma entrevista à BBC, ele disse acreditar que mais de 450 mil cristãos estão refugiados ou mortos.
No entanto, afirmou que a comunidade cristã da Síria irá sobreviver. Segundo Laham, os cristãos devem testemunhar uma nova forma de vida e novos valores ao mundo árabe durante a atual crise. “A nossa missão é tentar mudar a visão do mundo árabe”.
Até 2012, a guerra tinha um tom político-militar e a minoria cristã desfrutava da proteção do Exército, sob orientação do governo. Com a entrada de grupos fundamentalistas como a Al-Qaeda e Levante, o conflito na Síria testemunhou um aumento exponencial da violência contra os cristãos, acusados de serem aliados do governo atual.
Obviamente, o número exato de cristãos mortos na Síria por muçulmanos é impossível de saber, mas está na casa dos milhares. Um porta-voz da Portas Abertas, missão que apoia cristãos perseguidos por causa da fé, acredita que muitos ainda sairão em busca de refúgio nos países vizinhos. “Os incidentes de perseguição hoje em dia são aparentemente implacáveis. Quase todos os dias, igrejas são queimadas, cristãos são pressionados a se converter ao islamismo, há violência contra suas casas, seus filhos são raptados ou estuprados e existe discriminação nas escolas e locais de trabalho. A lista de problemas na região é ainda maior”, disse o líder cristão.
Este mês foi lançado em Londres um novo relatório elaborado por agências cristãs, indicando que a perseguição aos cristãos está piorando em todo o globo. Os piores problemas, de acordo com esse relatório, atualmente estão na Coreia do Norte e na Eritreia.
“A principal conclusão do relatório é que, em dois terços dos países onde a perseguição aos cristãos é mais grave, os problemas tornam-se cada vez piores”, disse John Pontifex, um dos autores do relatório. ”Na verdade, a própria sobrevivência da Igreja em algumas regiões, em especial no Oriente Médio, está correndo sério risco.”
O relatório sugere ainda que a chamada Primavera Árabe se transformou em um “Inverno cristão”, pois em meio às convulsões políticas, os que mais sofreram foram os membros das minorias cristãs nestes países. Com informações World Watch Monitor.
Fonte: Gospel Prime

Cruzada Mossoró para Cristo continua hoje, na Estação das Artes Cantora Mara Maravilha participa do evento

sexta-feira, outubro 18, 2013




Mara Maravilha louva ao Senhor em Mossoró
Pastor Francisco Miranda e sua esposa, missionária Núbia Costa

Público supera expectativa no Conjunto Promorar, em mais um dia da Cruzada Mossoró para Cristo

A 18ª Grande Cruzada Mossoró para Cristo teve continuidade ontem (quinta-feira), à noite, no Conjunto Promorar, quando 139 pessoas aceitaram a Jesus como Salvador. 

O evento contou com as participações da cantora Mara Maravilha (São Paulo) e do pastor Carlos Jorge, de Feira de Santana (BA). 

O pastor Francisco Cícero Miranda, presidente da Assembleia de Deus em Mossoró e região, exaltou o nome do Senhor pelo êxito de mais uma concentração pública realizada na cidade.

O coordenador da Cruzada, pastor Wendell Miranda, acredita que, nesta sexta-feira, à noite, o evento terá comparecimento de uma multidão de crentes e de pessoas não-evangélicas, na Estação das Artes.

O pregador da noite será o pastor Fred Barry, de Los Ângeles (EUA). A festa contará com a presença do cantor Esteves Jacinto e da própria cantora Mara Maravilha bem como de cantores e bandas de Mossoró e da região. 
Fonte:www.cartadepaulomartins.blogsp
ot.com

11 cristãos são mortos a cada hora por causa de sua fé

quarta-feira, outubro 16, 2013

Políticos e jornalistas denunciam a “guerra mundial contra os cristãos”


11 cristãos são mortos a cada hora por causa de sua fé 11 cristãos são mortos a cada hora por causa de sua fé
Os senadores norte-americanos Rand Paul e Ted Cruz têm feito duras cobranças ao presidente Obama. A principal delas para que ele se pronuncie sobre o que acreditam ser “guerra global contra os cristãos”.
Rand Paul é direto: “Dezenas de milhões de muçulmanos radicais estão travando uma guerra mundial contra o cristianismo” e os EUA, considerados a maior nação cristã do mundo, precisam intervir. Em seguida citou diante da imprensa uma lista de recentes ataques contra cristãos na Síria, Egito, Paquistão, Guiné, Tanzânia, Quênia, Indonésia e Líbia, entre outros.
Seu desejo é que Obama faça exigências de maior liberdade religiosa especialmente em países que recebem fundos dos americanos, como o Paquistão, onde um muçulmano pode ser punido com a morte caso se converta. Encerrou dizendo “não se engane, nós ajudamos a estabelecer esses novos regimes islâmicos”, uma menção clara à situação no Afeganistão e Iraque, onde os EUA durante anos municiou os extremistas que hoje combate. Para ele, a situação é ainda mais séria na Síria, onde o exército americano arma os rebeldes aliados da Al-Qaeda. “O dinheiro dos nossos impostos nunca deve ser usado para sustentar uma guerra contra os cristãos”, encerrou.
Ele tem o apoio integral de Ted Cruz, que é filho de um pastor. Ambos são fortes pré-candidatos a presidente nas próximas eleições. No mesmo encontro, durante o Values Voter Summit dia 11 de outubro em Washington, Cruz discursou contra a politica externa de Obama e de suas medidas que cerceiam a liberdade do culto dos cristãos dentro de seu próprio país.
No início deste mês, o jornalista John Allen Jr. lançou seu livro mais recente, “The Global War on Christians” [A Guerra Global Contra os Cristãos]. A maior parte de suas colocações são no mesmo tom das declarações dos senadores.
Allen decidiu detalhar o que chama de “onda de violência global” que fez dos cristãos hoje em dia o grupo mais perseguido por causa da religião.
“A defesa dos cristãos perseguidos deveria ser a prioridade mundial número um na cauda dos direitos humanos”, defende Allen. Para ele, a imprensa mundial tem evitado noticiar muita coisa por causa de “outros interesses”.
O jornalista afirma que, segundo suas pesquisas, durante a primeira década do século 21, mais de 100 mil cristãos foram assassinados por ano. Ou seja, são 11 pessoas martirizadas por hora. Segundo grupos não religiosos que lutam pelos direitos humanos, cerca de 80% das violações à liberdade religiosa hoje em dia são contra os cristãos.
Allen insiste que é preciso “acabar com o silêncio a respeito da perseguição anticristã”. Para ele, essa situação existe em todos os continentes, ainda que em intensidade diferente. Deixa claro ainda que os conflitos não ocorrem apenas entre cristãos e muçulmanos, radicais hindus também matam na Índia e no sul da Ásia a justificativa de alguns massacres é meramente politica.
Em seu livro, ele ressalta a existência da perseguição que envolve violência e assassinatos, cujo exemplo mais extremo são os campos de concentração da Coreia do Norte. Porém, não esquece de mostrar como existe um movimento secular no Ocidente que se opõe a todo tipo de manifestação do pensamento cristão, em especial por sua luta contra o aborto e o casamento gay. Com informações US News, The Christians e Spectator.
Fonte: Gospel Prime

Cristãos são ameaçados por não negarem a fé em Jesus

quinta-feira, outubro 10, 2013

Convertidos a Cristo na província Savannakhet, no Laos, enfrentam ordens de despejo de suas vilas por se recusarem a renunciar suas crenças; de acordo com relatos da organização de direitos humanos Human Rights Watch for Lao Religious Freedom (HRWLRF)

Laos.jpg

Durante um encontro na vila, em 21 de setembro, autoridades do vilarejo Huay, no distrito de Atsaphangthong, determinaram que os convertidos ao cristianismo deveriam negar sua crença ou enfrentar a expulsão. Autoridades acusaram os cristãos de conduzir cultos coletivos em suas casas. Os cristãos têm rejeitado a ordem, afirmando que o direito deles à liberdade de religião ou crença é garantido pela Constituição do Laos.
No mês passado, um grupo de 50 cristãos, no distrito de Borikan (também conhecido como Bolikanh), província de Bolikhamsai, recebeu um ultimato parecido. A HRWLRF relata que autoridades oficiais da vila Nongdaeng convocaram representantes de 11 famílias para um encontro oficial, no qual as autoridades ordenaram que eles se reconvertessem à sua "crença tradicional" (o animismo*). As autoridades da vila acusaram as famílias de acreditar na religião de uma "força ocidental estrangeira", destrutiva para a nação do Laos.
Informações recebidas pela Christian Solidarity Worldwide (CSW) indicam que esta é uma acusação comum aos cristãos. A eles foram dados três dias para respeitar a ordem, mas os mesmos recusaram, insistindo que a Constituição protege seu direito à liberdade de religião ou crença.

*Animismo: manifestação religiosa imanente a todos os elementos do Cosmos (sol, lua, estrelas), a todos os elementos da natureza (rio, oceano, montanha, floresta, rocha), a todos os seres vivos (animais, fungos, vegetais) e a todos os fenômenos naturais (chuva, vento, dia, noite).
 Fonte:Portas Abertas

Sinais de esperança numa Síria devastada pela guerra

quarta-feira, outubro 09, 2013

Quem tem assistido aos noticiários sobre a Síria não esperaria encontrar um pastor sírio cheio de alegria e otimismo em tempos tão difíceis. E foi isso o que aconteceu quando um colaborador local se encontrou com um dos pastores sírios envolvidos no trabalho de assistência da Portas Abertas na Síria

Sinais de esperança_Síria.jpg

"Em todos esses anos como pastor, não tinha visto um ministério na Síria com essa intensidade", disse com entusiasmo o pastor da cidade de Tartus no sul da Síria. "Não me entenda mal; não importa como você veja isso, a guerra é horrível e má em qualquer situação. Mas, em paralelo a isso, a Igreja está sendo moldada e transformada". Deus está fazendo uma grande obra nessa guerra civil na Síria. Outro cristão disse: "Essa crise tem trazido um reavivamento que não podíamos imaginar". Outro acrescentou: "É como reviver os acontecimentos de Atos!".
Na busca por ajudar outras pessoas, esse pastor de Tartus disse: "Temos alcançado áreas geográficas nunca antes imaginadas. O número de famílias e casas que temos visitado e conhecido é inacreditável. São pessoas de todos os grupos religiosos e denominações. E não é que eles não se importem que sejamos cristãos. Eles realmente apreciam quem nós somos".
No começo, apenas o pastor e um punhado de pessoas trabalhavam de maneira ativa na igreja, "agora toda a congregação está participando do ministério por vontade própria. Essa não é a realidade apenas da minha igreja. É a realidade de muitas igrejas".
Um só Corpo
Igrejas de diferentes denominações têm se aproximado umas das outras. Esse pastor é de uma denominação evangélica que antes não tinha contato com nenhuma das igrejas tradicionais. "Nosso relacionamento com as igrejas históricas está melhorando. Eu estou em contato direto com dois líderes: um maronita e um sírio ortodoxo. Nos encontramos e nos reunimos regularmente". Um cristão evangélico que no passado era cético com relação às igrejas tradicionais disse: "Não há denominacionalismo na atual situação, os corações estão se voltando unicamente para Deus".
Há também, de acordo com o pastor, boas relações com outras igrejas evangélicas. "De fato, nós temos planos de organizar uma espécie de mesa redonda onde nos reuniremos para compartilhar o que temos feito, e encontrar maneiras de ajudar o trabalho um do outro no intuito de duplicar os esforços".
"Através do facebook, tenho a oportunidade de estar conectado com sírios do Mundo Árabe que querem ajudar seus compatriotas, mas não sabem como. Então, eu uso meu facebook para dar destaque a casos que precisam de atendimento médico e outros sírios têm contribuído. Já atendemos 13 casos como este, até agora."
Credibilidade
"Hoje, o cuidado e ajuda genuína que temos oferecido tem feito com que as pessoas vejam os cristãos com outros olhos. Pessoas que antes não queriam nenhum contato conosco, agora confiam em nós", revelou o pastor. Segundo ele, até autoridades ligadas ao governo estão gratas pela ajuda que a Igreja tem dado às pessoas.
"Na Igreja tenho visto o aumento do espírito voluntário. Por exemplo, em nossa igreja estamos agora preparando aulas de reforço para crianças (de até 18 anos), que por causa da guerra pararam de estudar, ajudando-as a não ficarem atrasadas. Temos também oferecido auxílio de pronto socorro na igreja através de médicos voluntários", concluiu ele.
 
Pedidos de oração
  • Peça que Deus conceda sabedoria a esse pastor para que ele faça as escolhas certas em seu trabalho.
  • Agradeça a Deus pelo crescimento da unidade entre as igrejas.
  • Peça por fortalecimento àqueles que trabalham no reforço escolar com as crianças.
Clame por proteção nas estradas.
Fonte:Portas Abertas

Fiéis da Assembleia de Deus expõe Bíblia escrita à mão

quarta-feira, outubro 09, 2013

Por um ano os fiéis da AD de uma cidade ao noroeste do estado escreveram à mão todos os livros bíblicos


Fiéis da Assembleia de Deus expõe Bíblia escrita à mãoFiéis da Assembleia de Deus expõe Bíblia escrita à mão
Os fiéis da igreja Assembleia de Deus em Altônia, no Paraná, aceitaram o desafio proposto pelo pastor Vicente Mariano de escreverem juntos uma cópia da Bíblia Sagrada. A campanha foi lançada em comemoração aos 50 anos da igreja e demorou um ano para ser concluída.
A Bíblia escrita a mão pelos fiéis tem mais de 3.000 páginas e aproximadamente três metros de comprimento. Além de comemorar o aniversário da igreja, o projeto tinha como objetivo estimular a leitura da Palavra entre os membros da igreja.
“É muito difícil fazer com que as pessoas leiam a Bíblia de uma ponta à outra, por isso o projeto também serviu para aproximar as pessoas da palavra sagrada e fazer com que elas se apaixonassem por aquilo que estavam escrevendo”, disse Mariano.
O pastor conseguiu incentivar 132 pessoas que passaram a copiar à mão todos os 66 livros da Bíblia. Famílias inteiras aceitaram o desafio, como foi o caso do pintor Odair José Moreira que chamou sua esposa e filhos para escrever a Bíblia todos os dias.
“A gente não tem estudo, mas foi muito gratificante participar porque a minha esposa e filhos também colaboraram”, disse ele ao portal G1.
A igreja não fez restrições e nem impôs regras para padronizar a letra ou o tamanho dela, apenas conferiu, no final, se os números dos capítulos e versículos estavam corretos.
Pronta, a Bíblia à mão ficará exposta na igreja em Altônia e depois será enviada para a biblioteca da Faculdade de Administração, Ciências, Educação e Letras (FACEL) que fica em Curitiba. O pastor acredita que esses livros serão importantes para as gerações futuras diante dessa revolução digital.
“Daqui a 20 anos as crianças que nasceram hoje vão estar na faculdade e não vão mais escrever nada. Com esta bíblia elas terão noção de escrita e poderão realizar pesquisas em cima do que foi produzido”, disse Mariano.
A fiel mais nova que participou desse projeto, Amanda Rithielu, 16 anos, também acredita nisso e comemora poder participar dessa proposta. “Saber que Deus um dia uniu e deu a missão para cada homem escrever essas palavras, e agora sou eu que vou passar os ensinamentos para outras gerações, é um orgulho”.
Fonte: Gospel Prime

Cristãs são libertadas da prisão Evin

terça-feira, outubro 08, 2013

As cristãs iranianas Maryam Jalili e Mitra Rahmati foram soltas seis semanas antes da pena de dois anos e meio ter sido concluída. As mulheres estavam entre onze prisioneiros a serem liberados; entre os quais, o proeminente advogado de direitos humanos, Nasrin Sotoudeh e o político reformista, Mohsen Aminzadeh

Prisão Evin.jpg

Maryam e Mitra, ambas convertidas do islamismo, foram presas na véspera do Natal de 2009, junto com outros 13 cristãos, depois de uma invasão por funcionários do governo a uma igreja doméstica na cidade de Pakdasht, sudeste de Teerã.

Enquanto a maioria foi solta logo depois de ser presa, as duas mulheres ficaram detidas até 17 de março de 2010, quando foram liberadas temporariamente. Elas foram presas novamente em abril de 2011 e condenadas por "participação em um grupo ilegal".

Durante a campanha presidencial, o presidente Rouhani, visto como um político moderado e pragmático, prometeu defender os direitos das mulheres e das minorias religiosas e libertar os presos políticos. Ele também se comprometeu a criar uma "carta de direitos civis", que garantiria a igualdade sem discriminação de raça, religião ou gênero.

Uma investigação do jornal The Guardian descobriu que há cerca de 800 prisioneiros políticos e de consciência no Irã, incluindo jornalistas, advogados, ativistas de direitos humanos, feministas, líderes cristãos e clérigos sunitas.
Fonte: Portas Abertas

Barack Obama intercede pela libertação do pastor Saeed Abedini junto ao novo presidente do Irã

terça-feira, outubro 01, 2013

O presidente dos EUA pediu que Rouhani revisasse os motivos que levou Abedini à prisão



Barack Obama intercede pela libertação do pastor Saeed Abedini junto ao novo presidente do Irã O pastor Saeed Abedini foi tema de uma conversa entre o presidente Barack Obama e o novo chefe de Estado do Irã, Rassan Rouhani, eleito presidente recentemente.

Rouhani substitui Mahmoud Ahmadinejad, e é considerado mais moderado que seu antecessor, conhecido por pregar a destruição de Israel e investir pesado num programa de energia nuclear, que preocupou países de todo o mundo pela possibilidade de que a teocracia iraniana desenvolvesse armas com a tecnologia.

O principal assunto entre Obama e Rouhani foi o programa de energia nuclear do Irã: “Há alguns minutos, falei por telefone com o presidente Rouhani da República islâmica do Irã. Falamos sobre os esforços em curso para alcançar um acordo sobre o programa nuclear iraniano”, disse o presidente dos Estados Unidos, na última sexta-feira, 27 de setembro.

Essa foi a primeira conversa entre os líderes dos dois países desde 1979, de acordo com informações do site do jornal Zero Hora.

A menção ao pastor Abedini e outros dois norte-americanos foi feita durante a ligação, segundo fontes da Casa Branca. O site Christian Broadcasting Network (CBN) informou que Obama pediu ao presidente iraniano que revisasse os casos dos cidadãos norte-americanos e os motivos que os levaram à prisão.

Saeed Abedini é iraniano, mas se mudou para os Estados Unidos onde se converteu ao cristianismo, casou-se e conseguiu a cidadania norte-americana. Foi preso no Irã, sob acusação de espionagem internacional, por viajar constantemente entre os dois países.

O pastor mantinha residência nos Estados Unidos, mas desenvolvia um trabalho missionário no Irã, e por isso, alega a defesa de Abedini, foi acusado de espionagem. Preso numa das instalações mais temidas do Irã, o pastor tem enfrentado problemas de saúde, mas mesmo assim já pregou aos seus colegas de cela e levou 30 deles à conversão ao Evangelho.

A esposa do pastor Saeed Abedini comemorou a informação de que o presidente Barack Obama intercedeu por seu marido: “Esta é a notícia mais animadora que ouvi desde que Saeed foi preso há um ano. Estou muito grata ao presidente Obama por interceder por Saeed e pelos outros americanos que são mantidos em cativeiro no Irã. Este desenvolvimento é realmente uma resposta à oração. Exorto o presidente Rouhani, como tenho feito ao longo desta semana, para liberar Saeed para que ele possa voltar para a nossa casa e nossa família nos Estados Unidos. Nos últimos dias, o Irã libertou 80 presos detidos por causa de suas crenças. Peço que possamos acrescentar Saeed a essa lista muito em breve”, afirmou Nagmeh.
 
Fonte: Cpad News

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *