A DURA REALIDADE DA PERSEGUIÇÃO NO AMBIENTE ESCOLAR

sábado, junho 30, 2018

Muitos jovens são perseguidos diariamente por colegas de turma por serem cristãos


 30 DE JUNHO DE 2018   

 Crianças em ambiente escolar no golfo. Muitos jovens cristãos são oprimidos nestes espaços


A hostilidade com os cristãos é muito grande no mundo muçulmano onde o Golfo está. Todos os dias, milhares de cristãos nessa região enfrentam discriminação baseada em sua casta, que é decidida por sua identidade religiosa. Isso pode ser percebido com a história de uma jovem cristã que defendeu uma tese na universidade em que estudava. Sua supervisora passou e disse que não sabia se o trabalho seria aceito pela jovem ser uma assistente de limpeza. O que ela quis dizer é que, por ser cristã, ela era apenas uma assistente de limpeza.


Os colegas de turma zombaram e riram diante do comentário humilhante. Após a cena, alguém passou e derramou suco na bolsa da cristã, resmungando: “Comece a limpar por aqui”. Ore para que ela possa se sentir segura, assim como os demais cristãos que estudam em países muçulmanos. Diariamente, mulheres como esta jovem são forçadas a se converter, deixando Jesus, ou são feridas de outras formas. Essa não é uma situação em que apresentar uma reclamação formal resolveria o problema. É necessário se esconder e ficar fora do radar para sobreviver.

Ajude a tornar crianças de hoje em cristãos maduros de amanhã
Muitas vezes as crianças e jovens cristãos também são alvos de perseguição. O que os leva a perda do direito de estudar, sonhar e interagir com as pessoas da mesma idade. Com a sua doação, podemos ajudar a construir um futuro diferente para essa geração. Também ore para que eles possam crescer com uma fé firmada em Cristo.

Fonte:https://www.portasabertas.org.br

Novo ataque em Moçambique mata 5 Cristãos e destrói 120 casa

sexta-feira, junho 29, 2018





 

Grupo armado atacou na noite de sexta-feira uma aldeia remota do norte de Moçambique, Maganja, matando cinco pessoas e incendiando 120 casas. O Governo português já aconselhou os viajantes a evitarem a permanência em várias zonas da província de Cabo Delgado, no norte de Moçambique

Homens armados identificados como membros do grupo islâmico “Al Shabaab”, mataram cinco pessoas na semana passada, num ataque contra aldeias na província de Cabo Delgado.

 

Os atacantes atearam fogo em 44 residências. Uma das vítimas era uma criança que estava a dormir numa dessas casas. As vítimas foram assassinadas com golpes de catana e disparos de armas de fogo.

 

Só na mais recente vaga de violência, desde 27 de maio, morreram pelo menos 29 habitantes, (a grande maioria cristãos) 11 supostos agressores e dois elementos das forças de segurança, segundo números das autoridades e testemunhos da população recolhidos pela Lusa.

 

Antes da incursão na noite de sexta-feira, em Maganja, o ataque anterior tinha acontecido na noite de terça-feira na aldeia remota de Litandakua, posto administrativo de Chai, distrito de Macomia - mais de 100 quilómetros em linha reta a sudoeste, na mesma província, Cabo Delgado.

 

O Governo português já aconselhou os viajantes a evitarem a permanência em várias zonas da província de Cabo Delgado, no norte de Moçambique, que têm sido afetadas por ataques atribuídos a "um movimento insurgente de matriz islâmica". O Executivo português aconselhou os viajantes a restringirem as deslocações ao imprescindível.

 

Fernando Jorge Cardoso, especialista em estudos africanos do Centro de Estudos Internacionais do ISCTE-IUL e coordenador de estudos estratégicos da organização não-governamental Instituto Marquês de Valle Flôr, defendeu esta quinta-feira (21.06) que os ataques contra civis na região de Cabo Delgado (norte de Moçambique) são financiados por "radicais islâmicos" com o objetivo de desestabilizar, mas afastou o cenário de criação de um "movimento endógeno de longo prazo".

 

"Não tenho a mínima dúvida que neste momento há financiamento de radicais islâmicos, através do Médio Oriente, interessados na instabilidade no leste africano e que cada vez têm mais ligação ao longo do litoral leste de África", comentou o especialista.

 

Clamor a Deus
Cerca de dois mil cristãos, representando diversas igrejas de Moçambique, reuniram-se sábado, na capital Maputo, num culto onde levantaram, através de orações, um clamor a Deus, pedindo o fim dos recorrentes ataques em Cabo Delgado.

 

O encontro foi organizado pela Assembleia de Deus em Moçambique, ministério de Tlavane, que acredita ser urgente a intervenção das autoridades para pôr fim aos massacres.

 

“É o nosso dever orar pelo próximo e garantir o seu bem-estar. Nós, como igreja, devemos nos unir e orar para que a paz prevaleça no nosso país. Pedimos acima de tudo, por medidas urgentes para acabar com o sofrimento dos nossos irmãos em Cabo Delgado”, afirmou o superintendente da AD em Moçambique, Tiago Manhiça.

 

Ele explica que nos próximos dias serão enviadas verbas arrecadadas entre os fiéis para apoiar as comunidades afetadas naquela província.

 

Motivos de Oração:

Ore pelas famílias das vítimas destes atentados, para que Deus conforte os seus corações e fortaleça a fé deles.


Ore para que o governo de Moçambique tenha sabedoria a atitude para lidar com essa vaga de atentados.


Ore para que a Igreja cristã em Moçambique permaneçam firmes e unidos em um só propósito, para que juntos possam vencer toda opressão que se levanta contra eles.


Fonte:https://www.vozdosmartires.com

O PODER DA ORAÇÃO PELA IGREJA PERSEGUIDA

quinta-feira, junho 28, 2018

Meena* e Sunita* contam sobre como foram perseguidas e o impacto das orações na vida delas

 28 DE JUNHO DE 2018   

 “Eu apenas orava que a vontade de Deus fosse feita, não importasse como"

Há dois anos, a Portas Abertas conheceu as irmãs Meena e Sunita, da Índia. Elas compartilharam que conheceram a Jesus por meio de um programa de rádio cristão. Nos primeiros dois anos, escondiam a fé, mas em 2006, se batizaram e passaram a frequentar os cultos na igreja. Porém, há dois anos, os aldeões da vila em que moravam descobriram que elas haviam se tornado cristãs e começaram a pressioná-las. A perseguição começou com privações. Eles disseram que elas não poderiam colher frutas, tirar água do poço ou utilizar a estrada.


As irmãs se esconderam, mas ouviam os aldeões gritando que elas deveriam ser queimadas. Após ir à polícia, voltaram para casa, porém, no mesmo dia, uma moça chegou e começou a intimidá-las. Outras pessoas vieram também e as arrastaram para fora. Alguns homens batiam nelas com varas de bambu. “Eu apenas orava que a vontade de Deus fosse feita, não importasse como. Claro, as batidas eram dolorosas, mas por dentro eu sentia uma alegria imensa. Eu era digna de sofrer por Jesus”, contou Meena.


Apesar dos ferimentos, as irmãs conseguiram fugir para outra vila, onde uma família cristã cuidou e as abrigou. Mesmo com todas as dificuldades, elas permaneceram fiéis a Cristo. “Os outros irmãos são realmente encorajados pela nossa fé. E grandes coisas estão acontecendo em nossa antiga vila. Nós estamos muito felizes. Deus tem recompensado nossas orações e fidelidade. Não apenas nossas orações, mas também as orações de incontáveis pessoas dentro e fora da Índia. Nós reconhecemos a importância dessas orações’.


Meena e Sunita não foram mais espancadas, mas ainda assim enfrentam perseguição diariamente. Por isso, nossas orações são tão importantes. “Se eu pudesse encontrar parceiros da Portas Abertas pessoalmente, eu diria a eles: ‘Muito obrigado. Eu peço que vocês continuem orando por nós, para que possamos levar muitas pessoas a Cristo. Antes da perseguição acontecer, eu não entendia como Deus estava tão perto de nós. Mas ele tem provado ser tão fiel em sua graça e bondade. Ele tem nos mantido sempre. Eu quero que vocês saibam que nós somos muito encorajadas e que permanecemos firmes, mesmo com a perseguição. Nós sabemos que a palavra de Deus se mantém. Eu os encorajo a continuarem firmes em sua palavra, independente das circunstâncias”, concluiu Meena.


30 dias de oração pela Igreja Perseguida na Índia
Neste mês de junho, convidamos todos os parceiros da Portas Abertas a participarem de 30 dias de oração pela Igreja Perseguida na Índia. Disponibilizamos um livreto com testemunhos de irmãos e irmãs indianos e motivos de intercessão. O mês está acabando, mas nosso pedido é que você continue dedicando seu tempo a orar por eles. Que testemunhos como de Meena e Sunita nos motivem a continuarmos envolvidos nesse propósito.

Fonte:https://www.portasabertas.org.br

CRIANÇAS E ADULTOS RECEBEM EDUCAÇÃO DE QUALIDADE NA ÍNDIA

segunda-feira, junho 25, 2018

Como o ensino oferecido pelo governo não é bom, projetos de alfabetização fazem toda a diferença


 25 DE JUNHO DE 2018   

 A Portas Abertas ajuda cristãos com alfabetização de adultos e escolas infantis (Foto representativa)


Neste diverso país de 1,3 bilhão de habitantes, a pobreza é uma realidade, atingindo cerca de 70% da população, que vive em vilarejos, longe dos grandes centros. Nesse contexto, a Portas Abertas ajuda cristãos com alfabetização de adultos e escolas infantis, que são um grande benefício para adultos e crianças que desejavam aprender a ler e escrever. As aulas de alfabetização de adultos beneficiam 182 pessoas.


“Os professores não são bons” – é assim que Mama, uma jovem cristã de 14 anos descreve o ensino no país. O governo oferece educação, mas não de boa qualidade. Ela é de Rajikakhol, no distrito de Kandhamal, onde a Portas Abertas iniciou uma escola que atende 332 crianças. “Eu estudo na escola da Portas Abertas de duas a três horas por dia e isso fez uma grande diferença nos meus estudos”, testemunha.

Um colaborador local da Portas Abertas compartilha que logo que chegaram, as crianças que brincavam do lado de fora corriam para dentro quando eles se aproximavam. Eram crianças que viviam sob o medo. “Com certeza é o Senhor que está fazendo com que essas crianças possam rir e brincar de novo”, compartilha. Louve a Deus por essas iniciativas e continue orando pela Igreja Perseguida da Índia. O país ocupa a 11ª posição na Lista Mundial da Perseguição e a pressão contra cristãos tem aumentado.

Fonte:https://www.portasabertas.org.br

Família Cristã é Queimada Viva dentro de casa na Nicarágua

quinta-feira, junho 21, 2018





 

Uma família cristã evangélica composta por quatro adultos e duas crianças foram queimados vivos dentro da sua própria casa pelas forças policiais e paramilitares, a mando do regime governamental do presidente Daniel Ortega.

 

De acordo com o Canal 10, da Nicarágua, num relato de última hora, os moradores vizinhos falaram que a polícia decidiu atear fogo a casa com a família dentro dela.

 

O incidente ocorreu no bairro de Carlos Marx, em Manágua. Os dois filhos da família, um de oito meses e outro de um ano e meio, foram levados para o Hospital Alemão da Nicarágua, mas infelizmente as crianças não resistiram e chegaram mortas ao hospital. A informação é do Canal 10 que confirmou a notícia no seu último relatório.

 

Os adultos, três homens e uma mulher, ficaram completamente queimados, de acordo com os bombeiros. As imagens foram transmitidas logo pela manhã cedo. A Nicarágua está a passar por uma forte crise sociopolítica, e uma onda interminável de violência e mortes pelas mãos da Polícia e das forças paramilitares do governo Ortega.

 

O Centro dos Direitos Humanos da Nicarágua (Cenidh), contabilizou 146 mortes de acordo com as notícias da última semana, quando o comandante Ortega "reexaminou" a proposta dos bispos de democratizar o país e negociar a saída pacífica do atual regime.

 

O motivo que desencadeou o ataque contra essa família cristã é o facto deles terem princípios cristãos, disse o Canal 10.

 

A 100% News, outro canal da Nicarágua, relatou ao vivo que a família estava reunida na Igreja Fuente de Vida, que fica em frente da sua casa e sofreu o ataque quando retornaram.

 

Na última sexta-feira (15), o Diálogo Nacional, que busca uma solução pacífica para a crise sociopolítica que já leva mais de 50 dias reuniu-se. Depois de passar oito horas na Conferência Episcopal da Nicarágua (CEN) como mediadora do Diálogo Nacional, o Governo Ortega aceitou que a Comissão Inter-americana dos Direitos Humanos, a ONU e a União Europeia possam acompanhar a investigação dos crimes.

 

Motivos de Oração:

Ore para que essa crise seja resolvida e que o país tenha liberdade incondicional para continuarem a adorar ao Senhor Jesus.


Ore pelos cristãos que vivem ali, para que eles mantenham firmes em Cristo, mesmo em meio a situações de perseguições.


Ore pela família cristã que sofreu este atendado, para que Deus possa confortar os corações pela perda e restaurar as feridas.

Fonte:https://www.vozdosmartires.com

Pastor é libertado após ficar 11 anos preso por não negar a Jesus

quarta-feira, junho 20, 2018

O motivo da libertação do pastor não foi comunicado pela ONG Voz dos Mártires, que acompanhou o caso

O pastor Oqbamichel Haiminot passou 11 anos presos na Eritreia, na África, por não aceitar negar a Cristo, condição imposta a ele pelas autoridades governamentais daquele país. Presidente da Igreja Kale Hiwot (Palavra da Vida) em Asmara, o pastor foi preso quando participava de uma cerimônia de casamento em 2005, junto com outros 60 cristãos.

Segundo a organização “Voz dos Mártires”, o religioso foi coagido muitas vezes a negar sua fé em Jesus ao longo desses anos que esteve detido. Suas recusas o fez ser jogado em uma solitária e ser tratado de forma desumana, inclusive sendo condenado a fazer trabalho escravo.

O motivo da libertação do pastor não foi comunicado pela ONG australiana a Voz dos Mártires, tanto que a própria entidade que sempre atuou na defesa do pastor ficou impressionada com a soltura.

“Muitos pastores na Eritreia foram presos. Muitos cristãos foram presos. Nós não sabemos exatamente por que o pastor foi libertado neste momento. Por que não um ano atrás? Por que não daqui a um ano? Nós não sabemos qual é a lógica por trás disso – ou se existe alguma lógica por trás disso”, disse Todd Nettleton, porta-voz da organização.


Fonte:http://www.jmnoticia.com.br

PREFERIRIA MORRER A NEGAR JESUS

domingo, junho 17, 2018

Ore pela cristã indiana Chandan, que ainda está muito abatida depois da morte violenta do marido


 17 DE JUNHO DE 2018   

 Chandan disse que preferia a morte a negar Jesus


Chandan Devi, de 35 anos, é mãe de quatro filhos e viúva do pastor Aadarsh. Eles moravam em uma região onde os naxalitas são muito ativos. Os naxalitas são militantes que lutam pelos direitos de grupos tribais, e veem os cristãos como informantes da polícia por eles não mentirem quando são interrogados.


Aadarsh era um fiel pastor de 40 anos que levou um grupo de 25 a 30 pessoas de uma tribo a Cristo. Por isso, os naxalitas ficaram muito bravos com eles. Então um grupo de 30 homens invadiu a casa deles dizendo que iria matá-lo. “Eu os implorei para acabar com a minha vida também. Quando o arrastaram para fora de casa, eu me agarrei a ele. Mas eles me bateram no ombro e eu caí no chão. A porta fechou e eles desapareceram na floresta, onde Aadarsh foi assassinado”, relembra Chandan.

O velório do pastor Aadarsh foi feito pela esposa do pastor que o havia levado a Cristo e era um pai espiritual para ele. Nenhum dos homens cristãos puderam comparecer ao funeral, pois era muito arriscado para eles. Logo após o velório, voluntários treinados pela Portas Abertas visitaram Chandan, que havia fugido do vilarejo apenas com a roupa do corpo. Eles encontraram a viúva em choque e levaram comida e roupas para ela. Quando perguntaram: “Você pensou em abandonar Jesus?”, ela respondeu: “Eu preferiria morrer”.

Após essa primeira visita, nós continuamos em contato com Chandan por telefone. Ela ainda se sente muito atormentada e pressionada. Um dos filhos casou e os outros três estão em um internato. Depois da morte do pastor Aadarsh, o irmão dele, Ajay, foi ameaçado pelos naxalitas várias vezes. Ano passado, um filho dele chegou a ser sequestrado. Ore por Chandan e seus filhos, Rebecca, 21, Raju, 17, David, 14 e Solomon, 13. Clame também por toda a pequena comunidade cristã ao redor deles, que também enfrenta muita pressão.

Fonte:https://www.portasabertas.org.br

Culto de Aniversário do Pr. José Luiz

quinta-feira, junho 14, 2018


Neste dia 14 de Junho de 2018 a Igreja Evangélica Assembleia de Deus de Upanem-RN Celebrou Juntamente com uma carava de Pastores da região e Igreja local e congregações circunvizinhas.
Na direção do trabalho, esteve o Pr. Miranda.
Estiverem representantes do Poder Legislativo juntamente com o Deputado Estadual Jacó Jácome.
Pr. José Hermínio trouxe uma palavra para a Igreja do senhor.

ORE PELA COREIA DO NORTE

terça-feira, junho 12, 2018

Através de nossas orações, podemos ver o que não vemos a olhos nus e ganhar batalhas no mundo espiritual

 12 DE JUNHO DE 2018   

 Ore pelos cristãos perseguidos da Coreia do Norte

Ontem à noite, aconteceu a reunião histórica entre os presidentes dos Estados Unidos da América e da Coreia do Norte. A mídia de todo o mundo está voltada para esse acontecimento. Conforme você vê as notícias, o convidamos a orar pelos cristãos perseguidos da Coreia do Norte, país que ocupa a primeira posição na Lista Mundial da Perseguição há 16 anos.


Conheça hoje a inspiradora história de uma senhora que passou a maior parte da sua vida na Coreia do Norte. Ela foi presa junto com o marido por tentar escapar do país. Na prisão, o Salmo 23 lhe trazia conforto. E até hoje, quando lhe pedimos para recitá-lo, as lágrimas veem, numa mistura de dor e graça.


Ela conta que um dia os filhos foram visitar o marido na prisão, e ele queria transmitir a fé aos filhos. Mas havia guardas por todos os lados. Então, ele escreveu três palavras em sua mão: “Acredite em Jesus”. Através desse gesto, e ao ver o amor do pai por Deus e por eles, os filhos decidiram se tornar cristãos. Posteriormente, o pai foi morto na prisão por se recusar a negar a fé.


Histórias como esta são comuns na igreja subterrânea da Coreia do Norte. Esses homens e mulheres não são super-heróis, são pessoas comuns que foram transformadas por Jesus e decidiram que ele é digno de tudo. Não importa as circunstâncias, não importa o lugar, não importa o governo, não importa o custo. Você pode se juntar a eles em oração?

Fonte:https://www.portasabertas.org.br

ORE PELA REUNIÃO ENTRE DONALD TRUMP E KIM JONG-UN

domingo, junho 10, 2018

O encontro pode ser significativo para a Igreja Perseguida norte-coreana


 10 DE JUNHO DE 2018   

 Ore para que a situação dos cristãos norte-coreanos melhore a partir desse encontro


Está marcada para a próxima terça-feira, 12 de junho, a reunião entre os presidentes dos Estados Unidos e da Coreia do Norte. O encontro acontecerá na ilha de Sentosa, em Singapura. As conversações serão centradas em desarmamento nuclear e relações internacionais. Mas é um momento marcante também para os cristãos norte-coreanos. É possível que Deus use essa reunião para dar início a um processo de liberdade, que dê aos nossos irmãos e irmãs um alívio da constante opressão que enfrentam por seguir a Jesus.


Conversamos com um cristão que cresceu na Coreia do Norte. Ele nos conta que, quando sua família estava passando forme, ele costumava ir para as montanhas encontrar vegetais para comerem. Ele também cresceu sendo doutrinado com propaganda anticristã, que se referia aos cristãos como “enganadores e pessoas do mal, que devem ser evitados a todo custo”.

NA CASA SEGURA, ENCONTROU SALVAÇÃO

Um dia ele conseguiu escapar para a China, para procurar comida para a família. Mas a vida lá também era perigosa. Para um imigrante ilegal na China é difícil encontrar emprego e há sempre a ameaça de ser pego pela polícia e mandado de volta para a Coreia do Norte. Até que finalmente, ele conseguiu chegar a uma casa segura na China. Casas seguras são lugares onde a Portas Abertas provê alimento, comida, roupas e cuidado pastoral para refugiados norte-coreanos.

Na casa segura, ele teve que superar os estereótipos sobre cristãos que tinha criado ao longo da vida e encontrou Jesus. Depois ele conseguiu sair da China e hoje é pastor na Coreia do Norte. Mas ainda vive secretamente devido à ameaça de espias norte-coreanos, que poderiam dificultar a vida dele e de seus familiares que ainda vivem na Coreia do Norte.

Nesses dias que antecedem a reunião entre o presidente americano, Donald Trump, e o norte-coreano, Kim Jong-un, o encorajamos a orar pelos cristãos perseguidos da Coreia do Norte. Que essa reunião represente o começo de uma abertura para a liberdade religiosa. Interceda pela vida dos nossos irmãos e irmãs da Igreja Perseguida da Coreia do Norte, para que sejam fortalecidos e sustentados pelo Senhor apesar de toda perseguição.

Fonte:https://www.portasabertas.org.br

CRISTÃO FOI PRESO POR ORAR NA COREIA DO NORTE

sexta-feira, junho 08, 2018

O cidadão americano Kim Hak Song descobriu que seus “atos hostis contra o governo” eram orações


 8 DE JUNHO DE 2018   

 Ele cometeu o crime de orar (Foto representativa)


Kim Hak Song foi preso em um trem que ia da capital da Coreia do Norte, Pyongyang, para a China em maio de 2017, supostamente por ter cometido atos hostis contra o governo. Falando à própria igreja em Los Angeles sábado passado, o cidadão americano disse que perguntou às autoridades o que ele tinha feito de errado. A resposta foi que ele cometeu o crime de orar. Os oficiais tinham cópias de e-mails que Song havia enviado à igreja, pedindo-lhes para orar pela Coreia do Norte. Eles também sabiam que ele tinha um grupo de oração pela manhã.


Song era um missionário da sua igreja na China, e passava um mês na Coreia do Norte a cada vez que ia. Ele estava envolvido em desenvolvimento agrícola na Universidade de Ciência e Tecnologia de Pyongyang. Embora não tenha sido torturado durante a prisão, a esposa afirma que ele sentia dores.

Song foi libertado em 9 de maio, com dois outros cristãos, Kim Kong-chul, um pastor de aproximadamente 60 anos, e Tony Kim (também conhecido como Kim Sang-duk). Segundo a Casa Branca, a soltura dos três foi um ato de boa vontade que precede a reunião do presidente americano, Donald Trump, com o líder norte-coreano, Kim Jong-un, marcada para 12 de junho.

Fonte:https://www.portasabertas.org.br

CGADB ajuda projetos missionários da África e Ásia

sexta-feira, junho 08, 2018

No último domingo (03), a Secretaria de Missões da AD em Salvador recebeu os valores que irão auxiliar nos trabalhos missionários da igreja.

    


CGADB ajuda projetos missionários da África e Ásia – Foto: CGADB

A Secretaria Nacional de Missões (Senami), da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB),segue realizando a entrega das contribuições provenientes da Campanha: Eu Faço Missões de 2017, comemoração ao Dia Nacional de Missões em 2017. Ao todo 10 projetos foram contemplados.

No último domingo (03), o secretário executivo da Senami, pastor Saulo Gregório de Lima, realizou a entrega de dois cheques, no valor de R$5 mil cada, para a Secretaria de Missões da Assembleia de Deus em Salvador (SEMADESAL), departamento que pertence à Assembleia de Deus em Salvador, presidida pelo pastor Israel Alves Ferreira, que também é presidente da Convenção Fraternal de Ministros das Assembleias de Deus no Estado da Bahia (CONFRAMADEB). Os cheques apoiarão o projeto Tradução da Bíblia Língua Jola Felupe da Guiné-Bissau e Projeto Missionário na Índia.

Na oportunidade, pastor Saulo Gregório ressaltou o trabalho desenvolvido pela igreja de Salvador e pelo privilégio de fazer a entrega direto nas mãos dos missionários, pastor Silver Moisés, líder do trabalho na Índia, e pastor Osvaldo Honório da África. “Acreditamos que esses valores se somarão a outros esforços para que o nome do Senhor Jesus seja levado até a Ásia e a África. Louvamos ao Senhor pelo trabalho e empenho missionário da igreja de Salvador”.

Fonte:http://www.jmnoticia.com.br/gospel/#

QUÊNIA ALERTA PARA POSSIBILIDADE DE ATAQUES NO RAMADÃ

quinta-feira, junho 07, 2018

Governo reconhece que a segurança pode ser afetada por extremistas muçulmanos


 7 DE JUNHO DE 2018   

 A tensão cresce na região e coloca o governo em alerta (Foto representativa)


O governo do Quênia alertou a população quanto à possiblidade de ataques do Al-Shabaab e de grupos radicais islâmicos no país durante o mês de Ramadã, o jejum muçulmano. Durante uma reunião sobre segurança, um xeique moderado também alertou sobre o fato de pessoas com uma visão radical acreditarem que “ataques feitos durante o Ramadã tenham grande recompensa”.


No dia 15 de maio, em uma coletiva de imprensa em Mombaça, o comandante de polícia Noah Mwavinda assegurou que a polícia está em alerta para garantir a segurança nesse período. Ele disse que lugares de adoração terão segurança adequada e suficiente. Um contato da Portas Abertas em Garissa relatou que há um crescente medo entre os cristãos nos últimos dias, pois relatórios da inteligência do país indicam que há suspeitas da presença de terroristas na região. “As pessoas sabem dessas ameaças à segurança e já começaram a ficar em casa, não se movendo na cidade tão livremente como antes”, afirmou.

Isso também afeta a frequência aos cultos, pois muitos se afastam da igreja por medo de ataques. Negócios cristãos, como pequenos comércios e lanchonetes, também sairão perdendo por ser forçados a fechar durante o dia e porque a clientela também opta por se distanciar de lugares que possam ser alvos de ataques. “Estudantes universitários também temem que suas instituições sejam alvos de ataques terroristas. Por favor, orem, porque o corpo de Cristo é afetado por tudo isso”, pede nosso contato.

Pedidos de oração

Ore pela proteção do Senhor sobre os cristãos.


Clame para que Deus fortaleça a fé dos quenianos, dando-lhes ousadia e coragem.


Interceda pela unidade entre os cristãos.


Peça que Deus se revele aos muçulmanos, mostrando-lhes o verdadeiro caminho da salvação em Jesus.

Fonte:https://www.portasabertas.org.br

Autoridades do Uzbequistão perseguem cristãos aplicanto multas e confiscando Bíblias

terça-feira, junho 05, 2018

Celulares, livros e exemplares da Bíblia são confiscados e os cristãos são obrigados a pagarem multas

    

No Uzbequistão a perseguição religiosa continua fazendo vítimas, as autoridades aplicam multas, confiscam livros cristãos e exemplares da Bíblia, invadem cultos domésticos, interrogam e prendem quem acredita em Jesus.

No ano passado o pastor de uma igreja doméstica, Ahmadjon Nazarov foi preso após a polícia invadir a casa onde acontecia o culto. O dono do imóvel foi torturado, aparelhos eletrônicos e materiais cristãos foram apreendidos.

Após a prisão do pastor e de outros irmãos que estavam no culto, as autoridades passaram a intimidar as mulheres cristãs daquela comunidade. Em dezembro do ano passado, a cristã Shakhzoda Rajabova foi multada por possuir livros cristãos e alguns de seus materiais foram destruídos. Até mesmo seu aparelho celular foi confiscado.

Em abril deste ano ela recebeu uma notificação de que estava sendo processada e sua defesa chegou a questionar ao tribunal sobre o confisco do material, mas o juiz se negou a responder.

Quem também foi condenada a pagar multa por ter livros cristãos em casa foi Sharofat Allamova que em abril deste ano recebeu várias multas e teve seu aparelho celular confiscado com a garantia de ter o telefone devolvido mediante ao pagamento de mais uma multa.


  Fonte:http://www.jmnoticia.com.br

GOVERNO DA ARGÉLIA FECHA MAIS DUAS IGREJAS

segunda-feira, junho 04, 2018

Igrejas são interditadas sem aviso prévio, na região onde o evangelho tem crescido no país


 

 Igrejas na Argélia são pressionadas (Imagem ilustrativa)


No final de semana dos dias 25 a 27 de maio, a polícia interditou duas igrejas na província de Cabília, no nordeste da Argélia, onde se dá grande parte do crescimento da igreja no país. Uma das igrejas se localiza em Ait-Mellikeche, na cidade de Bejaia, a 200 km da capital Argel. A igreja foi criada em 2005, conta com mais de 200 membros, e é afiliada à associação de igrejas protestantes da Argélia (EPA, da sigla em francês) desde 2007.


A ordem de fechar a igreja era totalmente inesperada, como nos contou um de seus líderes: “Os oficiais chegaram na sexta-feira de manhã e simplesmente interditaram a principal entrada da igreja, sem nenhum aviso, assim como fizeram com outras igrejas”, relata. Não há nenhuma notificação explicando o motivo do fechamento da igreja. No dia 28 de maio, alguns líderes da igreja foram até a polícia tentar entender a questão, mas “eles nos mandaram fazer um pedido ao prefeito de Bejaia, pois foi dele que partiu a ordem de fechamento”, diz um deles.

A outra igreja fechada se localiza na cidade de Maatkas, perto de Tizi-Ouzou, a 100 km de Argel. A ordem também partiu do prefeito. A igreja de Maatkas é uma comunidade nova, com cerca de 60 membros, e não é afiliada à EPA. Um de seus líderes diz que recebeu uma ligação de um policial dizendo: “Estou ligando para informá-lo de que recebemos uma ordem para fechar sua igreja”. Então, no sábado (26) de manhã, um grupo de policiais interditaram a principal entrada do prédio, ordenando aos líderes a não reabrir até que recebessem autorização.

O governo da Argélia tem sido criticado por discriminação contra a minoria cristã do país. Igrejas e cristãos enfrentam crescentes restrições nos últimos meses. Tal pressão levanta a possibilidade de uma “campanha coordenada de ação intensificada contra igrejas pelas autoridades do governo”, de acordo com o grupo de advocacia Middle East Concern. Ore pela Igreja Perseguida da Argélia, país que ocupa a 42ª posição na Lista Mundial da Perseguição.

Fonte:https://www.portasabertas.org.br

O DOM DA LIBERDADE PARA UM CRISTÃO NORTE-COREAN

sábado, junho 02, 2018

John Choi nos conta como era a vida na prisão: “Prisioneiros não são humanos na Coreia do Norte”


 2 DE JUNHO DE 2018   

 Homem norte-coreano (Imagem ilustrativa)


O cristão norte-coreano refugiado, John Choi, responde à pergunta: “Como é ter liberdade para viver uma vida cristã abertamente?”. Ele diz que a pergunta o remete ao centro de detenção, onde quase morreu, 14 anos atrás. “Eu tinha apenas 15 anos na época, e fui preso na China por tentar cruzar a fronteira para a Mongólia”, relembra.


Choi diz que é difícil escrever sobre esse tópico, mas quer que todos conheçam a realidade. Havia 50 presos na cela e eram obrigados a ficar sentados no chão o tempo todo, um de costas para o outro. “O companheiro de cela que estava atrás de mim morreu durante a noite, os carcereiros vieram e o arrastaram como se fosse um animal morto. Prisioneiros não são humanos na Coreia do Norte”. Choi conta ainda que como criança viu muitas mortes na rua. As pessoas morriam de fome e eram jogadas na rua. “Mas essa experiência do prisioneiro morrer era nova e chocante para mim. Eu estava submerso em medo, medo da morte, medo de ser arrastado como aquele outro”.

Experimentando liberdade e democracia

“Eu fui liberado da prisão depois de quase morrer torturado. Foi um milagre. Eu fugi pela segunda vez para a China e, apesar de muitos obstáculos e perigos, cheguei à Coreia do Sul em segurança”, conta. Choi hoje mora no Reino Unido, onde estuda e trabalha numa sociedade democrática e livre. “Na Coreia do Norte, liberdade era apenas um conceito, uma ideia. Aqui liberdade faz parte da minha vida diária. Eu posso ir à igreja sem ser preso, posso ler a Bíblia sem medo de espias. Posso orar, cantar e adorar sabendo que Deus ‘e’ outros podem me ouvir. Não preciso temer”.

Choi celebra também a liberdade de poder se expressar da forma que quer. “Na Coreia do Norte, o governo decide tudo para você. Aqui nós podemos achar e criar oportunidades. Por que estou compartilhando tudo isso? Porque vocês precisam saber de onde vim, para entender como eu valorizo a liberdade. Espero que vocês entendam o grande dom da liberdade e da democracia que vocês receberam. Deus me salvou da Coreia do Norte e me deu o dom da liberdade, e não vou mantê-lo para mim mesmo”, conclui o cristão.

Fonte:https://www.portasabertas.org.br

UMA MENSAGEM DE CORAGEM, AMOR E PERDÃO

sexta-feira, junho 01, 2018

Cristãos vítimas de ataque a bomba em Surabaya perdoam e não odeiam nem desejam vingança


 1 DE JUNHO DE 2018   

 Menina da Indonésia (Imagem ilustrativa)


Alguns dias após os ataques a bomba a igrejas em Surabaya, na Indonésia, um colaborador de campo da Portas Abertas visitou algumas famílias da Igreja Pentecostal de Surabaya (GPPS) que foram afetadas pelo ataque. Apesar do luto e profunda dor, eles decidiram responder como Jesus o faria. “Não podemos ceder ao medo. Temos que continuar nossos cultos de domingo normalmente”, disse o pastor Yonathan Budiarto uma semana após o incidente.


Mas agora os cultos são debaixo de uma lona no estacionamento da igreja, pois o prédio ficou tão destruído que é impossível usá-lo. No dia 13 de maio, uma van invadiu a igreja e explodiu. GPPS foi uma das três igrejas em que ataques com bombas foram realizados em Surabaya, a segunda maior cidade da Indonésia. Os ataques mataram ao menos 15 pessoas e feriram mais de 30. Seis dos que perderam a vida e ao menos sete dos feridos eram membros da GPPS.

Robby Pujianto, de 62 anos, foi lançado a seis metros de onde estava sentado na igreja quando a bomba explodiu. Imediatamente, ele se levantou para procurar a mãe, que estava sentada ao lado dele. Miraculosamente, ela estava lá, intocada. Eles foram para casa e só então descobriram que suas costas tinham sido feridas por estilhaços de vidro. Mas ele não sentiu raiva em relação aos terroristas. “Como cristãos, somos ensinados a perdoar, senão o ciclo de violência nunca será quebrado. Dói quando eu deito, mas então lembrei que Jesus foi flagelado; de repente senti que seus braços estavam me segurando e a dor começou a diminuir ”, disse ele.

Robby é descendente de chineses e tem um negócio familiar com seu filho. Ele tem empregados muçulmanos e diz que se dá bem com eles. No culto de domingo, Robby se sentiu um pouco assustado no começo, mas depois “conforme o culto prosseguiu, meu medo se foi”, afirmou. A Portas Abertas ajudou financeiramente mais de dez vítimas, inclusive famílias de falecidos e feridos no ataque. Eles precisam de suas orações para se recuperar e continuar sendo testemunhas do poder do amor de Jesus. (Essa história continua).

Fonte:

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *