Após quase 50 anos, acaba proibição de bíblias em Cuba

terça-feira, junho 30, 2015

Mais de 80 mil exemplares chegaram à ilha no último mês.
Após a reaproximação dos Estados Unidos e Cuba, surgiu uma oportunidade rara para os missionários. Há quase 50 anos Bíblias não eram encontradas nas livrarias cubanas. Um cristão tinha acesso a elas apenas pela rede de igrejas subterrâneas. Agora essa situação mudou.
Este mês, a International Missions Board (IMB), maior agência missionária dos Estados Unidos, enviou 83.000 bíblias para a ilha caribenha. Há relatos que existem extraoficialmente cerca de 1200 igrejas evangélicas em Cuba. O regime comunista dos irmãos Castro proibia a abertura de templos “não registrados”.
O IMB relata que este é um tempo de crescimento dos evangélicos.  A nação comunista proibiu a distribuição da Bíblia abertamente em 1969.  Até recentemente as bíblias que chegavam até os cubanos precisavam ser contrabandeadas e seguidamente eram apreendidas pelas autoridades. Centenas de missionários já foram presos e extraditados por tentarem levar literatura bíblica escondida desde a década de 1960.
Segundo David Isais, que faz parte da Comissão Bíblia de Cuba (CBC), o ministério Revival Fires [Fogo do Avivamento] pretende entregar pelo menos 250 mil bíblias em Cuba este ano. O seu objetivo é que as ofertas possibilitem atenderem o pedido de 1 milhão feito por pastores cubanos. Isais explica que o governo está fazendo um programa experimental que pode ser interrompido a qualquer momento se a distribuição “criar muitos problemas”.
A Comissão Bíblica de Cuba serve como “ligação” entre o governo e as igrejas em Cuba há mais de seis décadas. Para ele é um grande alívio essa liberdade. Algumas igrejas têm apenas uma ou duas bíblias para toda a congregação e muitos pregadores cubanos precisam dividir um mesmo exemplar para estudar e pregar.
A CBC firma que foram autorizados a colocar bíblias não só nas igrejas, mas também em escolas, prisões e bibliotecas. Sua expectativa é que a ampla distribuição da Palavra de Deus gere um avivamento entre os cubanos. Com informações CBN e Joplin Globe.
Fonte:http://noticias.gospelprime.com.br/

Departamento Infantil realizará o projeto SUPER 5

segunda-feira, junho 29, 2015

 ,

A Ad- Upanema/RN através do departamento infantil irá desenvolver, no período do recesso escolar, de 06 a 10 de Julho o projeto SUPER 5 que é uma estratégia de evangelismo com crianças. O objetivo é promover um despertamento para que os lares amam ao Senhor  abram suas portas , durante cinco dias consecutivos , para a evangelização das crianças e também adultos. O projeto levará a mensagem da salvação as crianças descrentes assim estaremos cumprindo o Ide do Senhor. O projeto foi apresentado aos membros do DEPIN pelas irmãs  Ione e Leonildo sobral.

Geração Bem Aventurada (GBA) se reúne com a mocidade do Projeto de Assentamento Palheiros III

sábado, junho 27, 2015



Melhor é serem dois do que um.
Eclesiastes 4.9-12

Neste Sábado (27/06/15) a equipe Geração Bem Aventurada (GBA) esteve reunido com a mocidade do Projeto de Assentamento Palheiros III. Um momento muito edificante onde tivemos como dirigentes os irmãos que fazem a liderança da GBA, Pedro, Ellen, Franklin e Giulia com a apresentação da equipe e com o devocional para uma maior comunhão com Deus. Logo mais tivemos a leitura da palavra com irmã Marina que leu a leitura oficial Ec 4.9-2 e a palavra com o irmão Netali.


Para dá continuidade a programação tivemos uma dinâmica, onde cada jovem de igreja de Upanema ficou com um jovem da igreja do Palheiros, fazendo assim um momento de interação e  aproximação, assim cada um apresentava um ao outro, muita risada, descontração e interação. Houve uma palavra da irmã Elinne que foi representando a Umadup, dando todas as informações dos trabalhos pertinentes como o Congresso Integrado da Mocidade.

Irmão Chicolinha parte para a Glória, um dos primeiros crentes de Upanema/RN

sexta-feira, junho 26, 2015



É com pesar que informamos o falecimento do irmão Chicolinha, ocorrido na tarde desta Sexta-feira (26/06).  Esse servo de Deus foi um dos pioneiros do Evangelho em Upanema e um dos primeiros membros da Assembléia de Deus local.
Confira a entrevista que esse estimado irmão concedeu ao Informativo SEMADUP em 2011:
Informativo SEMADUP-Irmão Chicolinha, conte-nos como era sua vida antes de aceitar a Jesus.
Irmão Chicolinha -Em minha juventude sempre ajudava meus pais no campo e era obediente a eles. Mas, ia ás festas mundanas frequentemente e achava que elas nunca iriam trazer mal pra mim. Eu era inocente e não conhecia o caminho da verdade que é Jesus. Resumindo, era destruído espiritualmente.

Informativo SEMADUP - Como foi que o irmão conheceu á Jesus?
Irmão Chicolinha - Certo amigo meu (que era crente) chamado Zé Dantas, sempre me falava de Jesus. Mas como diz o ditado, aquelas palavras “entravam num ouvido e saía no outro”. Até que no dia 20 de maio de 1970, o Pr. Francisco Ribeiro realizou um culto no sítio Salgado, município de Campo Grande, o qual eu morava. Vendo aquele movimento, decidi participar. A palavra falada pelo pregador era tocante. Ao término do culto, o pastor fez o apelo e não resisti à voz do Senhor e o aceitei como meu salvador.

Informativo SEMADUP -Como o irmão se sente agora, depois de ter aceitado a Jesus?
Irmão Chicolinha -Antes de ser crente, não havia dificuldades e nem perseguições. Depois de crente, muitas perseguições vieram, mas mesmo com as lutas, continuei firme, seguindo a Jesus. Sinto sua presença maravilhosa em meu viver.

Informativo SEMADUP - Conte-nos um milagre que o irmão já presenciou.
Irmão Chicolinha-Certa vez senhora estava com um câncer na garganta e não podia comer nem beber nada. Sua filha, ao ver o estado em que sua mãe se encontrava, pediu que orássemos por ela. No início ficamos com medo, mas Deus nos encorajou através de uma visão dada a um irmão. Deus dizia: ”Não temas, pois eu farei a obra! ”. Ao amanhecer, oramos por ela e Deus fez o milagre. Além desses, houve vários outros.

FONTE: Informativo SEMADUP

Estado Islâmico na Líbia sequestrou 86 cristãos

quinta-feira, junho 25, 2015

Passando da 12ª posição (2014) para a 8ª na Classificação da Perseguição Religiosa 2015, a situação dos cristãos na Eritreia é preocupante.

O drama dos cristãos eritreus continua. De acordo com o jornal britânico The Telegraph, 86 eritreus foram sequestrados por membros do Estado Islâmico no início de junho. O relatório aponta que os militantes emboscaram uma caravana de tráfico humano. Com o controle dela, a primeira coisa que fizeram foi separar cristãos e muçulmanos. Para aqueles que afirmaram ser muçulmanos, foram feitas uma série de perguntas para terem a certeza de que não estavam fingindo.
Ashagrie, analista de perseguição da Portas Abertas, comentou: “A situação geral da Eritreia não tem melhorado, especialmente para os cristãos. Eles têm arriscado suas vidas para escapar, mesmo sabendo que podem ser presas fáceis para o Estado Islâmico e outros traficantes humanos. Aqueles que permanecem no país são consumidos nas famosas prisões eritreias sem acesso a saúde e visitas de familiares por décadas. Cristãos eritreus estão sofrendo em casa e o caminho para eles escaparem do regime imposto pela presidente Afewerki está infestado por grupos terroristas islâmicos que têm continuamente mostrado sua potência à comunidade internacional, cometendo várias atrocidades bárbaras. O último episódio é outro sinal que mostra que a vida de cristãos eritreus tem se tornado mais dura do que nunca. No mês de abril, o Estado Islâmico também sequestrou 79 cristãos eritreus e etíopes, dos quais foi mostrado pela mídia mundial o assassinato de 30 deles.
Fonte:http://www.cpadnews.com.br/

40 dias de Oração pela Igreja Perseguida

quarta-feira, junho 24, 2015

Livreto traz histórias reais de pessoas que enfrentam a perseguição por causa do evangelho. O desafio é orar durante 40 dias pelos nossos irmãos que vivem em países muçulmanos

Os dados do mundo muçulmano continuam impressionando. Dos 50 países da Classificação da Perseguição Religiosa 2015, em 40 deles cristãos são perseguidos principalmente pelo extremismo islâmico. Isso representa 80% dos países em que servir a Cristo pode custar a própria vida. Diariamente a Portas Abertas recebe relatos de pessoas que são abusadas, discriminadas, agredidas e até mesmo mortas por não negarem sua fé em Jesus. Cem milhões de cristãos são perseguidos todos os dias.
No Brasil, 1 em cada 2 mil cristãos conhece a causa da Igreja Perseguida. Para que mais pessoas conheçam e se envolvam com a causa, a Portas Abertas distribui aos seus parceiros mensalmente a revista Portas Abertas com o desafio de conscientizar, mobilizar e impactar os cristãos brasileiros em prol daqueles que são perseguidos por causa de sua fé.
Livreto 
No mês de julho, os parceiros receberão junto com a revista um livreto de "40 dias de Oração pela Igreja Perseguida", com testemunhos e desafios dos cristãos perseguidos no mundo muçulmano. Para cada dia separamos uma história, pedidos de oração e uma reflexão. Para receber o Livreto de Oração em sua casa,entre em contato conosco.


Fonte: www.portasabertas.org.br

Escola Bíblica para Obreiros e Esposas da Ad - Upanema/RN

sábado, junho 20, 2015


Neste Sábado 20/06/15, foi realizado a Escola Bíblica para Obreiros e Esposas da Ad - Upanema/RN. Os pregadores foram o Pr. Antônio Adelino presidente da Ad- Upanema/RN, Pb. Luiz Gonzaga Vice Presidente, Pb. Antônio Eriberto e o Pr. Marcelo Tavares.

Dois bilhões de pessoas ainda não ouviram o nome de Jesus´ afirma líder de missões Batista dos EUA

quinta-feira, junho 18, 2015

Apesar dos esforços, David Platt disse que o número de missionários batistas do sul tem diminuído ao longo dos últimos cinco anos.

O declínio do número de missionários batistas em todo o mundo pode comprometer a pregação do Evangelho em locais remotos, segundo David Platt, presidente da International Mission Board(Junta de Missões Mundiais, em português). Segundo ele, cerca de 2 bilhões de pessoas não ouviram falar sobre Jesus Cristo no mundo.
Ao discursar na reunião anual da Igreja Batista do Sul, no estado de Ohio, Estados Unidos, Platt elogiou os esforços coletivos da IMB, apontando que existem 4.700 missionários para proclamar o Evangelho a quase 2 milhões de pessoas em todo o mundo. Ele também observou que os seus esforços levaram cerca de 200 mil pessoas serem batizadas e a plantação de quase 13 mil novas igrejas.
Apesar dos esforços, Platt disse que o número de missionários batistas do sul tem diminuído ao longo dos últimos cinco anos, o que afetou sua capacidade de difundir o Evangelho aos povos não alcançados do mundo.
"Em 2009, nós batemos o maior número de missionários no campo em 5.600, mas agora esse número caiu para 4.700 e rapidamente deve chegar a 4.200. E a razão para isso é que nós não somos capazes, financeiramente, de apoiar a nossa força missionária no campo", disse ele. "No ano passado, operávamos com quase 21 milhões de dólares no vermelho, então o número de missionários começou a diminuir, não aumentar, o que não é tolerável quando 2 bilhões de pessoas ainda não ouviram o nome de Jesus."
Platt propôs expandir o recrutamento missionário tradicional e focar em estudantes, profissionais e aposentados, em uma tentativa de aumentar o número de missionários no exterior. "O problema não é que as pessoas não estão dispostas a ir, o problema é que não temos capacidade [financeira] para enviá-los", disse ele.
Fonte:http://www.cpadnews.com.br/

Assembleia de Deus no Brasil comemora 104 anos

quinta-feira, junho 18, 2015

Igreja foi fundada em 18 de junho de 1911 pelos missionários suecos Daniel Berg e Gunnar Vingren.

As Assembleias de Deus no Brasil estão completando, neste dia 18 de junho, 104 anos de fundação. Tudo começou com a vinda de dois missionários suecos que antes de chegarem ao Brasil visitaram o movimento de despertamento e avivamento espiritual da Rua Azuza em Los Angeles, EUA. 

Daniel Berg e Gunnar Vingren atenderam a chamada missionária ao receberem uma revelação de Deus acerca do Pará. Porém, ambos não sabiam onde ficava. Ao pesquisarem no mapa descobriram que se tratava da região norte de nosso país. Obedecendo ao “ide” chegaram a terras brasileiras em 19 de novembro de 1910.

A princípio reuniram-se com as igrejas batistas aqui já instaladas, mas como traziam na bagagem a doutrina pentecostal do batismo no Espírito Santo com a evidência do falar em línguas e a atualidade da concessão de dons espirituais como nos tempos apostólicos, não demorou para que o Senhor Jesus começasse a batizar os membros daquela igreja que, não aceitando a nova doutrina, decidiram desligar da comunhão os crentes que se uniram aos missionários. Entre eles, a irmã Celina Albuquerque, que na madrugada de 02 de junho de 1911 recebeu o batismo no Espírito Santo e falou em línguas conforme a promessa descrita no livro do profeta Joel 2 e seu cumprimento em Atos dos Apóstolos 2. Ela foi a primeira crente da igreja Batista de Belém a ser batizada. Logo outros foram batizados também. Um total de 13 membros deixou a igreja Batista em Belém do Pará para juntar-se aos missionários e fundarem em 18 de junho de 1911 a igreja Missão da Fé Apostólica.

Muitos estavam curiosos para conhecerem a nova doutrina. Houve rejeição por parte de alguns, mas muitos abraçaram a doutrina porque viam nas páginas da Bíblia a confirmação do que era pregado e ensinado pelos missionários estrangeiros. A essa altura as reuniões de oração que no início aconteciam na residência dos missionários, passaram à residência da irmã Celina de Albuquerque.

Reunidos na casa da irmã Celina, por sugestão de Gunnar Vingren, em 18 de janeiro de 1918, registrou-se a igreja Assembleia de Deus, nome que traz até hoje. Tendo origem no movimento pentecostal do início do século XX na América, as Assembleias de Deus do Brasil, cresceram nos moldes da igreja do Novo Testamento, onde os discípulos cheios do Espírito Santo levaram o Evangelho a todo o mundo.

Não muito tempo depois as Assembleias de Deus chegaram aos grandes centros urbanos das regiões Sul e Sudeste, como Porto Alegre, São Paulo e Belo Horizonte. Em 1922 chegou ao Rio de Janeiro, no bairro de São Cristóvão, e ganhou impulso com a transferência de Gunnar Vingren, de Belém, PA, em 1924, para a então capital da República.

Desde 1930, quando se realizou a primeira Convenção Geral dos pastores na cidade de Natal, RN, as Assembléias de Deus no Brasil passaram a ter autonomia interna, sendo administrada exclusivamente pelos pastores residentes no Brasil, sem, contudo perder os vínculos fraternais com a igreja na Suécia. A partir de 1936 a igreja passou a ter maior colaboração das Assembléias de Deus dos EUA através dos missionários enviados ao país, os quais se envolveram de forma mais direta com a estruturação teológica da denominação.

Em virtude de seu fenomenal crescimento, principalmente depois dos anos 90 com a criação e ação da chamada Década da Colheita, iniciativa das Assembléias de Deus, os pentecostais começaram a fazer diferença no cenário religioso brasileiro. De repente, as autoridades religiosas e seculares despertaram para uma possibilidade jamais imaginada: o Brasil poderia vir a tornar-se, no futuro, uma nação protestante. Tal possibilidade se tornou ainda mais real com a divulgação entre o final de 2006 e início de 2007 por um instituto de pesquisa de que, com vinte milhões de fiéis, o Brasil é o maior país pentecostal do mundo.

Atualmente, os mesmos institutos de pesquisa apontam para uma mudança no perfil evangélico brasileiro em todos os setores da sociedade por conta da ação do Evangelho. As Assembleias de Deus estão hoje em todas as camadas da sociedade, inclusive com representantes na esfera política do Congresso Nacional. Como agente de mudança não somente espiritual, vê-se a igreja agindo em grande escala em trabalhos sociais de grande envergadura e empenhada a mudar a face do nosso país a partir do Evangelho de Jesus Cristo, tendo templos em quase todas as cidades brasileiras.
Fonte:http://www.cpadnews.com.br

DIP2015: “É impossível ficar indiferente”

quarta-feira, junho 17, 2015

O Domingo da Igreja Perseguida foi realizado em mais de 7.000 igrejas em todo o Brasil e também em alguns países do exterior. Milhares de irmãos estiveram unidos para orar pelos cristãos perseguidos no mundo muçulmano. Saiba como foi o DIP em uma igreja na zona sul de São Paulo.
Com 26 anos de ministério, uma igreja local em São Paulo-SP realizou o Domingo da Igreja Perseguida pela primeira vez. A programação começou logo após a escola bíblica, às 11h, com um relógio de oração, como conta o pastor Luciano: "Este é o nosso primeiro DIP e, pelas respostas que já estamos tendo, acredito que o pessoal aderiu à ideia. Nos próximos anos vamos nos aperfeiçoar, envolver toda a igreja, desde o período da manhã à noite, para alcançar o maior número possível de irmãos. No relógio de oração, de meia em meia hora um grupo se reunia para orar por um país específico. Algumas pessoas oraram em vários grupos, por diferentes países."

Além do relógio de oração, o grupo de jovens da igreja realizaram uma peça de teatro no culto da noite que simulava um momento de perseguição e tortura a uma família em um país muçulmano. Essa família se recusou a negar a Cristo, mesmo com a pressão das autoridades.

Com o papel de soldado que torturou uma família para que negasse a Cristo, Jhonatan contou como foi viver essa experiência: "No final do teatro perguntamos: ‘E se fosse você no lugar desses irmãos? Você preferiria negar a Jesus e viver ou morrer com Jesus? A gente quer que a igreja entenda de uma forma bem clara o que é a perseguição. Para mim foi difícil fazer o papel de soldado torturador porque, apesar de saber que é uma peça, eu não me imagino torturando uma pessoa e isso mexeu comigo. Nós temos liberdade em nosso país para falar do evangelho e muitas pessoas não têm. Ficamos na zona de conforto, sentados no banco da igreja e não fazemos nada para falar do evangelho e eles que sofrem perseguição querem fazer isso e não podem. É um choque de realidade, de querer sair da zona de conforto e fazer mais".

O pastor Luciano contou como foi o DIP para sua vida pessoal e como foi impactado com a realidade dos nossos irmãos ao redor do mundo: "Para mim, alguém que foi alcançado por Jesus e que tem o coração grato a Deus, é impossível não se envolver com uma causa dessa. É impossível ficar indiferente. Não consigo imaginar alguém que foi salvo e alcançado ficar indiferente. Para mim o DIP é isso."
E se fosse você no lugar desses irmãos? Você preferiria negar a Jesus e viver ou morrer com Jesus?
Foto enviada por um participante do DIP 2015 através do nosso Instagram.

FontePortas Abertas Brasil

Comunidades cristãs no sul de Chade necessitam da sua oração

segunda-feira, junho 15, 2015

A igreja local ainda tem algumas questões críticas a melhorar.
Chade é um país de maioria muçulmana. Embora haja liberdade religiosa e o presidente Idris Debby Itno alegue trazer uma maior liberdade religiosa para os cristãos, um grande número de cargos do governo, incluindo posições militares, são preenchidos por muçulmanos. Eles costumam usar essas posições para exercer pressão sobre os cristãos. Especialmente os cristãos nominais caem facilmente.
Pesquisadores relataram um aumento na influência islâmica radical e uma crescente presença de militantes do grupo extremista Boko Haram em Chade. Há também um aumento considerável de pressão sobre os cristãos de religiões tradicionais africanas.
Algumas das questões críticas que a igreja no Chade enfrenta são:
• Falta de preparo para enfrentar a perseguição e envolvimento com o islã e religiões tradicionais africanas.
• Carência de discipulado para crescimento na fé.
• Insuficiência de foco no crescimento econômico para cristãos carentes. Um pastor explicou:"Se nós, cristãos, não aplicarmos estratégias para mudar positivamente a nossa economia, ninguém dará atenção necessária para a nossa mensagem”.
• Dificuldade em encontrar líderes realmente compromissados na igreja.
Um exemplo de tudo isso pode ser observado na comunidade cristã de Bakaba em Yamoudo, uma subdivisão em Gore, na fronteira do Chade com República Centro-Africana. Fontes locais têm procurado a Portas Abertas que está na comunidade cristã, alegando que têm sido negativamente impactados pelas atividade radicais islâmicas na região. Desde o início da crise, em 2013, os radicais muçulmanos causarão danos aos cristãos da região.
Os atacantes armados intimidaram os cristãos, queimando suas igrejas e destruindo rebanhos de gado. Foi relatado que os muçulmanos ainda tentaram construir uma mesquita no lugar da igreja, mas os cristãos impediram que o plano desse certo.
Os cristãos dizem que perderam a esperança nas autoridades locais que parecem não fazer questão de protegê-los. Eles também se sentem abandonadas pela igreja em Chade, que se manteve em silêncio sobre os maus-tratos que os cristãos de Bakada passaram.
Um parceiro da Portas Abertas disse que seus esforços para levar ajuda aos cristãos têm sido sabotados por líderes muçulmanos locais, que convidaram um cristão sem muito conhecimento para outro lugar, onde ensinou-lhe parte do Alcorão e deu-lhe presentes.
A Portas Abertas está trabalhando com a igreja local para tratar essas questões.
Pedidos de oração
• Ore para que Deus conceda força e resiliência para os cristãos de Bakaba e que o apoio de Portas Abertas seja bem recebido entre eles.
• Peça a Deus sabedoria aos líderes, que possam discipular os cristãos de maneira correta, e que novas estratégias sejam criadas para lidar com a igreja.
• Interceda também para que as autoridades locais abram os olhos para a injustiça que estão cometendo com os cristãos e comecem a agir de forma mais flexível.
Fonte:Portas Abertas Internacional

Aniversário do Pr. José Hermínio Pereira na Ad - Upanema/RN

domingo, junho 14, 2015


O culto de Missões da Ad-Upanema/RN contou a com participação do José Hermínio Pereira. Pr. Hermínio, como é conhecido entre nós, veio comemorar seu aniversário em nossa igreja. Ao lado de sua esposa recebeu as homenagens desta igreja, com um reconhecimento por seus intensos trabalhos prestados á evangelização de nossa região e ao departamento de missões da igreja de Mossoró e região. Parabéns , pastor!

Encerramento do I Simpósio do Depin da Ad - Upanema/RN

domingo, junho 14, 2015



Aconteceu nos dias 13 e 14/06/2015 o I Simpósio do Depin-Departamento Infantil da igreja Assembleia de Deus em Upanema/RN. Com o Tema:Alcançar os corações  dos pequeninos esse é o desafio Mc. 16,15. Durante os dois dias houveram palestras, oficinas onde mais de 100 professores e evangelistas de crianças foram contemplados. O  Simpósio teve a presença e ministração do NOBEC. Núcleo de Orientação Bíblica para Professores e Evangelistas de crianças da cidade do Recife/PE. A sumidade do evento é que mesmo com a finalidade de capacitar e melhorar o trabalho com as crianças na igreja e fora dela também pais, obreiros e as crianças foram contempladas com momentos de palestras e cultos voltados especialmente para eles. E acima de tudo Deus se fez presente e atuou grandemente. Estiveram grupos de irmãs que residem e trabalham com crianças nas comunidades  rurais como: P.A. Monte Alegre, Nova Vida, São Manoel,Sabiá,Bom Lugar,Baixa do Dutra, São Geraldo, Mirandas e alguns professores da rede municipal e ensino e estudantes de Pedagogia.

Abertura do I Simpósio do Depin da Ad - Upanema/RN

sábado, junho 13, 2015



A igreja Assembleia de Deus promove nesses dias 13 e 14 o I Simpósio do Depin da Ad - Upanema/RN com o tema: alcançar os corações  dos pequeninos: Esse é o desafio. Na manhã e tarde do Sábado houveram palestras e oficinas e a noite um grande encontro entre o Departamento Infantil , obreiros e pais com a palestra pastoreando as crianças dessa geração. Todas as palestras e oficinas foram ministradas pelo NOBEC  - Núcleo de Orientação Bíblica para Obreiros e Evangelista  de Crianças. As atividades continua neste Domingo dia 14 com oficinas e um grande  Culto de crianças ás 16:00h no templo sede da Assembleia de Deus.

Barco missionário leva Evangelho a comunidades ribeirinhas

quinta-feira, junho 11, 2015

Projeto Ribeirinhos conta com a participação de líderes de diversas denominações, entre eles Nonay Foralskelse, do Ministração Criativa.

O Projeto Ribeirinhos, liderado pelo pastor Paschoal Bilitardo, realiza no mês de junho um trabalho social e evangelístico junto às comunidades ribeirinhas da região do rio Amazonas. Os missionários, diversos líderes e obreiros de diferentes denominações, chegarão aos locais e comunidades por meio do barco Because of Jesus, pertencente ao pastor Marcos Cordeiro, que já atua na região há cerca de 10 anos.
Nonay Foralskelse, do ministério Ministração Criativa, que atuou no vídeo “Acharam que seria mais um pedido de esmola” foi convidado a fazer parte da empreitada. Para ele, a participação no empreendimento missionário foi uma opção natural.
“Cresci no meio missionário e sei da importância que um projeto como esse tem”, diz, e completa: “meu ministério é sobre evangelismo. Logo, meu chamado é espalhar as boas novas e evangelizar não só com os vídeos, ministrações e teatro, mas em todos os lugares possíveis”.
O pastor Bilitardo, que coordena o projeto Mudando o Mundo, contou que os objetivos são, além de evangelizar, fortalecer a fé dos cristãos já existentes por meio de discipulado e realizar um trabalho social oferecendo mantimentos, material didático e de higiene pessoal.
O Projeto Ribeirinhos já está em sua segunda etapa, pois a primeira ocorreu em 2014, quando houve uma excursão ao local para o reconhecimento territorial e estudos das necessidades da população local. “Desta vez o projeto tem um objetivo mais específico no trabalho sócio-evangelístico”, explica o pastor Bilitardo. Segundo ele, o plano é realizar visitas mais frequentes à região, estreitando o vínculo com a comunidade e fornecendo apoio espiritual e material.
Segundo o líder, as necessidades da comunidade local são de várias ordens. Além de falta de alimentos, vestuário e escolas, ele ressaltou a carência espiritual dos locais: “a grande maioria sofre uma enorme carência por um alimento espiritual, pela Palavra de Deus. Na última missão, haviam pessoas começavam a chorar só de nos ver chegando… Eles diziam que eram pessoas solitárias e que nem mesmo seus familiares os visitavam. Não precisava falar muito de Jesus para que essas pessoas tomassem a decisão de aceitá-lo e também de serem batizadas”, descreve.
O barco missionário percorrerá cerca de 300 quilômetros ao longo dos rios Amazonas e Curuá-Una, uma região inóspita e de difícil acesso. Muitos dos locais visitados só possibilitam o acesso por barco, já que as estradas locais são precárias e não possuem sinalização.
Doações
O ministério precisa de doações para a compra de 50 cestas básicas para os ribeirinhos. Cada uma custa R$ 60,00 e serão entregues às famílias nos locais a serem visitados. Para doações em dinheiro podem ser feitos depósitos na conta de Paschoal Vilela Bilitardo, banco Itaú, agência 0240, conta corrente, 63495-6. Mais informações podem ser obtidas pelo site mudandoomundo.com.br ou pelo WhatsApp (12) 981321821.
Fonte:http://www.cpadnews.com.br/

Ministérios com jovens alcançam cristãos perseguidos

quarta-feira, junho 10, 2015

Como um movimento engajado a compartilhar as boas-novas no contexto estudantil pode fazer com que sua presença seja sentida na universidade? Como a experiência com situações de perseguição desperta jovens para essa causa?

No último final de semana, o ministério de jovens da Portas Abertas, o underground, recebeu mais de 140 jovens para o Acampa underground. Durante o feriado de Corpus Christis, eles foram impactados pela realidade da Igreja Perseguida e desafiados a viver um compromisso mais radical com Cristo. Conheça mais do ministério que reúne grupos de oração em todo o país, e veja como você pode participar.
A despeito deste trabalho que a Portas Abertas desenvolve em mais de 20 países, os movimentos estudantis surgem como resposta à evangelização em países fechados ao evangelho e em que servir a Cristo pode custar a vida. Um desses movimentos, o International Fellowship of Evangelical Students (Comunidade Evangélica de Estudantes Evangélicos - tradução livre) encontrou em um país do Leste Europeu a oportunidade de oferecer cursos de línguas estrangeiras em dormitórios estudantis.
No entanto, este não tem sido um processo rápido ou simples. Um membro do grupo escreveu: "Às vezes, sentimos que estamos entrando na cova dos leões! Cada etapa exige muitas idas aos dormitórios onde encontramos com administradores que rotineiramente desconfiam de nós por sermos cristãos. Outras vezes, a hostilidade vem da parte dos alunos."
"Depois de um período de idas de sucesso a um dos dormitórios, perguntamos se deveríamos continuar nossa parceria com a universidade. A administração primeiramente disse que não estava interessada, mas depois mudou de ideia e disse que queria grupos. Em uma noite, o presidente da associação de estudantes atacou verbalmente os membros da nossa equipe sobre quem somos e quais eram nossos objetivos com os estudantes. Felizmente, um dos nossos alunos (não cristão) veio em nossa defesa."
Deus não está apenas sustentando a equipe "na cova", mas também usando-a para alcançar a comunidade muçulmana. Fátima* vem estudando a Bíblia com duas pessoas da equipe desde o ano passado. Vindo de um contexto muçulmano, ela vê muitos obstáculos para seguir a Cristo, mas Fátima está no caminho. Através da oração e estudo em andamento, ela está descobrindo o que isso significa para todas as partes de sua vida e da sua identidade.
*Nome alterado por motivos de segurança.
Fonte:https://www.portasabertas.org.br/

Mulheres do Caminho: há seis anos orando pela Igreja Perseguida

terça-feira, junho 09, 2015

Além das orações, há treinamentos, aconselhamentos, aulas de higiene e beleza e cursos profissionalizantes.

No dia 27 de junho, a cidade de Goiânia (GO) sediará a comemoração do aniversário de seis anos de ministério de mulheres da Portas Abertas. O ministério Mulheres do Caminho atua no Brasil desde 2009, mobilizando cristãs brasileiras em favor das cristãs perseguidas. 
Em todo mundo, mulheres se reúnem em oração e ação para ajudar irmãs que são perseguidas por sua fé em Jesus Cristo. O apoio vem de inúmeras formas. Além das orações, há treinamentos, aconselhamentos, aulas de higiene e beleza e cursos profissionalizantes de capacitação para que as mulheres consigam sustento financeiro para suas famílias.
Mulheres no Caminho tem como referência Jesus, o único Caminho pelo qual as mulheres caminham e servem umas às outras. Tendo isso como base, o ministério aqui no Brasil trabalha com o objetivo de unir cristãs brasileiras para interceder pela igreja que enfrenta perseguição. Há encontros, visitas, reuniões de oração e viagens de campo que você pode participar. Conheça mais sobre o ministério e saiba como se envolver.
Venha celebrar conosco essa data especial!
Data: 27 de junho às 19h
Endereço: Igreja Presbiteriana Maranata – Avenida D, 151, Setor Marista – Goiânia - GO
Fone: (62) 3941 6020
Fonte:https://www.portasabertas.org.br/

Reabertura do Culto de Crianças na Congregação de P.A. São Geraldo

sábado, junho 06, 2015




Foi reiniciado na tarde deste sábado 06 de junho os trabalhos de culto de crianças no P.A São Geraldo, estando a frente do mesmo as dirigentes Tatiane Medeiros, Antônia Elza e Edilucia Dantas. Os dirigentes da congregação é irmão Isaías de Castro e o irmão Marc ondes Joaquim, o reinício contou com a presença de muitas crianças e sobretudo a presença de Deus que sem a qual não teria sido possível a realização desse trabalho.

Jovem coreano conta como teve sua vida mudada pelo Evangelho

sexta-feira, junho 05, 2015

Joseph Kim é o autor do livro `Sob o Mesmo Céu: Da fome na Coreia do Norte à Salvação da América´.

De certa forma, eu imagino que crescer na Coreia do Norte é como crescer em qualquer outro lugar. Eu tinha um pai e uma mãe, que não deixavam de me mostrar o amor deles por mim e por minha irmã mais velha. Eu pegava libélulas com os meus amigos e esperava com entusiasmo pelos desenhos animados que passavam na TV.
Então, em 1995, o pior da 'Grande Fome'desceu sobre a terra, e os privilégios da minha infância foram retirados.
Quando eu tinha 12 anos, meu pai morreu de fome. Nossa casa foi tomada para pagar uma dívida que ele tinha com um 'amigo' da família. Nesse mesmo ano, minha mãe fugiu para a China com a minha irmã, em busca de comida e dinheiro. Ela voltou alguns meses mais tarde, sozinha. Ela tinha vendido minha irmã como 'noiva' para algum homem - um destino comum para as jovens refugiadas norte-coreanas. Minha mãe acreditava que seria uma vida melhor para a minha irmã, se comparada à que ela teria em casa.
Eu nem mesmo sabia que ela tinha conhecimento acerca do que o tráfico sexual realmente é. A maioria dos traficantes destacam os benefícios de uma jovem ser casada com um homem chinês. Ela não foi a única norte-coreana que teve de tomar esse tipos de decisão tão difícil. Ela [minha mãe] continuou a viajar secretamente para a China, até que foi capturada e presa pelo governo norte-coreano.
Como eu não tinha uma família junto a mim, passei a morar nas ruas e a possibilidade de ser amado começou a desvanecer-se. Antes que eu tivesse a chance de decidir quem eu era em meus próprios termos, a minha identidade foi definida por outros: 'desabrigado', 'órfão', 'mendigo'. Quando me aproximava das pessoas nas praças de alimentação, nos mercados da cidade, elas me batiam ou me afastavam como se eu fosse uma mosca. Ninguém dizia: "Eu vejo o quão cansado e sem esperança você deve estar".
Aos 15 anos de idade, eu me vi diante de uma escolha: Eu poderia morrer de fome como meu pai, ou fugir do país tentar garantir uma vida melhor fora de suas fronteiras fortificadas. Entre a certeza da morte e as chances de sobrevivência, eu escolhi a sobrevivência.
Eu tinha ouvido falar que a maioria dos norte-coreanos tentaram atravessar a fronteira com a China durante a noite e, sendo assim, eu planejei minha fuga para o meio-dia de fevereiro de 2006. Eu desci as margens do rio Tumen, revestindo meus sapatos com sedimentos de areia para a tração, e corri em toda a superfície gelada do rio para a outra margem. Foi um milagre, eu ter conseguido fazer isso.
Eu fugi cheio de esperanças. Eu tinha certeza de que eu não teria nenhuma dificuldade em encontrar alimentos. Imaginei famílias chinesas entregando-me as suas sobras, como uma tigela de arroz, que não era nada para eles. Mas uma vez na China, a realidade bateu. Quase ninguém queria compartilhar nada comigo. Eles ficavam irritados quando eu simplesmente pedia que me dessem o que sobrou. Eu estava tão confuso. Não era assim que eu esperava que as pessoas reagissem.
Por algumas semanas, eu mal consegui o suficiente para sobreviver. Em seguida, uma senhora corea/chinesa idosa se aproximou de mim.
"Eu sinto muito, não há nada que eu possa oferecer", disse ela. "Mas você deve ir a uma igreja", disse ela, olhando para um edifício que tinha uma cruz.
Eu já tinha visto uma cruz vermelha sobre os portões de um hospital na Coreia do Norte, mas não tinha idéia de que uma cruz tinha a ver com a Igreja. Eu segui as instruções daquela mulher. Eu vi alguns edifícios, mas nenhum tinha uma cruz vermelha.
Eu parei e perguntei a um homem que estava perto: "Onde posso encontrar uma cruz?". Ele me respondeu: "Olhe para cima". E lá estava ela.
Esta foi a minha primeira vez dentro de uma igreja. Era tarde da noite, e alguns homens permaneciam naquele prédio modesto.
"Eu sou da Coréia do Norte. Eu não conheço ninguém aqui e preciso de ajuda", disse àqueles homens ao me apresentar. Um deles me deu 20 yuan (cerca de três dólares) e me disse que era tudo o que poderia me dar naquele momento.
Daquela cidade na parte norte da China, eu fui para Yanji, em seguida, para Tumen. Fiquei vagando até que encontrei uma outra igreja. Na parede estavam escritas estas palavras: "Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei".
Era como se alguém estivesse falando diretamente para mim. Eu pensei ter ouvido uma voz dizendo: 'Eu entendo como você está exausto e desesperado. Dê-me as mãos e eu vou cuidar de você'.
Uma mulher bem vestida me cumprimentou com um sorriso - apesar do fato de que eu não havia tomado banho durante semanas.
"Como posso ajudá-lo?", Ela perguntou. Eu senti que eu precisava para adicionar urgência à minha fala e então, ao invés de dar-lhe o meu discurso habitual, eu menti. Eu disse a ela que eu estava a caminho para atender a minha irmã em outra cidade e precisava de meios para chegar lá. A mulher me pediu para esperar no saguão. Ela voltou com 50 yuan (oito dólares) e me desejou sorte. Aquela foi a maior quantia em dinheiro que já tive em minhas mãos, até então.
Poucos dias depois, voltei para a igreja, imaginando que iria receber mais 50 yuan. Desta vez, os membros da igreja se ofereceu para me deixar ficar temporariamente. Isto foi melhor do que eu esperava. Eu estava dormindo em uma casa abandonada sem janelas durante o inverno. Mas agora poderia em um quarto de verdade com um cobertor. Foi emocionante. Eu concordei em ficar.
Uma semana depois, eu corri para a mulher que me tinha dado 50 yuan. Descobri que ela era a mulher do pastor. Eu estava com medo de que ela me criticasse por mentir e me expulsasse dali, mas ela me deixou ficar. Uma tarde, eu ouvi os membros da congregação discutindo que o pastor tinha dentes ruins, mas não podia pagar o tratamento dentário. Eu pensei que a senhora tinha me dado aquele dinheiro, porque ela tinha de sobra. Naquele momento, eu percebi o quanto aqueles 50 yuan valiam para sua família.
Seu generoso ato provocou a minha curiosidade sobre Deus. Ela parecia inicialmente tão semelhante a todos aqueles que se recusaram a me dar restos de arroz, mas ela era diferente. Comecei a ler a Bíblia para saber mais sobre o que ela acreditava. Apesar do meu desejo sincero de aprender, eu não conseguia entender. O vocabulário, o conceito de céu e inferno... nenhum deles fez sentido para mim. Ainda assim, eu continuei perguntando sobre sua fé.
Na China, hospedar um refugiado norte-coreano é ilegal e essa igreja já havia me protegido por mais de duas semanas. Eu não poderia ficar para sempre. Um dos membros localizou uma senhora chinesa/coreana que vivia em outra cidade e estava disposta a me receber em sua casa. Ela era uma cristã devota, a qual vou nomea-la aqui como "a vovó". Eu não sabia como orar, mas ela me encorajou a ler a Bíblia e me ensinou a cantar hinos. Ela me deu um novo nome: Joseph.
Minha primeira oração a Deus foi feita na China e à noite, a vovó me apresentou a um hino:
"Pai, eu ergo minhas mãos para ti,
Nenhum outro tipo de ajuda eu conheço;
Se o Senhor retirar-se de mim,
Oh! Para onde eu vou?"
Naquela noite eu orei: 'Deus, eu não sei quem você é ou se você existe como a Bíblia e os cristãos pregam. Mas eu preciso de Sua ajuda."
Poucos meses depois que me mudei para a casa da vovó, eu conheci um missionário sul-coreano que mantinha um abrigo subterrâneo para os norte-coreanos. Mais tarde, nesse mesmo ano, um ativista me ajudou a mudar para os Estados Unidos.
Cheguei em 2007 como refugiado e comecei a frequentar o ensino médio em Richmond (Virginia/EUA). Diferentes obstáculos me ofuscaram lá. Eu não conseguia entender uma única palavra das minhas aulas ou dos colegas de escola e eu mal conseguia manter-me com o fluxo de diferenças culturas ali. Mas porque eu ainda era relativamente jovem, eu fui capaz de aprender a língua inglesa. Eu me formei em quatro anos, e agora estou cursando a faculdade na cidade de Nova York. Eu participo de uma igreja em Manhattan e estou aprendendo mais sobre Deus e Seu mundo.
O hino que a vovó me ensinou colocava em palavras o que o meu coração precisava dizer. Eu estava sozinho no mundo. A qualquer momento, as autoridades poderiam ter me prendido e me mandado de volta para a Coréia do Norte, para eu voltar passar fome. Eu senti que não havia ninguém para cuidar de mim, ninguém que pudesse ajudar. O que aconteceria se Deus se retirasse de mim também?
Mas o que era a ajuda de Deus, senão as igrejas que me ajudaram, como aquela esposa do, que me deu os 50 yuan ou aquela senhora cristã que me deu o meu novo nome e me abrigou em sua casa?
Fugindo para a China, eu tinha perdido a esperança na bondade humana. Encontrar cristãos lá foi como se eu reencontrasse a esperança. Cuidar de estranhos, agindo com compaixão, sem esperar nada em troca: 'Essa é a beleza da humanidade. Essa é a beleza do evangelho'.
*Joseph Kim é o autor do livro "Sob o Mesmo Céu: Da fome na Coreia do Norte à Salvação da América" (Houghton Mifflin Harcourt).
Fonte:http://www.cpadnews.com.br/

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *